O que é coaching profissional e quando recorrer a um coach?

As coisas não andam como você planejou para a sua vida profissional… Seus colegas foram promovidos a cargos gerenciais e você continua nas funções executivas… A ideia de uma promoção fica martelando em sua cabeça, mas você não sabe como tocar no assunto com o chefe…

Essas são apenas algumas entre as inúmeras situações corriqueiras que podem ser um indício de que você precisa buscar ajuda. Nesses casos, o coaching profissional – também conhecido como coaching de carreira – é uma opção cada vez mais procurada.

O que é coaching profissional

coaching profissiona

Segundo o psicólogo e coach José Geraldo Leite, o coaching profissional funciona como um aliado no planejamento e desenvolvimento de carreirasPara isso, são usadas ferramentas e metodologias específicas que conduzem as pessoas do estágio em que elas se encontram para um ponto específico no futuro – que são os objetivos profissionais.

O coaching profissional leva em conta o potencial de cada pessoa, as suas competências, habilidades e o contexto em que está inserida. Ela é levada a enxergar oportunidades nos problemas, trabalhando as fraquezas e investindo em seus talentos para superar os possíveis obstáculos.

Coaching Profissional versus Terapia

Parecem a mesma coisa, mas não são. O coaching profissional guia o coachee (cliente) em direção às suas metas, identificando onde ele está hoje e onde se quer chegar. Em síntese, isso significa olhar para frente.

A terapia, ao contrário, foca suas ações em realizações passadas, em questões não resolvidas ao longo da vida e que impactam o presente. Situações que funcionam como barreiras emocionais que atrapalham e/ou impedem a pessoa de seguir adiante.

Outra diferença marcante está no tempo dedicado à solução do problema. No caso do coaching profissional, todo o processo varia em torno de 5 a 10 sessões, dependendo da complexidade da situação. Já a terapia não tem período pré-determinado. Algumas pessoas fazem terapia por anos seguidos.

Perguntas poderosas

O coaching profissional ajuda o cliente a responder questões importantes, conhecidas entre os especialistas como “perguntas poderosas”. São indagações que o levam refletir e geram autonomia e motivação.

Alguns exemplos de perguntas poderosas: Qual a sua meta? O que você precisa fazer para alcançá-la? Quem pode ajudar você? O que deve ser feito a partir de agora?

Por que? Essa é uma pergunta que não entra nessa lista das poderosas e é bom que seja evitada, durante um processo de coaching profissional. E a explicação para isso é simples. Segundo José Geraldo Leite, a questão remete ao passado e, portanto, extrapola o foco do trabalho do coach, que é o futuro.

Fazendo as perguntas certas, o coach identifica algumas crenças limitantes e, a partir daí, são aplicadas técnicas que levam o próprio coachee a encontrar as soluções, transpondo barreiras e caminhando para frente. É ele quem definirá as metas e as alternativas para realização dos objetivos, sempre apoiado e orientado pelo coach. Ou seja, o coaching profissional é um recurso construído a quatro mãos.

O que eu faço para ser reconhecido financeiramente?

coaching profissional

Essa é uma pergunta comum entre as pessoas que buscam o coaching profissional. Segundo o especialista José Geraldo Leite, a resposta mais adequada é: seja raro. Isso porque o mercado não paga pela sua importância. Todos nós somos importantes, então, isso não é um diferencial competitivo. Quem quer ganhar mais, precisa ser raro.

Quer um exemplo prático? Professor, é uma profissão importante? Claro que sim. Ela paga bem? Em sua grande maioria, não. Por que? Porque existem muitos profissionais disponíveis no mercado. Agora, pense em um jogador de futebol. Ele é importante? Não. Ele ganha bem? Sim. Por que? Os bons jogadores são raros.

Acontece que muitas pessoas têm dificuldade para entender essa lógica do mercado e, como em outras situações, precisam de ajuda profissional para se encaixarem no contexto.

Coach não é remédio para todos os males

Se o coach perceber que a causa das dificuldades em avançar têm origens emocionais e impactadas pelo passado, o cliente é encaminhado para terapia. Nesses casos, insistir no coaching profissional pode ser uma grande perda de tempo para todos.

Como já foi mencionado, o coach foca suas ações nas metas a serem alcançadas e que são definidas pelo cliente. No entanto, cabe ao coach apoiá-lo para que essa meta seja:  

  • Específica: uma meta não pode ser genérica; ela tem que ser clara e objetiva.
  • Mensurável: uma meta tem que ter métrica que permita medir seus avanços e resultados.
  • Atingível: uma meta não pode ser inalcançável, nem tão pouco fácil demais.
  • Relevante: uma meta precisa ser importante para que o coachee invista energia e tempo para alcançá-la.

Se as metas têm essas características, o coaching profissional funciona muito bem, garante o psicólogo José Geraldo Leite.

Quando procurar um coach

Logo no início desse post, citamos algumas situações que podem ser resolvidas com o apoio do coaching profissional. Veja, aqui, outros casos em que o coach pode ajudar bastante:

  • Quando a pessoa percebe que a responsabilidade está acima do que ela é capaz de suportar: tem gente que chega ao ponto de querer desistir da função.
  • Nos casos de mudanças de função ou até mesmo de empresa e, também, promoções: algumas pessoas sentem-se inseguras em relação ao próprio potencial.
  • Do lado oposto, nos casos de demissão: o coach pode ajudar a pessoa enxergar oportunidades e se recolocar no mercado de trabalho.
  • E quem nunca trabalhou? Essa galera também encontra no coaching profissional uma ferramenta para identificar as reais habilidades e, assim, dar os primeiros passos rumo a uma carreira de sucesso.

Esses são alguns exemplos, mas as possibilidade são inúmeras. E as pessoas devem ficar atentas. Se, no trabalho, surgir aquele sentimento de que não dá mais para caminhar sozinho, é hora de buscar apoio. Esse é o principal alerta, afirma José Geraldo Leite.

Quando a iniciativa parte da empresa

A decisão de procurar pelo coaching profissional pode ser, também, da organização. Isso geralmente ocorre quando o funcionário apresenta um gap que precisa ser trabalhado ou suportado.

Muitas vezes, as empresas direcionam e pagam para se desenvolver determinadas competências de seus funcionários. A ação pode ser focada nos cargos atuais, suprindo um gap nas cadeiras que eles ocupam, ou para futuro, agregando novas habilidades.

Mas não é somente isso. Questões de relacionamento também levam muitos funcionários para o coaching profissional. São problemas ligados a estilo de liderança, agressividade e dificuldade de trabalho em equipe, por exemplo. Hoje, as empresas esperam que seus líderes sejam líderes coach (treinadores) e saibam conduzir suas equipes para alcançar as metas.

A carreira em suas mãos

Nos dias atuais, quem coloca a própria carreira sob a responsabilidade das empresas segue no caminho errado. Mais do que isso: está ultrapassado. Com o passar dos tempos, a carreira foi deixando de ser exclusividade das organizações, transferindo-se para as mãos dos próprios funcionários.

Nesse novo cenário, cada pessoa passou a ser o dono da própria carreira. E entende-se por carreira, tudo o que envolve aprendizado e crescimento profissional. Sem fronteiras. Desta forma, as empresas gerenciam programas internos e sucessão. O empregado gerencia a carreira.

Então, mãos à obra! O que não pode é você ficar parado, assistindo o crescimento dos outros, enquanto a sua carreira vai de mal a pior.

Se você é líder de equipe, temos 10 sugestões de livros imperdíveisOutra boa dica para quem está pensando em alavancar a carreira é investir também no hábito de leitura. Você pode até mesmo começar com o best-seller “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”.

coaching profissional

Vá em frente!

Se você curtiu esse post, deixe aqui os seus comentários e compartilhe as informações com os seus amigos. Sucesso!

5 livros para você saber fazer coaching de carreira

Muita gente ainda acha que coaching de carreira é besteira. Mas a verdade é que se for aplicado da forma certa pode aumentar muito a performance e satisfação no trabalho.
Além de receber coaching, aprender as técnicas e métodos pode ajudar com as suas habilidades de liderança. Afinal, um líder precisa saber como retirar o máximo proveito do potencial da equipe.
Coaching não precisa ser difícil nem tomar muito tempo de ninguém. Para você começar a entrar nesse mundo, separamos 5 livros com conceitos básicos mas que podem ajudar bastante.
coaching de carreira the coaching habit 12 minutos

1. The Coaching Habit: Say Less, Ask More & Change the Way You Lead Forever – Michael Bungay Stanier

Para ser coach de carreira, não basta só saber conversar. Você precisa saber aplicar perguntas inteligentes que realmente façam a pessoa se abrir e refletir sobre suas escolhas e preocupações do momento.
Para líderes, ter essa habilidade é uma grande vantagem. Líderes de sucesso conseguem compreender os liderados para cultivar um ambiente de trabalho que os faça mais feliz, além de ajudar a se capacitar e desenvolver suas competências.
No livro, Michael Stanier ensina um ciclo de entrevista que acontece assim:

  • Vá direto ao ponto em qualquer conversa começando com uma “pergunta kickstart”
  • Mantenha o caminho certo durante a interação com uma “pergunta incrível”
  • Separe alguns momentos para diminuir o seu ritmo com a “pergunta preguiçosa” e para o entrevistado com a “pergunta estratégica”
  • Chegue ao cerne de qualquer desafio pessoal com a “pergunta focal”
  • E descubra se o coaching foi efetivo com a “pergunta para aprender”

Com este método, o autor, que foi o primeiro Coach do Ano no Canadá, ensina gerentes a aplicar as perguntas de uma forma que seja eficiente para o seu próprio cenário. Em sua companhia, Michael treinou mais de 10 mil líderes com habilidades de coaching executivo. Mas não é uma obra recomendada só para chefes. Ela também pode ajudar quem tem vontade de entrar para o coaching profissionalmente ou precisa enxergar a própria carreira com outros olhos.
coaching de carreira the weekly coaching conversation 12 minutos

