5 profissões para quem gosta de trabalhar sozinho

Você já deve ter percebido que está cada vez mais comum encontrarmos profissionais que preferem trabalhar sozinhos. E, graças aos recursos tecnológicos e à internet, muitos têm conseguido transformar esse sonho em realidade.

Existem vários motivos que fazem as pessoas preferirem esse tipo de trabalho.

Algumas não querem sair de casa para trabalhar, seja por causa do trânsito, da dificuldade para se concentrar em outros ambientes ou até mesmo por quererem conciliar o trabalho com outros compromissos, como família, estudos, outros projetos e viagens, por exemplo.

Já outros querem se tornar empreendedores e responsáveis por suas próprias carreiras, ter mais autonomia sobre as suas decisões e, ainda, pela possibilidade de trabalhar com aquilo que gostam.

Independentemente de qual é o seu perfil, se você se identifica com algum desses e também tem interesse em trabalhar sozinho, não pode deixar de ler este post.

Nós separamos 5 profissões que oferecem essa possibilidade e mostramos como você pode atuar em cada uma delas.

  1. Freelancer

Ser freelancer é uma das maneiras mais conhecidas de trabalhar sozinho.

O freelancer é um profissional liberal que não mantém vínculos empregatícios. Ou seja, os seus serviços podem ser contratados por pessoas ou empresas, são prestados de forma autônoma e por um período de tempo determinado.  

Existem várias oportunidades para quem tem interesse em trabalhar como freelancer, principalmente dentro do mercado digital.

A internet facilita a comunicação entre os profissionais e as pessoas que buscam serviços, além de permitir que vários trabalhos sejam feitos remotamente, sem a necessidade do freelancer comparecer a algum espaço físico e se encontrar com colegas e chefes.

É por isso que quem tem experiência em alguma área pode usar o que sabe para começar a prestar serviços como autônomo.

Assim, a pessoa se torna praticamente a única responsável por gerir o seu tempo, a quantidade de trabalho, o tipo de atividade exercida e os clientes que deseja atender.

Entretanto, por mais que esse não seja um emprego fixo, o freelancer ainda precisa cumprir prazos e negociar regras e detalhes com os clientes.

Principalmente no início, quando o profissional ainda não tem experiência, pode ser preciso aceitar alguns projetos que não são exatamente aquilo que ele gostaria, pois somente assim ele vai conseguir se aperfeiçoar e ganhar autoridade no mercado.

No entanto, quanto mais você trabalhar, mais confiança e credibilidade vai adquirir.

Com a prática, você vai começar a compreender o tempo que gasta para cada trabalho, quais são os seus pontos fortes, as suas dificuldades, o que te diferencia dos concorrentes, entre outras características.

Tudo isso vai te ajudar na construção de um portfólio ou currículo de qualidade para apresentar para os clientes e conseguir cada vez mais projetos.

Conheça algumas das profissões que permitem o trabalho como freelancer:

  1. Designer

Se você é designer, também vai encontrar várias oportunidades no mercado para trabalhar sozinho, seja como freelancer ou abrindo o seu próprio negócio.

Como a profissão envolve vários tipos de serviço, resolvemos reservar um tópico apenas para falar dela. Assim, fica mais fácil para você compreender todas as possibilidades que a área oferece.

Hoje, com o crescimento do mercado digital, muitas empresas têm tido dificuldade para ocupar a internet de maneira assertiva e atrativa para os clientes.

Por isso, as empresas têm recorrido a designers autônomos para melhorarem a sua imagem e se destacarem, seja através do seu site, do blog ou até mesmo das redes sociais.

Se você tem experiência nesse tipo de serviço e está se perguntando como trabalhar sozinho, pode começar a oferecer seus serviços de criação de conteúdo visual personalizado para as marcas.

São várias peças digitais que podem ser criadas por um designer:

  • Logotipos;
  • Infográficos;
  • Imagem de perfil para redes sociais;
  • Imagem de capa para redes sociais;
  • Identidade visual para blogs ou sites;
  • Ilustrações, entre outros conteúdos para compartilhamento.

Também existem várias possibilidades para quem prefere criar produtos gráficos para serem impressos, como:

  • Banners;
  • Panfletos;
  • Jornais;
  • Revistas;
  • Cartões de visita;
  • Adesivos;
  • Embalagens etc.

Se você tiver conhecimento na área de design e ainda souber um pouco de programação, também pode trabalhar com a criação de layouts para aplicativos, sites ou outros produtos digitais.