2. The Weekly Coaching Conversation – Brian Souza

Líderes com boas skills de coaching de carreira conseguem liderar os membros do time para o máximo de performance que eles conseguem alcançar.
Um dos momentos em que isso acontece é nas reuniões de feedback, que devem acontecer regularmente e terem o objetivo de aplicar críticas construtivas. Ele também as chama de conversas de coaching.
Não importa o estilo do seu local de trabalho, o livro serve para quem trabalha em escritórios, campos de futebol, oficinas – qualquer cenário onde há um líder é válido e pode se beneficiar das conversas.
Sabe aquela sensação de que os colaboradores têm mais a oferecer? Você vai saber como utilizar o potencial máximo deles. Brian criou esta obra baseando-se em uma pesquisa que envolveu mais de 2000 gerentes e colaboradores. O resultado foi um manual sobre como tirar o máximo dos feedbacks e das discussões com os membros do time.
coaching de carreira the tao of coaching 12 minutos

3. The Tao of Coaching – Max Landsberg

Esse clássico do coaching de carreira é o resultado de mais de 30 anos de experiência de Max na área. Em sua terceira edição, ele editou a obra expandindo-a e adicionando mais lições.
Seu método é organizado de uma forma que você entenda quais perguntas precisa fazer para conseguir o resultado esperado.
São capítulos concisos, que articulam conceitos principais e fáceis de entender e lembrar. Mesmo que sejam teorias, o autor as coloca à prova por meio de sua experiência. Ele garante que é possível atingir grandes coisas no trabalho, se você for bem guiado.
O discurso não cai na terapia. Você vai aprender como ser um coach de carreira de sucesso nutrindo algumas habilidades essenciais, mas simples quando você se dedica. Essa é praticamente a bíblia do coaching, leitura obrigatória para quem é da área.
coaching de carreira mastering coaching 12 minutos

4. Mastering Coaching – Max Landsberg

Max escreveu este outro clássico da área. Aqui, ele ensina como os coaches ajudam clientes e funcionários a alcançar seus objetivos de vida.
Em qualquer time, coaching de carreira é essencial. Se você quiser que as pessoas apliquei o máximo de seus potenciais e prosperem trabalhando juntas, precisa aprender as técnicas.
Nesta obra, Max oferece muitas delas. É ótimo para quem quer um livro bastante prático. Ele aborda métodos aplicáveis em vários cenários diferentes, sempre com o objetivo de orientar as pessoas a seguirem um caminho coerente na carreira.
É também um manual, cheio de histórias e cases com lições essenciais (e sem jargões) para aqueles que lideram outras pessoas.
coaching de carreira humble inquiry 12 minutos

5. Humble Inquiry – Edgar H. Schein

Esse livro não é só para quem deseja se tornar coach de carreira ou desenvolver essas habilidades. Aqui, Edgar constrói um conceito formado a partir da sua crença de que a cultura organizacional norte americana se baseia na priorização da ação e praticidade a qualquer custo, se alimentando de uma competição nem sempre saudável.
Ele propõe a volta de uma curiosidade e gentileza genuínas, que demonstram respeito pelos outros, a fim de criar relações de confiança. Um dos jeitos de fazer isso é com perguntas humildes.
Mesmo que você já saiba a resposta para elas, demonstrar interesse e ter uma curiosidade real fazem o outro se sentir importante.
Quer desenvolver ainda mais as suas habilidades de coaching de carreira e liderança? Dê uma conferida na nossa seção Liderança e Gestão, na plataforma do 12 Minutos.
E agora, que tal você conhecer o guia de leitura para entender os grandes líderes do mundo?

Como e porque acompanhar sua produtividade pessoal

Você mexe o dia inteiro, anda de um lado para o outro, faz um monte de coisas… No entanto, quando termina o expediente o resultado não aparece. Isso porque, geralmente, todo esse “barulho” não é sinônimo de boa produtividade pessoal.

produtividade pessoal

Então, vem a pergunta: como saber se estou produzindo na dose certa? A resposta é simples: promova algumas mudanças de hábitos e gerencie o seu tempo com maestria.

Os principais desperdiçadores de tempo

produtividade pessoal

Falta de foco, procrastinação e desorganização são alguns dos tradicionais consumidores de tempo no local de trabalho. Mas, nos dias atuais, outros grandes inimigos da nossa produtividade são as distrações: celulares, internet, e-mail, redes sociais

Essas distrações levam os trabalhadores para longe de suas responsabilidades e a produtividade pessoal despenca. Uma pesquisa na empresa Workfront mostrou que apenas 39% do tempo dos seus funcionários são dedicados às atividades profissionais. O restante fica para ações que não têm nada a ver com as suas funções.

Outra pesquisa conduzida pela consultoria Luzio Strategy Group, envolvendo mais de 300 executivos, mostrou que esse pessoal desperdiça 55% do tempo deles com burocracias. Aí entram as reuniões improdutivas e outras atividades que não caminham em direção aos objetivos organizacionais.

Por que rastrear o tempo?

produtividade pessoal

Conheça três bons motivos para você acompanhar de perto o uso do seu tempo:

  1. Porque o rastreamento de tempo é o melhor instrumento para saber se o relógio está sendo seu aliado na produtividade pessoal. Pense, por exemplo: quanto tempo você gasta diariamente nas redes sociais, nos sites de notícias ou na sala do cafezinho? Quais atividades estão comendo os seus minutos e quanto se perde com cada uma delas? As respostas podem surpreender você.
  2. Porque o rastreamento do tempo possibilita calcular o ROI real do seu trabalho. Levando-se em conta que nos dias atuais tempo equivale a dinheiro, não tem como saber se um projeto foi de fato lucrativo, sem ter claro o tempo investido nele. Por exemplo, comparando um projeto que gerou 20 milhões de reais e outro que gerou 17 milhões reais, somente saberemos qual deles foi de fato mais lucrativo se tivermos em mãos os dados sobre o tempo investido em cada um.
  3. Porque o rastreamento contribui para aumentar o foco nas metas pessoais e organizacionais, impactando sua performance individual e do negócio. Se o tempo das pessoas está sendo monitorado, eles tendem a aproveitá-lo ao máximo (Efeito Hawthorne).

Software de rastreamento de tempo

Existem softwares e outros recursos eletrônicos para quase tudo nos dias atuais, inclusive, para rastreamento de tempo no local de trabalho. Seguem algumas opções (em ordem alfabética), que você pode usar para acompanhar a sua produtividade pessoal:

Bitrix: customiza os relatórios, cria status diferentes para cada usuários (administrador, observador etc) e controla o tempo gasto em cada tarefa. O melhor de tudo isso: oferece plano gratuito.

Everhour: também é integrado com as ferramentas de gerenciamento de projetos e CRM, como Trello, Basecamp 3 e outros. É possível acompanhar a equipe e projetos, criar e salvar facilmente relatórios simples, para referência rápida, e os mais elaborados, para fins de desenvolvimento de negócios.

Kickidler: esse é um rastreador de tempo para ser usado pelas empresa. Ele monitora e registra as atividades dos funcionários. Por exemplo, ao rastrear o computador individual, a empresa sabe quanto tempo foi usado em programas e sites. E existem outras funções.

PrimaERP Time Tracking: grátis para até 3 usuários, por tempo ilimitado. Pode ser integrado a sistemas como Google Calendar e Basecamp.

Thyme: uma ferramenta exclusiva para quem usa MAC, da Apple. É gratuita e open source. Basta escolher uma tecla de atalho para iniciar e outra para pausar.  

Toggl: faz monitoramento e emite relatórios online de horários por meio de seu site, aplicativos móveis e desktop. É considerado por muitos usuários um aplicativo intuitivo, simples de usar e que oferece uma versão gratuita robusta para até 5 usuários. Além disso, o Toggl pode ser integrado às suas ferramentas de gerenciamento de projetos.

TrackingTime: essa é uma extensão gratuita para o Google Chrome, ou seja, não é um aplicativo. Fácil de configurar e pode ser usada tanto no computador quando no celular com Android.

De olho nos ponteiros

produtividade pessoal

Você não pode depender apenas de um software para otimizar a sua performance e fazer cada segundo do seu preciso tempo valer a pena.

Existem alguma ações que ajudam a usar o seu tempo corretamente e a eliminar os gargalos que emperram a sua produtividade pessoal. Anote algumas dicas:

  • Tenha foco e coloque toda a sua energia e pensamento na direção das suas metas.
  • Planeje seu dia, seja realista e rigoroso com o seu cronograma. Para isso, você pode recorrer, por exemplo, à técnica de Pomodoro.
  • Priorize suas tarefas. Se você conhecer a diferença entre urgente e importante e aplicar esse conceito com sabedoria, você eliminará o que não é relevante no momento, salvando energia, melhorando a sua capacidade de decisão, sem perda de tempo.
  • Aprenda a dizer não. Afinal, mesmo que você queira, não dá para abraçar o mundo e fazer tudo ao mesmo tempo. Assim, se chegar uma demanda nova e você não tiver tempo para ela, assuma isso.
  • Simplifique. O sofisticado nem sempre é o mais eficiente. Desta forma, valorize o jeito menos complexo e mais óbvio para cumprir as suas metas.
  • Fuja das reuniões longas e improdutivas. A não ser que esses encontros sejam essenciais para o desenvolvimento dos seus projetos, dê um jeito de limitar a sua participação e otimizar a sua produtividade pessoal.
  • Sempre que possível, coloque o celular no silencioso e esqueça as redes sociais, mensagens e joguinhos virtuais. Deixe todas essas “brincadeirinhas” para o horário de descanso.
  • A não ser que você precise acessar o e-mail a todo momento, por causa do trabalho, desative o alarme dele e determine um horário específico durante o dia para checagem da sua caixa postal e para responder as mensagens.
  • Evite as conversas a todo instante que não estejam relacionadas com o seu trabalho.
  • Seja organizado. Mantenha seu local de trabalho e o seu computador limpos e em ordem, controle a iluminação da sala, providencie uma cadeira confortável e mantenha tudo o que precisa ao alcance das mãos.
  • Faça pausas para descansar e relaxar. Isso porque, mente e corpo exaustos são inimigos da sua produtividade pessoal. Então, dê algumas paradinhas para alongamentos e para esfriar a cabeça. Meditação é uma boa ideia.

Agora que você já sabe como medir a sua produtividade pessoal, a equipe 12MIN tem a indicação de uma obra fantástica para você:

O Poder do Hábito: Porque Fazemos o Que Fazemos na Vida e Nos Negócios – Charles Duhhigg

produtividade pessoal

Os hábitos fazem parte da fundação das nossas vidas, nossas empresas e são responsáveis por uma grande parte dos resultados que obtemos.

Boa leitura!

 

Liderança: conheça os principais modelos e suas aplicações

Um líder pode conduzir o seu time para a vitória ou puxar todo mundo pra trás. Tudo vai depender do seu estilo de liderança e de como ele usa o poder que tem em mãos.

Nós selecionamos seis modelos de liderança comuns nas organizações, com o perfil de cada líder e os reflexos da sua gestão na equipe e no clima. Veja:

Liderança autoritária

Liderança

O líder autoritário não é o que muitas empresas inovadoras buscam nos dias atuais. No entanto, ele ainda sobrevive e continua contaminando equipes, elevando as taxas de turnover nas organizações e provocando evasão de talentos. Veja o perfil desse tipo líder:

  • Mantém o foco nele próprio e enfatiza a execução de tarefas.
  • Dominador e usa o medo para obter o “respeito” dos liderados.
  • Trata os liderados como subordinados – a exemplo dos antigos “chefes”.
  • Baseia as suas ações em suas próprias opiniões, sem qualquer participação da equipe.
  • Pouco flexível, dita as ordens e exige obediência plena dos liderados.
  • Cobra resultados com veemência, pressão e ameaças.
  • Odeia ser contrariado, nem que seja só um pouquinho.
  • As atividades são realizadas apenas na presença do líder.
  • Não estimula a equipe e ainda encontra obstáculos para o crescimento profissional e ascensão na carreira.

Consequências

Equipe desmotivada, frustrada, amedrontada e, portanto, distante e sem iniciativa. Geralmente, reage com agressividade e hostilidade. O ambiente é tenso e os liderados são mais propensos a gerar conflitos entre eles.

Apesar de tudo, alguns estudiosos acreditam que o líder autoritário pode ser útil em situações extremas, que exigem atitudes diretas e rápidas. Isso porque esse líder concentra grande parte das decisões e “simplifica” o processo. Será?

Liderança democrática

Liderança

Esse é um estilo oposto de liderança e positivo na gestão de qualquer negócio. Geralmente, leva ao engajamento natural das pessoas. Com a satisfação das equipes, a empresa reduz o turnover e obtém ganhos de produtividade individual e coletiva. Perfil desse tipo liderança:

  • Foca no líder e na equipe.
  • Valoriza a participação e envolvimento da equipe.
  • Prioriza a qualidade de vida no trabalho.
  • A decisão continua nas mãos do líder, após ouvir e avaliar todas as contribuições.
  • A comunicação entre líder e liderados é natural, sincera e cordial, diminuindo a distância entre as pessoas.
  • Solicita e valoriza o feedback da equipe.
  • A equipe recebe orientações sobre os objetivos da organização e sobre o papel individual nesse processo.
  • Não existe pressão e as atividades são realizadas, mesmo que o líder não esteja presente.
  • O líder é impessoal em suas críticas e elogios.
  • Estimula o desenvolvimento profissional e abre possibilidade de ascensão na carreira

Consequências

Equipes responsáveis, motivadas e engajadas. As pessoas se sentem valorizadas e o clima organizacional é de amizade, interação e segurança. Isso reflete positivamente na produtividade das pessoas.

Liderança liberal

Liderança

Enquanto o líder democrático escuta a equipe, mas é ele quem bate o martelo, o liberal delega totalmente as decisões ao grupo, sem qualquer controle. Esse é um estilo de liderança que pode dar certo entre pessoas maduras, experientes e entrosadas. O perfil do líder liberal inclui:

  • Foco na equipe, que tem total liberdade para decidir, sozinha, quais são os melhores caminhos e estratégias na organização.
  • Participação mínima na hora das decisões e envolve-se apenas quando é solicitado.
  • Estimulada o grupo a colaborar diretamente com o desenvolvimento da empresa.
  • Dá liberdade para que a equipe exerça a criatividade e interfira nos processos em andamento.
  • Não estabelece a execução das tarefas e nem fiscaliza o andamento dos trabalhos.
  • Não oferece feedback sobre desempenho e qualidade do trabalho individual e coletivo.

Consequências

Risco de ocorrer muita atividade e pouco resultado. Sem coordenação, o grupo fica sem direção e existem altos e baixos na performance, a todo instante. Registra-se, inclusive, individualismo no desempenho das tarefas e perda de tempo com debates que extrapolam o assunto do trabalho. Outro ponto de atenção é que a figura do líder pode se tornar desnecessária para a equipe. Assim, ele perde o respeito. Além de afetar a produtividade, esse estilo pode gerar desmotivação, insatisfação e desagregação.

Liderança servidora

Liderança

Depois da publicação do best-seller O Monge e o Executivo, esse estilo de liderança caiu nas graças de muitas organizações. Equipes inteiras foram treinadas com base no princípio de que liderar significa servir seus liderados, tomando como exemplo o maior líder da humanidade em todos os tempos: Jesus Cristo. Entre algumas características do líder servidor, estão:

  • Coloca os seus liderados em primeiro lugar.
  • Tem metas de longo prazo e atua em conjunto com a equipe para alcançar uma visão compartilhada para a organização.
  • Investe em um alto nível de confiança e respeito nas relações com a equipe.
  • Não busca a admiração pessoal e leva o time a apoiar a visão da empresa.
  • Conecta-se com os liderados no cotidiano e proporciona a eles todos os recursos necessários para o desempenho de suas funções.
  • Sabe ouvir e tem facilidade de receber feedback da equipe.
  • Demonstra empatia e consciência social, entendendo as necessidades e sonhos de seus liderados.
  • Fornece energia, motivação e direção para os liderados, incentivando-os a seguirem adiante e recompensando-os pelas conquistas. Mas tem plena consciência de que, às vezes, é preciso segurar o ritmo.
  • É persuasivo, com alta capacidade de promover mudanças sem o uso de poder ou privilégios de sua posição.
  • Investe em desenvolvimento de seus liderados, desafiando a equipe a pensar diferente e orientando-a para transformar seus pontos fracos em forças de crescimento.

Consequências

Equipes altamente motivadas e engajadas, com propósito e senso de pertencimento e segurança. O ambiente de trabalho é confortável. A soma de tudo isso favorece a produtividade.

Liderança técnica

Liderança

  • O líder é respeitado pelo seu conhecimento diferenciado e capacidade técnica afiadíssima em relação a determinado assunto.
  • Investe nessa capacidade técnica como forma de conquistar a confiança da equipe.
  • Acredita que dedicação e empenho levam uma carreira para o alto e defende isso junto aos seus liderados.

Consequências

O líder técnico é o “dono” das informações, portanto, suas decisões são respeitadas e seguidas. Ele passa a ser o exemplo de sucesso para os liderados.

Liderança Coaching

Liderança

Uma onda do momento são os líderes que se interessam em manter os liderados motivados e em sintonia com os objetivos macros da organização. Outras características desse profissional são:

  • Foco nos liderados e nos resultados.
  • Usa suas habilidades de coach para ajudar seus liderados a desenvolveram habilidades técnicas, emocionais e comportamentais.
  • Estimula uma visão positiva do futuro e acompanha a evolução individual de cada liderado.
  • Defende uma administração participativa, onde o grupo se envolve, conscientemente, nas decisões. Os resultados são, também, responsabilidade de todos.
  • Implanta o conceito de que posturas diferentes geram resultados também diferentes.
  • Promove uma comunicação assertiva e de mão dupla entre o grupo. Ele incentiva e dá o feedback constante.

Consequências

Ambiente de trabalho agradável, com um clima de cooperação e confiança. A equipe acredita pertencer a algo maior e tem consciência do seu potencial, sabendo colocar suas forças na direção certa. Isso afeta, também, a produtividade. Pra melhor, é claro.

Conclusão

Como você pode ver, existem líderes de todo jeito, pra todos os gostos. Você precisa identificar qual deles se encaixa melhor à cultura da sua organização para obter os melhores resultados.

Você não têm os líderes que precisa. Não se desespere. Habilidades de liderança e coaching podem ser adquiridas.

Mudando de direção, o papo agora é com você, que exerce a função de liderança. Em qual perfil você se encaixa? O seu estilo está em sintonia com os valores, missão e visão da empresa? Reflita sobre isso.

E, é claro, que a equipe 12Min tem uma dica de leitura especial sobre o assunto. Anote aí:

As 21 Irrefutáveis Leis da Liderança – John C. Maxwell

Liderança

Todos nós sempre temos mais o que aprender na arte de gerir pessoas. Essa obra nos traz leis simples e essenciais para vencer esse desafio. Um livro para ler, entender e praticar.

Boa leitura! Se você curtiu esse post, deixe aqui os seus comentários.