A diferença é que, nessas oportunidades, você vai precisar entender como o produto funciona no geral, para entregar um layout que realmente vai se adequar e funcionar exatamente como o esperado.

  1. Produtor

Sabe todo aquele conhecimento que você tem sobre um assunto específico?

Pode ser a sua profissão, aquilo que você faz como hobby ou alguma atividade na qual você tenha bastante experiência.

Que tal usar isso para produzir conteúdo e ganhar dinheiro?

O produtor é o profissional que transforma o que sabe em um produto que será vendido para outras pessoas. No mercado físico, o produtor pode ser artesão, costureiro, cozinheiro, escritor ou professor.

Já o mercado digital amplia bastante as possibilidades para quem deseja trabalhar sozinho criando um produto. Afinal, um produto digital tem um alcance maior de clientes, além de oferecer escalabilidade de lucros para o profissional.

Se quiser trabalhar na área, você pode criar um curso online ou algum outro produto digital para ser comercializado na internet, como e-books e podcasts.

Independentemente do formato de seu produto, você vai precisar ser um especialista na área escolhida e ter facilidade para se comunicar com o público, pois o seu produto precisa transmitir tudo aquilo que você sabe.

Pode ser uma matéria do ensino regular ou algum conhecimento específico relacionado à alimentação, saúde, cultura, informática, política e vários outros temas.

Essa profissão pode ser uma opção tanto para quem quer começar uma nova carreira quanto para aqueles que buscam apenas ganhar uma renda extra.

  1. Afiliado

Com o crescimento do mercado de produtos digitais, o trabalho de afiliado também começou a ser mais valorizado.

Se você nunca ouviu falar no termo, vamos definir exatamente o que é um afiliado e como ele trabalha.

Essa profissão tem sido escolhida por muitas pessoas que querem ter um negócio digital, mas não têm conhecimento ou interesse em criar um produto próprio.

Diferente do produtor, que precisa ter todo o conhecimento para criar um produto, o afiliado precisa entender tudo sobre estratégias de marketing e ser um bom vendedor.

Ele não trabalha na criação, mas sim na divulgação do produto de outras pessoas, fazendo com que o cliente conheça o trabalho do produtor e chegue até ele para realizar a compra.

O afiliado pode promover produtos físicos ou virtuais, o que importa é que ele estude e conheça detalhadamente o consumidor que precisa alcançar.

Nesse formato de trabalho, o profissional divulga links para o produto e recebe comissões pelas vendas efetuadas.

Para facilitar esse trabalho, existem vários programas de afiliados que contam com uma plataforma online, geram os links codificados e intermediam a relação entre produtores e afiliados.

  1. Dono de e-commerce

O termo e-commerce, traduzido para português como comércio eletrônico, é bastante difundido atualmente.

Contudo, nem todo mundo sabe exatamente o que é e como funciona, por isso as pessoas acabam chamando todas as lojas virtuais de e-commerce. Mas isso não é o correto.

Para ser chamada de e-commerce, a loja deve vender apenas produtos de uma única empresa ou revendedor.

Já as lojas que funcionam como intermediadoras para várias empresas venderem os seus produtos são conhecidas como marketplaces.

Cada um desses formatos tem as suas vantagens e desvantagens, mas o e-commerce oferece mais flexibilidade para o profissional criar o seu próprio layout, personalizar a comunicação com os clientes e oferecer produtos específicos para um nicho mais segmentado.

No seu e-commerce, você pode vender produtos físicos, como alimentos, cosméticos, roupas, objetos decorativos, produtos de higiene e por aí vai.

É possível vender o que você mesmo produz ou se tornar revendedor de uma marca específica. Independentemente do que você escolher, saiba que você precisa organizar toda a logística para ter estoque e fazer a entrega dos produtos para os consumidores.

Muitas vezes, são esses fatores que impedem que os empreendedores levem os seus projetos adiante e abram os seus e-commerces.

Se você também não quer ter que se preocupar com isso, mas ainda assim quer trabalhar com vendas online, há sempre a opção de ser um afiliado (que falamos no tópico anterior).

Comece a trabalhar na internet

Todas essas profissões são ótimas opções para quem quer trabalhar sozinho. Entretanto, pode ser que, futuramente, você precise da ajuda de outras pessoas para dar continuidade ao seu trabalho e conseguir atender toda a demanda.

Se isso acontecer, você pode abrir o seu próprio negócio e contratar funcionários para realizar as tarefas mais operacionais, enquanto você foca apenas na parte mais estratégica do seu negócio.

A experiência de trabalhar sozinho vai te dar os recursos necessários para treinar as pessoas contratadas e otimizar os seus resultados.