 

Como fazer uma boa gestão estratégica de pessoas

O capital intelectual de uma empresa é peça fundamental para sua vantagem competitiva e, em alguns casos, até mesmo para sobrevivência do negócio. É por isso que a gestão estratégica de pessoas vem ganhando mais e mais espaço nas organizações.

Assim, tão importante quanto pensar no desempenho financeiro, investimentos e tecnologia, é essencial preocupar-se com quem move a organização. Com uma gestão estratégica de pessoas, é possível desenvolver diferenciais que o concorrente não consegue copiar com tanta facilidade. E as vantagens aparecem nos resultados da empresa.

Mas o que é gestão de pessoas?

gestão estratégica de pessoas

Gerir pessoas significa alinhar as necessidade da organização com as expectativas e desenvolvimento dos funcionários. Tudo isso construído estrategicamente.

A gestão de pessoas nas organizações vem sofrendo mudanças ao longo dos tempos, acompanhando as transformações no mundo dos negócios, a competição acirrada, novas tecnologias e diferentes modelos administrativos. Foi impactada também pelo jeito atual de construir uma carreira.

A cada geração, os jovens chegam no mercado de trabalho com novos valores e novas formas de se relacionar com a organização. É preciso estar atento a essas movimentações para que se adaptar e implantar uma gestão estratégica de pessoas realmente eficaz.

Práticas de gestão estratégica de pessoas

A gestão de pessoas deve identificar o papel de cada um na organização e fazer desse capital humano uma “ferramenta” poderosa de transformação e desenvolvimento.

É claro que o processo não é tão fácil assim, afinal, estamos falando de gente, com diferentes expectativas, emoções e ambições. Mas isso não é impossível. Pelo contrário, muitas empresas estão apostando na gestão estratégica de pessoas como diferencial para sair na frente da concorrência.

Veja aqui algumas práticas comprovadamente eficazes:

Recrutamento e Seleção

gestão estratégica de pessoas

Comece fazendo a coisa certa. É impossível cercar todos os potenciais problemas na contratação. No entanto, você otimiza o seu processo, quando tem clareza sobre as posições que a empresa precisa e sobre as competências essenciais para se ocupar as vagas.

Treinamento e desenvolvimento

Quer ter sucesso nos negócios. Invista nos treinamento das pessoas. Mantenha o seu time sempre atualizado. Pode ser por meio de palestras, workshops, cursos, apoio ao ensino formal, como universidade, mestrado e doutorado etc. Veja isso como investimento e não como despesa.

Comunicação

Não tem como pensar em gestão estratégica de pessoas sem uma comunicação clara entre empresa e funcionários. É essencial que todos saibam onde a organização se encontra e onde quer chegar, em quanto tempo, como pretende fazer isso, especialmente, qual o papel de cada um nessa travessia. O principal resultado será um time comprometido e engajado com as metas corporativas.

Feedback

O ideal é que esse feedback seja de mão dupla. As lideranças devem abrir canais para que as pessoas tenham consciência do desempenho individual e coletivo em relação às expectativas da organização. Isso deve ser realizado com frequência. Outra dica é promover, anualmente, a avaliação anual de desempenho. O outro canal vem no sentido contrário. São os funcionários que vão dizer para o líder como tem sido a atuação dele e o que pode ser feito para melhorar cada vez mais. Nesses casos, o líder precisa ser preparado para ouvir, sem levar as críticas para o lado pessoal, gerando um clima de confiança no setor.

Preparo e envolvimento das lideranças

gestão estratégica de pessoas

Os líderes são o meio pelo qual a empresa se comunica com suas equipes. Daí a importância de todos eles estarem bem alinhados com os objetivos da organização e comprometidos com os resultados, motivando os seus liderados a segui-los rumo ao sucesso. Busque por líderes e não chefes.

Monitoramento

Ofereça aos seus líderes ferramentas que lhes permitam acompanhar o desempenho das pessoas e os indicadores, metas e todas as demais ações sob a responsabilidade deles. Busque pelas ferramentas que melhor se adequam ao seu negócio. O feedback também funciona bem aqui.

Recompensas e reconhecimentos

gestão estratégica de pessoas

Confie em sua equipe e conte com ela para alcançar as metas corporativas. Mas lembre-se de reconhecê-la pelas conquistas. Não é preciso esperar por um grande resultado ou alguma coisa extremamente excepcional para comemorar. Estimule a liderança a valorize os pequenos avanços do dia a dia e a compartilhar todos os méritos com o time. Afinal, cada um tem um papel relevante na organização. As recompensas não precisam vir em forma de dinheiro. Seja criativo.

Como ser um bom líder

Um líder preparado tem poder de transformar o ambiente, promover envolvimento e engajamento do time e, claro, gerar resultados para a empresa. Então, não dá para negar a importância dele na gestão estratégica de pessoas.

Se você é um líder ou quer chegar lá, veja algumas dicas para melhorar as suas habilidades de gerenciamento, além do que já foi mencionado acima:

Esteja preparado

Quer fazer um bom trabalho? Então, esteja preparado. A empresa provavelmente vai investir em você, se perceber potencial para a função. Mas não precisa esperar. Se você acredita que é necessário desenvolver algumas habilidades essenciais para essa função, corra atrás do prejuízo. Faça cursos de liderança, estude pela internet, procure um coaching, leia livros… Seja proativo.

Aprenda a ouvir

gestão estratégica de pessoas

Ouvir significa prestar real atenção no que o outro está falando, interessar-se pelo assunto. Se alguém da sua equipe o procurar para conversar, dedique tempo para ele, deixo-o expressar sua opinião ou sentimento, sem que ele se sinta ignorado. Estudiosos enumeram cinco etapas para ouvir a equipe, que são: receber, entender, lembrar, avaliar e responder. Você precisa saber como elas funcionam e colocá-las em prática.

Identifique o seu estilo de comunicação

De acordo com os psicólogos que atuam em organizações, existem 4 estilos de comunicação. Saber qual é o seu estilo é essencial. Isso vai impactar na sua capacidade de se relacionar com as pessoas. Esses estilos são:

  • Pensadores – precisam de tempo para processar e pensar, antes de responder. São deliberadamente lentos e querem ter certeza de que tudo está certo.
  • Socializadores – gostam de conversar com os outros e captam energia dos colegas. Eles trabalham e processam informações muito rapidamente e têm ótimas ideias.
  • Diretores – para eles o processo é rápido, tomam decisões imediatamente e gostam de pesquisas e fatos comprovados.
  • Relaters – são orientados a relacionamentos e gostam de trabalhar com os outros. Porém, ao contrário do socializador, são mais lentos e calmos.

Distribua responsabilidade

O líder estratégico desenvolve habilidades do time de forma a permitir que elas trabalhem com um nível razoável de autonomia e possam tomar decisões. Aproveitando a sabedoria de todo o time, a empresa eleva a inteligência coletiva, adaptabilidade e resiliência da organização em longo prazo.

Seja transparente

gestão estratégica de pessoas

É fato que um percentual significativo de funcionários não confia no seu empregador ou no chefe. Isso é ruim. Muito ruim mesmo. Se não existe essa relação de confiança, como se entregar em prol dos resultados? Então, uma forma de promover o engajamento do time é sendo honesto e transparente, por exemplo, sobre os critérios de promoção, sobre resultados e sobre o que está acontecendo na empresa.

Estimule e teste ideias

Na gestão estratégica de pessoas, é fundamental estabelecer maneiras para que as pessoas possa trazer à tona seus pensamentos inovadores. Cabe ao líder ajudá-las a aprender a aproveitar ao máximo sua própria criatividade. Mas é preciso atenção, porque permitir que as pessoas levantem idéias indiscriminadamente pode ser contraproducente.

Mas permita errar

gestão estratégica de pessoas

Testar ideias é legal, mas errar não pode ser um problema – desde que o funcionário aprenda com eles. Mas, infelizmente, não é o que acontece na maioria das organizações, onde as falhas vêm seguidas de punições. Na gestão estratégica de pessoas, os líderes devem aprender como administrar as tensões associadas à incerteza e como se recuperar do medo de tentar de novo.

Seja organizado

Muitos líderes têm uma dificuldade enorme de gerir seus times e resolver conflitos por absoluta falta de organização. A sugestão é que você reserve um tempo no início de cada mês para fazer um raio X da sua área. Veja o que está rodando nos trilhos e o que precisa ser trabalhado, inclusive, no seu plano de ações. Volte-se para o clima organizacional também e avalie possíveis divergências entre as pessoas e como solucioná-las de forma amigável.

Aprenda sempre

Na gestão estratégica de pessoas, o líder deve ter humildade e inteligência para aceitar que precisa investir em desenvolvimento sempre. Ele nunca estará 100% pronto.

O tema liderança é muito amplo. Para quem quer aprender mais, os livros são um caminho seguro. Existe uma infinidade de obras interessantes no mercado. Veja uma dica legal:

O Monge e o Executivo – James Hunter

gestão estratégica de pessoas

Qual é o seu conceito de líder? James C. Hunter o convida a entrar em um mundo repleto de escolhas. Por meio de questionamentos, autoanálise e da possibilidade de enxergar com outros olhos, os conceitos de bondade, generosidade, humildade vão sendo tecidos em meio aos troféus da liderança.

O resumo dessa obra está na plataforma 12Min. E tem muito mais. Boa leitura!

Curtiu esse post? Deixe aqui o seu comentário.

Como construir um bom plano de carreira em uma empresa

Atrair, reter e motivar talentos. Esses são desafios de toda empresa que busca a competitividade e o crescimento. Uma das opções tem sido um bom plano de carreira para os funcionários.

Mas o que é um plano de carreira? Isso nada mais é que um programa estruturado que desenha a trajetória de todos os funcionários na organização, permitindo a cada um deles enxergar onde está e onde se pode chegar.