Se você está buscando mais opções de trabalhos para transformar a sua carreira, saiba que existem várias outras possibilidades para quem quer trabalhar online. Para se inspirar, confira neste post 30 ideias de produtos para vender na internet.

Guest post produzido pela equipe da Hotmart.

O que colocar na home page do site? 3 elementos e exemplos

A home page do seu site é a porta de entrada de muitos clientes.

Por mais que sua empresa tenha uma estratégia muito boa de SEO, com milhares de visitas em outros posts e páginas, a home page sempre será a referência do usuário para saber mais sobre a sua solução.

E quando ele decidir buscar por isso, você não vai querer que ele bata o olho e saia rapidamente, certo?

Por isso, criar uma home page simples, mas não simplista, e que leve o seu usuário até o caminho de conversão que você espera, pode ser um enorme desafio.

Existem três elementos essenciais que sua home page deve ter para encantar seu usuário e vamos falar sobre eles agora!

Para fechar, no final do post também colocamos alguns exemplos para ficar ainda mais claro estes conceitos.

Vamos lá?

Proposta de valor

A sua proposta de valor deve estar clara para o usuário no momento em que ele bater o olho no seu título principal (headline).

Quando for definir o que a sua home page, ou até mesmo outra landing page do site, deve entregar de informação para o usuário, lembre-se desses dois pontos:

  • Responda a essas três perguntas “Quem eu sou”, “O que eu faço” e “O que você pode fazer aqui”
  • Não faça o usuário pensar. Informações claras e direcionamento para ele dar os próximos passos até a conversão

Conteúdo

O formato do seu conteúdo influencia diretamente no aumento das taxas de conversão. Resumimos aqui os principais pontos na hora de construir sua home page:

  • Escolha uma palavra chave principal para otimizar o texto para SEO e algumas secundárias para ajudar no contexto.
  • Tente pelo menos ter de 500 a 800 palavras na home page.
  • Use palavras simples e fáceis de entender. Deixe os jargões do seu business e outros termos complexos de lado.
  • Frases de até 80 caracteres te forçam a escrever de forma direta, sem enrolação.
  • Parágrafos curtos de até três linhas dão fluidez ao texto e tira aquela visão de blocos enormes de textos.
  • Use títulos, subtítulos e lista de pauta para quebrar o texto. Deixe seu conteúdo “escaneável”, ou seja, mais fácil de entender os pontos principais só batendo o olho.
  • Não tenha medo de pular linhas e deixar espaços em branco na página. Aos olhos do usuário, seu conteúdo dará a impressão de ser leve e rápido de ler.
  • Use links internos para outras páginas importantes do site (página de preços ou funcionalidades, cases de seus clientes, etc.)
  • Escolha uma fonte de fácil leitura e deixe ela por volta do tamanho 14.

Copywriting

O Copywriting é uma técnica de escrita com foco comercial, que atua nos níveis conscientes e subconscientes do usuário sobre o leitor para gerar mais conversões ou vendas.

Um bom copywriting é aquele texto objetivo, que informa o leitor com uma leitura agradável e persuasiva.

Muitos dos tópicos que citamos anteriormente (como usar palavras simples, espaços em brancos, etc) já fazem parte do grupo de técnicas de copywriting.

Por isso, nesse tópico vamos focar na estratégias de psicologia da persuasão para atuar na mente do leitor e fazer com que ele diga “sim” ao seu produto e solução.

Reciprocidade

Esse princípio diz que o consumidor estará mais propenso a dizer “sim” para quem anteriormente te deu algum “presente”, benefício ou favor.

Ou seja, se você ajuda seu usuário, como uma consultoria gratuita, ele estará mais inclinado a adquirir seu produto ou serviço.

Compromisso e consistência

O ser humano tem a necessidade (inconsciente) de seguir algo que já tenha se comprometido anteriormente, seja uma simples escolha ou afirmação.

Nós temos o compromisso de seguir com essa escolha e ser consistente a nós mesmos. Questione o seu usuário quanto a uma situação cotidiana dele, de forma a fazer ele concordar.

Por exemplo: “Cansado de se perder em meio a dezenas de planilhas de Excel?” ou “As dietas que fazia antes não funcionam mais?”.

Empatia

A empatia é algo poderoso nas relações humanas, seja ela pessoal ou virtual. Não é à toa que outras áreas, como a de Vendas, também usam dessa estratégia para quebrar o gelo e criar um laço com o cliente.

Esse gatilho tem como objetivo criar afinidade e identificação com seus usuários. Ela pode ser usada em conjunto com o tópico anterior, trazendo a realidade do usuário para o conteúdo.

Autoridade

Demonstrar que você é autoridade no tema do seu business pode valer ouro para as taxas de conversão.

E como fazer isso?

  • Inclua prêmios que sua empresa ganhou
  • menções na mídia (jornais, TV, grandes blogs, etc)
  • liste clientes famosos de grande porte
  • utilize depoimentos de profissionais de renome na sua área para validar a qualidade do seu produto ou serviço.

Prova Social

Esse princípio também está ligado ao tópico anterior. O ser humano tem necessidade de se sentir parte de um todo, de uma comunidade.

Uma pesquisa revelou que cerca de 67% dos consumidores leem cerca de 6 reviews e depoimentos antes de finalizar uma compra.

Por isso, exemplos de outras pessoas que aprovam seu produto ou serviço são essenciais para a otimização da home page.

Você pode incluir:

  • Depoimentos de clientes reais
  • Reviews dos produtos
  • Lista de mais vendidos

Escassez

O senso de urgência é um dos mais poderosos gatilhos para desencadear o processo de compra. E a escassez ajuda a criar o senso de urgência.

Para usar esse gatilho reforce informações como de um produto que esteja perto de esgotar ou uma promoção que esteja perto de acabar.

Afinal, ninguém gosta de perder algo que outras pessoas estão adquirindo, certo?

Essas são algumas dicas básicas sobre o que é copywriting e como aplicá-los na sua home page.

Agora, vamos aos exemplos para deixar esses conceitos ainda mais claro.

Exemplos de home pages

Home page Evernote

A página inicial do Evernote é incrivelmente simples e cativante. Com três headlines poderosos que se alternam, o usuário consegue entender claramente a proposta de valor da ferramenta.

  • “Lembre-se de tudo”
  • “Organize-se”
  • “Tenha sucesso conjunto”

Finalizando com “Conheça o Evernote, seu segundo cérebro” de forma estática e abaixo o pequeno texto “Capture, organize e compartilhe notas de qualquer lugar. Suas melhores ideias estão sempre com você e sempre sincronizadas.”

A boa utilização do espaço branco dá leveza e “ar” para a página, dando foco no que é preciso. Para completar, logo ao lado um formulário de conversão com um CTA direto e ressaltando o benefício “Cadastre-se gratuitamente”.

Em seguida, as ilustrações e vídeos ajudam o usuário a entender as funcionalidades e visualizar como ele usaria o Evernote no seu dia a dia.

Um ótimo exemplo para se inspirar e criar sua home page. Confira ela completa aqui.

Home page Conta Azul

O outro exemplo que gostaríamos de compartilhar com vocês é essa da Conta Azul.  

Além de ter uma headline simples e direta “Controle sua empresa sem complicação”, o texto abaixo apresenta os benefícios com um texto empático, sugerindo que ele deve para de perder tempo organizando documentos e sim buscando novos negócios para ultrapassar o concorrente.

O CTA claro “Experimente Grátis” vem reforçado pelo compromisso de ser “sem compromisso” e “sem pedir cartão de crédito”, o que já tira algumas possíveis barreiras e objeções do usuário.

Mas o mais interessante foi que no momento que estávamos fazendo a pesquisa para trazer exemplos para o conteúdo, ela estava com um exemplo claro do princípio de escassez.

Um cronômetro que me dava 36% de desconto caso eu assinasse em até 30 minutos.

Outro ponto interessante da página foi a forma como eles encontraram de demonstrar as principais funcionalidades do software.

Um menu dentro da página permite que o usuário conheça as principais funções do software visualizando já o funcionamento com o auxílio da imagem ao lado.

Os elementos de prova social e autoridade também são fáceis de identificar.

A prova social é feita com um carrossel de depoimentos de clientes com fotos e textos.

Já a autoridade é validada com as logos de grandes mídias que citaram a Conta Azul, como Estadão e Harvard Business Review. Veja a página completa aqui.

Espero que essas dicas sobre o que colocar na sua home page tenha te ajudado a visualizar como as estratégias de otimização de conversão (CRO) são essenciais para melhorar suas taxas de conversão.

Conta pra gente, o que você tem feito para criar uma home page otimizada?

Esse post foi escrito por Rafael Damasceno, co-fundador da Supersonic, consultoria focada em Otimização de Conversão (CRO) que ajuda empresas no Brasil e Estados Unidos a melhorarem seus sites para transformarem visitantes em clientes.