Plano de Carreira

O plano de carreira deve definir claramente quais as competências necessárias em cada posição e o que a empresa espera receber do funcionário. Também identifica os gaps dos empregados nas funções atuais e quais competências devem ser desenvolvidas para se avançar nas etapas. Assim, o funcionário pode correr atrás do prejuízo e subir degraus em sua carreira.

É comum as próprias empresas fornecerem treinamentos ou cursos para cobrir esses gaps. Se for o seu caso, aproveite as oportunidades ao máximo.

Lembre-se que você não precisa ficar esperando. É possível buscar o aperfeiçoamento por conta própria também. Afinal, é o seu futuro profissional que está em jogo.

Plano de carreira das empresas

Um planejamento para o futuro dos empregados funciona bem em organizações consolidadas, onde não ocorrem mudanças drásticas a todo momento e nem de uma hora pra outra.

Nesses casos, um plano de carreira pode ser implantado de três maneiras: em linha (horizontal), em Y ou em W.

Plano de carreira horizontal

Nesse caso, não há ascensão do empregado em relação ao cargo. O que ocorre é a mudança de tarefa na mesma posição, com aumento de salário e outros benefícios. Isso porque a alteração, geralmente, é para um trabalho mais complexo e que demanda um grau maior de responsabilidade.

O plano de carreira horizontal é ideal para empresas que não têm muitos cargos que permitam ao emprego subir degraus na hierarquia. Para retê-lo no mesmo cargo, ele é promovido com base em avaliação.

Plano de carreira em Y

PLANO DE CARREIRA

Significa que a partir de um determinado cargo, existe uma bifurcação. Ou o funcionário segue a carreira de especialista ou de gestão.

A definição sobre qual dos dois caminhos a seguir dependerá das habilidades de cada funcionário, que são diferentes em cada um dos caminhos. No entanto, ambos têm o mesmo grau de importância na organização.

O plano de carreira Y é comum em empresas ligadas à pesquisa, como o setor químico e farmacêutico.

Plano de carreira em W

Esse plano também apresenta dois caminhos possíveis de crescimento e, ainda, abre opção para um terceiro – que é uma combinação dos outros dois. Em vez de seguir como especialista ou gestor, o profissional pode ocupar um cargo de gestor de projetos.

Como gestor de projeto, o funcionário não se responsabiliza pelo desenvolvimento dos demais integrantes da equipe. No entanto, acompanha de perto o desempenho das pessoas que participam de um projeto específico, oferecendo consultoria e feedbacks técnicos.

Empresas de crescimento rápido

Nas empresas em fase de expansão, como as startups, o crescimento do negócio vem acompanhado do aumento no número de empregos – que em alguns casos chega a ser de 100% em apenas um ano. Aí, fica difícil planejar a carreira desse contingente em longo prazo.

Nesses empresas, uma estratégia é conversar com os empregados sobre as expectativas deles em relação à empresa. E deixe claro para eles que não existe um caminho escrito e bem delineado, mas sim uma gama enorme de oportunidades. A ideia é crescer junto: empresa e funcionários.

As ferramentas de motivação

PLANO DE CARREIRA

Ok. Sua empresa não tem escada desenhada para os empregados. Seus talentos não sabem ao certo como vão crescer, quando etc… Então, o que fazer para manter essa turma motivada e focada nos resultados?

Você certamente tem que ter alguma estratégia de atração e retenção de pessoas. Comece apresentando a realidade atual e a projeção para o futuro. Se o cenário pra frente for realmente positivo, isso pode incentivar o funcionário a dar o melhor dele e a investir no crescimento.

Outras sugestões são:

  • apoie as lideranças nos assuntos relacionados a carreira. Oriente-os sobre a importância de conversar com os funcionários sobre o assunto. E, principalmente, como fazer isso.
  • Dê sempre preferência para o recrutamento interno. No entanto, o processo deve ser baseado em competências. Por exemplo, se você transformar um excelente vendedor em gerente, sem que ele tenha as habilidades para a nova função, você criará um grande problema: ficará sem o seu melhor funcionário de vendas e terá um gestor limitado – pra não dizer ruim.
  • seja transparente nas promoções, deixando claro os critérios adotados.

Sua carreira, sua responsabilidade

PLANO DE CARREIRA

Como você pode ver, existem empresas que têm um plano de carreira bem estruturado (outras nem tanto). E existem aquelas de crescimento rápido que não conseguem definir o percurso dos funcionários tão claramente. Sabe o que isso significa?

Significa que você não deve deixar sua carreira somente nas mãos das empresas. É o que os especialistas chamam de “career joint venture” – empreendimento conjunto de carreira. Ou seja, responsabilidade compartilhada.

Aliás, você pode planejar a sua carreira mesmo antes de começar a trabalhar. E, principalmente, invista em desenvolver duas habilidades: flexibilidade e adaptabilidade.

Elas são essenciais quando se pensa em longo prazo, já que vivemos num mundo de mudanças rápidas e constantes, o que faz da incerteza sobre o futuro a nossa única certeza no momento.

Dicas para planejar a própria carreira

Se o que a empresa lhe oferece está em sintonia com o que você busca para sua vida, ótimo. Siga as orientações do seu líder e dê o seu melhor. Mas, talvez, o plano da organização não coincide com o seu objetivo de carreira e com o que você ama ou o que lhe fará realizado.  

Não faz diferença em que situação você se enquadra. Você precisa, sempre, ter claro o seu objetivo de vida. E isso inclui a sua carreira. O ideal é começar a pensar sobre isso bem cedo. Veja o que fazer:

  1. Identifique os seus pontos fortes e faça uma lista daquilo do que você se orgulha de ter realizado e as atividades que lhe dão prazer ao executá-las. Faça uma lista de opções de carreiras relacionadas aos seus interesses, habilidades e valores. Atividades voluntárias e estágios, por exemplos, podem ajudá-lo a priorizar o que é mais importante para você.
  2. Agora vá para as habilidades transversais, aquelas que tornam você especial entre os demais. Por exemplo, alto poder de persuasão. Isso é excelente para quem trabalha com vendas. Lembre-se que algumas habilidades podem ser aprendidas ou aprimoradas.
  3. Avalie quais setores ou empresas lhe interessam. Você pode começar avaliando o que mais gosta de fazer ou focando na empresa que lhe desperta paixão (neste caso, avalie como suas habilidade se encaixam nesses locais).
  4. Considere fatores que vão além das preferências pessoais. Por exemplo: o seu campo tem muita procura? Exige treinamento intenso? Você está disposto a fazer sacrifícios, inclusive, na sua vida pessoal? Faça um monte de perguntas.
  5. Defina suas metas em curto prazo (um ano ou menos) e metas em longo prazo (cinco anos). Faça um plano de ação com data para conclusão. Planejamento de carreira em longo prazo não significa marcar um local exato no futuro onde se quer estar, porque isso é quase impossível em função de tantas incertezas. Assim, o importante é pensar em expandir sempre a experiência, as habilidades, a rede de contatos (networking) e a mentalidade, preparando-se para todos os tipos de mudanças.
  6. Execute o seu planejamento e faça acompanhamento frequente. Invista pesado em seu marketing pessoal.

Tem uma habilidade que é indispensável para qualquer pessoa, independente da função e do nível hierárquico. Estamos falando de relacionamento interpessoal. Algo que pode impulsionar a sua carreira e levar você mais longe dentro das organizações.

Então, que tal seguir a nossa sugestão de leitura e conhecer o guia clássico e definitivo para relacionar-se com as pessoas. Estamos falando do livro

Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas – Dale Carnegie

PLANO DE CARREIRA
Os conselhos, métodos e as ideias de Dale Carnegie já beneficiaram milhões de pessoas e permanecem completamente atuais. Nesta obra, ele fornece técnicas e métodos simples para que qualquer pessoa alcance seus objetivos pessoais e profissionais.

Esse livro é tão bom que já foi reeditado 51 vezes e tem mais de 50 milhões de cópias vendidas em todo mundo. O resumo desse best-seller está no 12 Min. Imperdível.

Curtiu esse post? Compartilhe conosco seus comentários. E boa leitura!

Tony Robbins: quem é ele e por que tem feito tanto sucesso

Anthony Robbins, ou Tony Robbins, é um dos palestrantes mais fascinantes do mundo. Em seus seminários que mais parecem shows, o escritor fala sobre como podemos encontrar nossa força interior e já ajudou milhões de pessoas. Para você ter uma ideia, ele foi treinador de personalidades como Princesa Diana, Bill Clinton e Martin Sheen.
Se você assistiu ao documentário “I am not your guru”, da Netflix, sabe do que estamos falando. Se não viu, assista ao trailer para ter um gostinho:
Neste artigo, vamos falar sobre quem é Tony Robbins e o que faz ele ser um palestrante motivacional tão incrível. Você vai saber mais sobre seu trabalho e os livros que escreveu. Vamos lá?

Quem é Tony Robbins

Tony é um empreendedor, filantropo, estrategista de negócio, coach e responsável por popularizar a Programação Neuro-Linguística, abordagem de desenvolvimento pessoal psicoterapêutica.
Seus livros já foram para as listas de best-sellers e ele treinou milhões de pessoas por meio de vídeos, áudios e palestras. O objetivo das aulas é mudar a forma como vemos a nós mesmos e somos vistos pelo mundo, atingindo o sucesso pessoal e profissional.
Para conseguir esse feito, ele faz seminários que podem durar 14 horas nos quais a atividade é intensa: muita dança, pulos, gritos, etc. Ele se prepara como um atleta para dar conta disso. É difícil, mas é sua paixão.
Causar impacto e motivar pessoas é a missão de vida de Tony Robbins. O foco é tornar seus “estudantes” mais seguros de si e prontos para causar mudanças em suas próprias vidas.
Para você compreender um pouco mais quem é Tony Robbins, explicamos a rotina matinal dele, que pratica todos os dias antes de sair para fazer seus seminários e motivar as pessoas. Você vai ver como ele é especialista em desenvolver o próprio potencial e por isso ajuda tantas pessoas.
tony robbins

Conheça a rotina matinal de Tony Robbins

O portal InfoMoney divulgou em uma matéria a rotina matinal de Tony Robbins. Quem sabe você não entende um pouco sobre quem é esse cara? Veja:

Acorda cedo e toma um banho frio

Tony pode chegar a visitar seis países em menos de 15 dias. Ele não tem tempo para descansar de verdade enquanto está em tour. Mas não dispensa os 15 minutos embaixo de uma ducha fria ou mergulhando na piscina.
Em algumas ocasiões em que é possível, ele entra em lagos congelados. Sim! O coach sente seu corpo todo acordando com o frio e isso o motiva e não assusta. Outra forma de fazer isso é com a crioterapia de corpo inteiro, que ele descobriu com atletas da NBA.
Trata-se de um tratamento japonês para artrite que utiliza nitrogênio líquido para diminuir a temperatura da pele para algo entre 10 e 1 grau celsius durante três minutos. É indolor e forma ondas de endorfina pelo corpo.

Tempo para você

Tony Robbins explica que você precisa ter um tempo para si mesmo de manhã. Sem isso, seu dia não começa bem e sua vida está refém do trabalho. Não é necessário ter uma máquina de crioterapia, mas criar hábitos saudáveis e só seus é importante.
Tony explica um ritual que faz todos os dias:

  • Respiração: três séries de 30 respirações Kapalabhati Pranayama, técnica de respiração da yoga, indicada para quem já está em estágio avançado.
  • Gratidão: Tony Robbins pensa em três coisas pelas quais é grato e as mentaliza.
  • Reza: o último passo é um exercício espiritual, mas que não tem necessariamente a ver com religião. Ele deseja coisas boas para as pessoas que ama e estão à sua volta.

Alimentos

Depois que fez tudo isso, Tony faz seu café da manhã, com peixe e salada. Parece estranho, mas é altamente nutritivo.

Livros de Tony Robbins

Agora que conhecemos um pouco do mundo de Tony Robbins, saiba mais sobre seus livros.
tony robbins

Poder Sem Limites – O Caminho do Sucesso Pessoal

Com seus seminários e aulas, Tony Robbins já provou para milhões de pessoas que elas têm mais potencial do que imaginam. Quer ser mais uma delas? Leia Poder Sem Limites e descubra seus poderes, aprenda a conhecer seus princípios e a controlar seu estado mental.
Nessa obra, o autor fala sobre como podemos aumentar a nossa qualidade de vida utilizando os poderes de nossa mente e alcançando a máxima performance. Se seu objetivo é ter o controle de qualquer coisa, seja vida financeira ou emocional, precisa conferir.
Leia o microbook baseado nessa obra aqui.
tony robbins

Desperte Seu Gigante Interior – Como Assumir o Controle de Tudo em Sua Vida

Sentimentos influenciam nossas vidas completamente. Ditam as decisões, os caminhos para conseguir as coisas e as prioridades. Conhecê-los e estar em controle deles pode alterar completamente os acontecimentos.
Se você quer aprender a ser mais racional e canalizar suas emoções para o lugar certo, não pode deixar de ler. Tony vai levá-lo a uma jornada interior que tem poder de mudar seus hábitos e quem você é – para melhor.
Leia o microbook aqui e pegue os principais ensinamentos.
Outros livros de Tony Robbins:

  • Passos de Gigante – 365 exercícios diários para manter você no caminho certo em busca de seus objetivos.
  • Mensagens de um Amigo – leitura para manter na bolsa ou no carro o tempo todo, com exercícios simples e práticos para aumentar seu poder interior.
  • Money Master the Game – guia para uma vida financeira mais saudável e livre.

Agora leia algumas frases de Tony Robbins para sair deste post um pouco mais inspirado.

Frases de Tony Robbins

Pessoas de sucesso fazem as perguntas certas e, como resultado, conseguem melhores respostas.

  • Determinar objetivos é o primeiro passo para transformar o invisível no visível.
  • Seja comprometido com as suas decisões, mas seja flexível com a abordagem.
  • O único limite para o seu impacto é sua imaginação e comprometimento.
  • Não existe fracasso. Apenas resultados.

E aí, o que achou do Tony Robbins? Não deixe de acompanhar esse cara incrível para conquistar todos os seus sonhos. Na plataforma do 12min, temos outros títulos de Motivação e Inspiração – confira toda a sessão clicando aqui. Você vai encontrar livros sobre Steve Jobs, aprender a lidar melhor com a vida financeira e muito mais.
Gostaríamos muito de saber o que você achou deste conteúdo. Deixe seu comentário abaixo! E happy reading 😉

Profissões do futuro: 10 novas carreiras para os millennials

A tecnologia mudou a realidade e uma de suas consequências foi o surgimento de novas carreiras que estão agora mais modernizadas, diferenciadas e que podem ser associadas a novas áreas que têm se destacado no mercado.
A internet, por exemplo, foi um dos principais agentes de mudança nesse contexto. Isso porque ela trouxe consigo praticidades que antes não poderiam se quer ser imaginadas. Por exemplo, o serviço à distância, hoje chamado de home office.
A modernização tecnológica abriu novas portas!
Perfeitas para as novas gerações que estão surgindo, essas novas carreiras prezam, sobretudo, pela agilidade, pois esta é a década da informação, que é rápida e bastante precisa.
Para os mais antigos, ou seja, aqueles com mais tempo de mercado, tais profissões podem ser completamente incompreensíveis. Isso porque elas estão pautadas em tecnologias que surgiram mais recentemente. Portanto, são mais bem compreendidas pela geração Y, que são os chamados millennials.
É claro que qualquer pessoa que queira aprender mais e que esteja disposta a mudar de carreira pode e deve investir tempo para aprender e realizar essas novas atividades. Mas principalmente agora, o grupo mais atingido pelas novas carreiras tem sido o dos millennials.
Aliás, você sabe quem são os millennials? Faz ideia se você realmente faz parte da geração que está pronta para receber essas novas carreiras como oportunidades de mercado para se profissionalizar e crescer?
Quer entender mais sobre tudo isso?
Neste post, vamos te mostrar algumas informações importantes sobre esse assunto e você conhecerá as principais tendências em novas profissões para os próximos anos.

Millennials: novas carreiras feitas sob medida para esta geração

novas carreiras 12 minutos 2
Chamados de millennials, geração Y ou ainda a geração da internet, esse grupo é formado pelos nascidos a partir dos anos 80 e que hoje possuem menos que 40 anos.
Tendo visto o surgimento e a expansão da tecnologia, sobretudo virtual, os millennials estão mais preparados para assumir cargos em que o uso da internet é um fator importante, ou até mesmo decisivo, para a execução das atividades.
Eles estão mais dispostos também a abraçar oportunidades que vão completamente contra o estabelecido pelo mercado tradicional de trabalho. Por exemplo, ter o registro na CLT, tempo de casa e horários fixados.
No geral, entre as novas carreiras que os millennials procuram para si, se destacam aquelas com características de maior flexibilidade e liberdade. Isso contribui com a qualidade de vida e acaba por exigir mais investimento intelectual para que o crescimento na área continue.
Aliás, por falar em desafio, a geração Y gosta de ser desafiada e geralmente aceita as novas oportunidades do mercado, encarando cada uma delas de frente.
Ser dona de seu próprio negócio, ter estabilidade e liberdade financeira também são outras das características dessa geração que está a pleno vapor, no auge de seu trabalho hoje em dia.
Você faz parte da geração dos millennials? Nasceu depois de 1980 e possui algumas das características que foram anteriormente mencionadas aqui?
Se suas respostas foram sim, com certeza você se interessará pelas novas carreiras feitas sob medida para esse público.

10 novas carreiras para o futuro

Agora que você conferiu em que contexto estão surgindo essas novas carreiras no mercado de trabalho, vale a pena destacar quais são as principais e que devem estar em alta ao longo dos próximos anos.
Aproveite para conferir em quais dessas áreas você poderia ser alocado e comece a estudar e investir agora mesmo nessas profissões. Assim, você conseguirá conquistar as melhores vagas de trabalho segundo as tendências aqui apresentadas.
É como diz aquele ditado: “escolha uma carreira da qual você goste e não terá que trabalhar nenhum dia sequer de sua vida.”

1. Arquiteto de realidade aumentada

Realidade aumentada é uma tecnologia de ponta que surgiu recentemente e que ainda tem muito que crescer.
Trazendo objetos virtuais para o mundo real, essa matéria une o físico ao digital de modo que um contribua com o outro.
Uma nova carreira que surge nesse contexto é de arquitetos que atuam em RA (realidade aumentada). Mais do que fazer projetos completos de construções, dentro em breve, tais profissionais terão que proporcionar essa realidade para o cliente antes de dar início às fases de construção.

2. Coaching e consultoria em várias áreas

Uma profissão que já está em alta e que é em muito facilitada pelos mecanismos virtuais é o coach.
Ser coaching ou consultor em áreas como administração, gestão de recursos humanos, contabilidade, economia, estética, moda e muito mais também continuará sendo destaque.
Orientar pessoas e, principalmente, ajudá-las a organizar seu tempo é uma profissão que tem atraído muitos interessados e que vale a pena investir.

3. Consultor de vida fitness

Entre as novas carreiras, não poderiam ficar de fora aquelas que prezam e estimulam uma vida mais saudável, o estilo fitness.
Seja orientando treinos na academia ou dando dicas de cardápios e dietas, a tendência é que surjam mais profissionais nessa área.
Para tirar de letra e ser expert no assunto, a dica é se preparar investindo em cursos que complementam a área profissional, como estudando educação física ou nutrição.

4. Desenvolvedor de aplicativos e softwares

Hoje, essa profissão já está super em alta. Porém, a tendência é que simplesmente expanda ainda mais, ganhe mais mercado. Por isso, precisará de um maior número de especialistas atuando na área.
Dos mais simples aos mais complexos aplicativos e softwares, qualquer um que queira atuar por aqui deve saber que, apostar nos diferenciais e deficiências, ou seja, naquilo que ainda não existe, é um ótimo caminho.

5. Especialista em experiência do usuário

O termo experiência do usuário também é relativamente novo, o que reafirma a importância de uma nova carreira na área. Ele diz respeito à forma como o cliente percebe um determinado produto ou marca.
Ser especialista aqui significa garantir, a partir das melhores estratégias, que o cliente sempre sinta-se encantado e completamente satisfeito em cada contato que é feito com o negócio.
É indispensável, ainda, que esse profissional saiba mensurar essa experiência a fim de melhorá-la continuamente.

6. Especialista em marketing digital

Essa é uma carreira que já está em evidência e que tem feito muitas pessoas mudarem de vida. Afinal, todos os negócios precisam estar no ambiente virtual.
São justamente esses especialistas que ditam como e quando cada campanha deve ser lançada a fim de que melhores resultados sejam conquistados.
O marketing digital é relativamente novo, porém, já possui muito estudo e indicações que garantem o sucesso.
Cabe àqueles que querem se especializar nessa área partir para seu estudo agora mesmo.

7. Freelancer

Profissional freelancer é aquele autônomo que faz seus dias e horários e trabalha de forma terceirizada para outras empresas, sem vínculo empregatício e recebendo por sua produção.
São muitas as áreas que aceitam esse tipo de profissional hoje em dia, como criação de conteúdos, criação de projetos de publicidade e propaganda, digitação, projetos gráficos, edição de vídeos, entre muitos outros.
No geral, o freelancer utiliza-se de seus próprios recursos para organizar sua rotina de trabalho, entregando apenas o produto final ao contratante, que pode ser um intermediário ou o cliente final.

8. Gestor de mídias e redes sociais

Outra nova carreira que já está ganhando visibilidade no mercado atual refere-se à gestão de mídias e de redes sociais, importantes meios de comunicação entre empresas e clientes hoje em dia.
Para ter sucesso como profissional dessa área, é indispensável saber utilizar mecanismos e recursos que emitam dados e relatórios.
Além disso, é necessário ainda conhecer tudo sobre marketing digital para usar suas estratégias na hora de administrar e lançar campanhas em canais como Facebook, Instagram e LinkedIn.

9. Influenciador digital

Uma das novas carreiras que mais tem pessoas interessadas, mas em que é preciso investir realmente pesado para ter retorno, é a de influenciador digital.
Ser influenciador digital significa, resumidamente, ter muitos seguidores nas redes sociais e ganhar para indicar a este público produtos, serviços e marcas.
Blogueiros e socialites têm sido destaque como influenciadores digitais. Mas outras pessoas também podem assumir esse papel, desde que se dediquem um pouco para atrair olhares interessados.
Se você influencia as pessoas, ou se tem bastante seguidores, a hora de investir nesse tipo de carreira pode ser justamente agora.

10. Home office em diferentes segmentos

Não sendo especificamente uma profissão, mas valendo citar, o home office, serviço de casa, é outra das grandes tendências para os próximos anos.
Procurando livrar-se do trânsito e de passar o dia todo longe de casa, muitos profissionais passaram a ter seus escritórios dentro de seus lares. Isso os ajuda a unir o útil ao agradável, e é claro que essa é uma tendência bem vista.

Conclusão

Ao longo de todo este post, você pode conferir quais são as novas carreiras e as novas tendências profissionais que mais têm sido procuradas e que estão repletas de oportunidades neste milênio.
Como deve ter reparado, grande parte está associada à internet, que é justamente o agente de mudança da modernidade que possibilitou essa abertura que hoje é entendida como uma oportunidade para novas profissões.
Gostou dessas dicas e quer começar uma nova carreira, mas ainda não sabe como? Aprenda, neste post, como ganhar dinheiro com a internet, sem precisar sair de casa.
________________________________________________________________________________
novas carreiras hotmart-logohotmart-logo 12 minutos Guest post produzido pela equipe da Hotmart.

Os 10 segredos de como lidar com pessoas difíceis no trabalho

Aprendendo a lidar com pessoas difíceis para garantir sua saúde e salvar seu emprego

Pessoas difíceis estão por todos os lados. Nas empresas também. São homens e mulheres, de variadas idades, sugando as energias da equipe, causando problemas e contaminando o clima organizacional. Quer saber como lidar com pessoas difíceis?
Às vezes, dá até vontade de chorar, arrancar os cabelos ou gritar. Tem horas que você pensa em “chutar o balde” e até trocar de emprego. Mas, acredite, essas não são as melhores atitudes.
Se você perder a paciência, você pode perder também seu trabalho e, ainda, arruinar a sua carreira. O ideal é investir em relações interpessoais positivas, contornando as dificuldades.
É fácil? Claro que não. É desafiador, mas possível. Muita gente utiliza técnicas de como lidar com pessoas difíceis para sobreviver na empresa, crescer profissionalmente e ter saúde.

Mas, o que é uma pessoa difícil?

Se existe uma pessoa difícil na sua equipe, então você sabe exatamente do que estamos falando. Se esse não for o seu caso, você é um grande sortudo – ganhou sozinho na Mega-Sena acumulada.

No ambiente organizacional, uma pessoa difícil pode ser o chefe, um colega de trabalho, o cliente, o fornecedor, um acionista, enfim, qualquer pessoa. Cuidado para não ser você.
A pessoa difícil pode ser aquela desagradável, que só abre a boca para falar coisas ruins ou negativas. Que reclama de tudo e de todos, que acha que o chefe é um incompetente, que a empresa não presta, que o cliente é chato e que tudo está perdido.
Alguns não sabem ouvir. A situação fica mais grave e exige maior habilidade de relacionamento quando a pessoa difícil está detonando com a sua credibilidade.
O difícil compete com os demais por poder, vantagens e atenção. Sem contar aqueles agressivos e intimidadores.
O fofoqueiro também é uma pessoa difícil, que contamina o ambiente. O mesmo vale para o leva-e-trás e para aquele irritante, que compartilha com a equipe, diariamente e minuciosamente, os problemas com a esposa, com os filhos e com os vizinhos.
Na lista dos difíceis estão as pessoas que se recusam a obedecer hierarquias, não cumprem prazos, os que não compartilham méritos das conquistas, os sabem-tudo que são sempre os melhores.
Difíceis também são os desleixados, que não tomam banho, usam roupas sujas, não escovam os dentes e não são adeptos do desodorante. Enfim, a lista é enorme.
Agora, vamos ao que importa: como lidar com pessoas difíceis no trabalho sem perder a saúde, a paciência e o entusiasmo?

Aprendendo a lidar com pessoas difíceis

A qualidade dos relacionamentos que você desenvolve com os colegas de trabalho podem jogar sua carreira para cima ou pra baixo.
Por exemplo, um diploma de Harvard e anos de experiência podem não garantir o seu sucesso profissional se você não tiver habilidade para lidar com pessoas. Então, faça a sua parte.
Ficar reclamando o tempo todo com o chefe certamente não é uma opção legal. Ele pode começar a duvidar da sua capacidade de gerenciar problemas. Então, como lidar com pessoas difíceis?

Os 10 segredos de sobrevivência para saber como lidar e como liderar pessoas difíceis

Aplicar algumas técnicas de como lidar com pessoas difíceis no trabalho pode tornar o seu dia a dia mais fácil.

  1. Autoconsciência

Nenhuma estratégia vai funcionar se você não souber gerenciar suas próprias emoções. Então, comece por você mesmo.
Avalie se o que a outra pessoa está fazendo é realmente um problema ou se você está exagerando. Identifique se o seu comportamento não estaria desencadeando alguma reação negativa no seu colega.
E, também, tenha consciência dos seus limites, identificando claramente até onde você pode aguentar.

  1. Mantenha a calma

Perder o controle, brigar, discutir, gritar, mandar o colega pro inferno ou fazer piadinhas de mal gosto não vão ajudar você. Pelo contrário, a raiva e o sarcasmo podem aumentar o problema.
Seja inteligente e jogue a seu favor. Uma pessoa calma e educada com os outros passa imagem de autocontrole e é mais respeitada. Isso soma a seu favor, inclusive, facilitando o relacionamento e o diálogo com a pessoa difícil.

  1. Identifique a raiz do problema

Parta do princípio de que, na grande maioria dos casos, a pessoa não é difícil simplesmente porque ela quer. Sempre existem motivos que, direta ou indiretamente, influenciam os comportamentos de todos nós.
Então, tente ir na raiz do problema para descobrir o que faz a pessoa agir desse jeito. Atente-se à linguagem corporal dela para ler os sentimentos e conhecê-la melhor. Ela pode estar vivenciando alguma dificuldade.

  1. Valorize os relacionamentos

Lembre-se: atrás do difícil tem um ser humano. Assim, um toque mais pessoal nos relacionamentos pode abrir possibilidades para solucionar ou minimizar o problema.
De vez em quando, substitua o e-mail por uma conversa face a face ou vá até a mesa do colega ao invés de telefonar. Que tal chamar a pessoa difícil para almoçarem juntos?
Procure se informar mais sobre a vida dele fora da empresa também. Essa é uma maneira de fortalecer vínculo com uma pessoa e não apenas com um colega de trabalho.

  1. Aposte no diálogo

Jogar indiretas, fazer piadas sem graça, colocar bilhetinho anônimo no quadro de aviso ou um desodorante na gaveta da pessoa difícil são atitudes terríveis e que não melhoram o clima organizacional.
Ao invés de criar situações constrangedoras, a técnica de como lidar com pessoas difíceis sugere um diálogo franco e aberto. Mas seja respeitoso, objetivo e mantenha o controle emocional.
Fale do problema e não da pessoa. Mostre o impacto das atitudes dele sobre você. Mas cuidado para não expô-lo publicamente, o que pode ser embaraçoso e causar reações negativas.

  1. Apele para os amigos

Raiva, humilhação, medo, incertezas, impaciência, enfim, se for difícil demais para você enfrentar os problemas sozinho, compartilhe seus sentimentos com um colega da sua confiança.
Uma visão de quem está do lado de fora pode mostrar um ângulo diferente da situação. Vale a pena tentar esse caminho.

  1. Vire o jogo

Um colega difícil pode fazer de tudo para tirar você do sério. Resista às provocações dele e, também, ao seu impulso de “chutar o balde”.
É essencial que você controle-se para não entrar na jogada. Não tente se justificar, se defender ou se alongar em debates e discussões, porque é isso que ele procura.

  1. Ignore

Algumas vezes, simplesmente ignorar ou dar um assunto por encerrado é o caminho mais curto e menos doloroso. Mas pode ser perigoso também.
Se você tentou de tudo e decidiu sair de campo, aja com profissionalismo. Por exemplo, se um debate começar a ficar acalorado demais, não ponha lenha na fogueira. Ponha um ponto final com frase do tipo “sua opinião é válida”.
Em seguida, foque no seu trabalho e procure interagir com a pessoa difícil somente quando for realmente necessário.
No entanto, isso torna-se complicado, quando não impossível, se o difícil for o chefe ou alguém que tenha influência direta no seu trabalho.
Se esse for o caso, respire fundo e tome uma dose extra de paciência. Lembre-se especialmente de um dos itens citados anteriormente: mantenha a calma.

  1. Busque ajuda de cima

Você pode recorrer aos céus, mas estamos falando aqui de hierarquia. Se você tentou de tudo, ficou esgotado e sua produtividade vem despencando, converse com o seu chefe ou alguém da área de Recursos Humanos.
Esse, também, é um caminho delicado, porque você corre o risco de ficar mal perante a equipe. E o que é pior: se você não souber conduzir a situação com profissionalismo, poderá dar um “tiro no pé”.
Pense bem antes de chegar a esse ponto.

  1. Inspire-se na literatura

As prateleiras estão abarrotadas de livros (inclusive os digitais) e excelentes autores que dão verdadeiras aulas de como se comportar no trabalho para evoluir na carreira profissional. Assim, como dica final de como lidar com pessoas difíceis, recomendamos a leitura!
Carreira, produtividade, liderança, motivação, comunicação e networking, marketing, empreendedorismo… Enfim, há uma lista gigantesca de temas para orientar e inspirar os leitores.
Nós, do 12Minutos, selecionamos 4 títulos imperdíveis para você. Comece pelo best-seller “Como fazer amigos e influenciar pessoas”. Os ensinamentos de Dale Carnegie podem transformar a sua vida pessoal e profissional.
E anote na sua lista a outras excelentes sugestões:
como lidar com pessoas difíceis as-armas-da-persuasao-12-minutos
As armas da persuasãoRobert Cialdini
como lidar com pessoas difíceis As-48-Leis-do-Poder-12-minutos
As 48 leis do poderRobert Greene
como lidar com pessoas difíceis como-ter-um-dia-ideal-12-minutos
Como ter um dia idealCaroline Webb
Boa sorte 😉

Como escolher uma carreira da qual você realmente goste

No sistema em que vivemos, somos um tanto obrigados a saber como escolher uma carreira, ou pelo menos uma área, lá pelos 18 anos. Por mais que seja permitido consumir álcool nessa idade, por exemplo, não somos exatamente responsáveis por todas as partes da vida.
Mesmo assim, lá vamos nós, muitas vezes para a faculdade, estudar muito e se formar. Ok, mas e depois? Existe uma infinidade de escolhas e elas nem sempre precisam estar dentro do limite de um setor de mercado.
Isso sem contar que quem escolhe uma carreira acredita estar feliz nela por anos e um belo dia se vê cansado e querendo uma mudança. Totalmente plausível e, em muitos casos, executável.
Mas antes de fazer como o Chandler, de Friends, e ficar só se perguntando o que pode acontecer, que tal analisar melhor a sua vida e as opções disponíveis?

Listamos algumas dicas para você que está confuso sobre qual caminho escolher. Claro, nem sempre todas servem para você. Mas pratique um pouco de cada uma para ter certeza.
No processo, quem sabe não encontra o trabalho perfeito (mesmo que seja de coach de carreira)?
Vamos lá organizar as ideias?

Para saber como escolher uma carreira, aprenda sobre si mesmo

Seu primeiro dever de casa é aprender sobre si mesmo. Na verdade, nós nunca paramos de nos conhecer e isso é bom. Mas antes de sair mandando currículos ou criando um CNPJ, você precisa ir fundo nesse assunto.
E para efetivamente se entender melhor, aconselhamos que você faça o que achar que deve. Faça seu mapa astral, o teste das 16 personalidades ou siga esses 27 exercícios. Não importa, o que interessa é que você acredite naquilo e junte as informações que encontrar com o que realmente sente.
Se preferir algo mais business, pode tentar o DISC ou o teste do Vagas.com. E, claro, tem a opção ainda de contratar um profissional que te ajude nessa saga, caso você possa investir um pouco mais.
Um outro jeito de fazer isso é lendo. E não precisam ser livros de autoajuda! Você pode encontrar ensinamentos valiosos que vai levar para o resto da vida com a ajuda de autores especiais. Recomendamos:

Pronto para uma jornada? Mande ver nessas obras e anote tudo o que achar relevante para a sua busca por como escolher uma carreira perfeita.

Esqueça as carreiras da moda

Dependendo da fase em que você estiver na vida, talvez já esteja cansado de ver modas irem e virem. Assim como a escolha por roupas, a escolha de carreiras também têm seu hype. Por favor, não acredite nisso. Modas são o que são: coisas passageiras.
Isso sem contar nossa típica mania de acreditar que a carreira da outra pessoa é melhor que a nossa e então persegui-la. Também não é uma estratégia inteligente! As pessoas gostam de coisas totalmente diferentes. Tem gente que gosta de misturar batata frita com sorvete do Mc Donalds, veja bem!
Brincadeiras à parte, se não quiser cair numa furada, concentre naquilo que vai satisfazer você.
Uma boa nessas horas é conversar com as pessoas que têm aquela carreira que parece perfeita. Faça a pergunta do Net Promoter Score (se quiser saber o que é isso, leia A Pergunta Definitiva 2.0): você recomendaria o seu trabalho para um amigo ou familiar?
Muita gente vai dizer que não. Pode apostar. Mesmo os empreendedores mais apaixonados podem dizer que não recomendam porque o trabalho é duro. Agora, se mesmo com os “porquês” você achar que deve perseguir aquilo, jamais estaríamos aqui para te impedir.

Escolha mais um lifestyle do que uma carreira

Olhe para a vida que as pessoas têm e avalie se é aquilo que quer fazer. Queremos dizer todos os aspectos. Quem soube como escolher uma carreira que é seu sonho passa tempo suficiente com a família? Vai ao cinema na quarta-feira? Isso seria importante para você?
Saber como escolher uma carreira da qual você realmente gosta não é sobre apenas ser bem sucedido profissionalmente, mas ser feliz. Mark Zuckerberg, por exemplo, poderia ter tido uma vida calma, talvez como programador de alguma empresa.
Ele preferiu ser empreendedor porque tinha o brilho nos olhos com seu projeto. Deu muito e muito certo. Mas temos que combinar que ele teve que passar alguns perrengues antes de poder curtir a família, ter um clube do livro e investir tempo para criar um filho, certo?
Isso sem contar o investimento financeiro, especialmente para quem quer ser empreendedor.

Não fique obcecado

Pensar sobre como escolher uma carreira para perseguir é quase um novo trabalho. Você vai se ver olhando para listas de vagas durante horas a fio e lendo artigos dos especialistas na área até de madrugada. Mas evite a obsessão.
Lembre-se de que tudo leva tempo, especialmente escolhas e mudanças. Tudo bem se para decidir você tiver que fazer um curso de 6 meses. Uma hora, o caminho certo aparece.
Evite também ser muito cabeça dura sobre isso. Se no meio da sua busca por uma colocação em uma nova carreira você se deparar com outra que tem certeza de que irá gostar, não se desespere. Pese alguns prós e contras e vá fundo.
Mais algumas questões que você pode fazer a si mesmo para escolher a carreira perfeita:

  • O que seus amigos e familiares dizem que você sabe fazer?
    • Estar em um emprego satisfatório pode significar que você sabe o que está fazendo, não que exatamente cai de amores por aquilo.
  • O que você mais gosta no trabalho/curso que está fazendo agora?
    • Destacar esses pontos pode ajudar a afinar a busca.
  • Pelo que você quer ser reconhecido?
    • Ter salvo a Amazônia da devastação ou vendido todas as cópias de um livro no primeiro dia?

Boa sorte na busca!
E conte com nossos clássicos para acompanhá-lo na busca de como escolher uma carreira. Você pode encontrar vários dos melhores autores de não ficção do mundo dos negócios na plataforma do 12’. Confira agora! E não deixe de baixar os aplicativos para Android e iOS 🙂