Coworking: um mundo de possibilidades para você

Se você é uma pessoa que anseia por conhecimento. É sedento por novas descobertas. E jamais dispensa uma oportunidade de ampliar seu olhar para o mercado de trabalho. O texto de hoje é para você!

Vamos falar dos benefícios dos escritórios compartilhados, os coworkings, e como explorar da melhor forma possível tudo que esses ambientes tem a oferecer. Se você está certo de que esses escritórios se resumem à espaços físicos descolados, temos muito para conversar. Ah, e claro, empreendedores de plantão, fiquem atentos às dicas que daremos por aqui. Tudo que lhe parecer simples demais, precisa ser colocado em prática hoje mesmo.

Vamos lá?

Aprender, empreender, surpreender

Os coworkings são verdadeiras extensões das salas de aulas, afinal, você tem do seu lado um colega de mercado capaz de contribuir para seu desenvolvimento pessoal e profissional, seja em matemática ou gestão do tempo. Nesses espaços, diferente das escolas, não temos professores, ou pelo menos não que estejam ali com essa missão. Mas acredite, com outros coworkers você vai aprender na teoria e na prática o sentido de compartilhar ideias, ideais, projetos, experiências, espaço físico, pessoas, e muito mais.

Aprender será uma consequência da convivência. Mas, além disto, a convivência te ajudará a desenvolver seu lado empreendedor. Não importa se você vai empreender num novo negócio, projeto, ou simplesmente, no seu modo de gerir suas tarefas, a questão é que dentro de um coworking você respira empreendedorismo, o que motiva os coworkers a aderirem isto como estilo de vida.

Quando você menos esperar, vai estar empreendendo. Sim, você vai se surpreender com a capacidade de despertar isto internamente. Será um caminho mais ou menos assim: Conviver – Aprender – Empreender – Surpreender (tanto a si mesmo, quanto ao mercado). Parece muito lúdico e fantasioso? Acredite, quem realmente se entrega a experiência acaba por desenvolver expertises antes não imaginada.

Como otimizar sua presença em um Coworking?

Compartilhe seu potencial com os demais coworkers e, mais que isto, esteja de ouvidos atentos aos demais profissionais com os quais irá dividir o ambiente. Perceba a oportunidade que tem de fazer da sua passagem por um escritório compartilhado algo memorável.

Tá, mas como fazer isto?

Achou mesmo que te deixaríamos na mão? Aqui vão algumas dicas:

Grupos de discussão: se reúna com frequência (pode ser semanal, quinzenal, mensal) com pessoas interessadas em assuntos em comum. Ou apenas pessoas interessadas em ver os projetos viverem uma ascenção. Quanto mais vocês conversam, mas ideias e possibilidades surgirão.

Compartilhe conteúdo: Seja via e-book, livros, impressos, etc. A ideia é sugerir uma biblioteca de materiais de interesses gerais, assim, quem leu um livro interessante pode compartilhar com os colegas, assim como materiais digitais, ou até mesmo produzir um novo conteúdo a partir de seus conhecimentos. E não se esqueça de fazer o mesmo também no mundo offline! 😉

Eventos: sugira e participe de eventos realizados no lugar. Workshops são ótimos exemplos de eventos que podem ser realizados internamente, assim os coworkers aprendem uns com os outros. Ah, ainda existe a possibilidade de descobrir novos potenciais.

Frequência no coworking: você não é obrigado a frequentar o escritório compartilhado todos os dias, porém é interessante marcar presença pelo menos uma vez na semana para criar uma rotina junto aos demais profissionais que estão por ali. Não é nenhuma exigência, é só uma forma de estreitar os relacionamentos.

Mente sempre aberta: ao se tornar um coworker você precisa estar com a cabeça aberta para novas possibilidades. Não se prenda a um molde que tenha criado de si mesmo, principalmente sob os aspectos profissionais. Dentro do coworking você deve ser você mesmo, mas também precisa estar livre para absorver novas possibilidades, se redescobrir bom em outras áreas.

Empreender, se reconhecer em novos nichos, novas possibilidades. Estas são algumas possibilidades que a vivência em um coworking pode proporcionar. Tudo, obviamente, vai depender muito do nível de interesse e envolvimento de cada um.

Então, só temos mais uma dica para compartilhar: dedique-se! As recompensas virão.

Ficou curioso para viver essas experiências e conhecer alguns desses espaços? O BeerOrCoffee te ajuda a acessar +400 espaços de coworking em todo Brasil, [encontre aqui] um pertinho de você e teste um dia grátis!

Esperamos te ajudar a construir o trabalho da sua vida!

Até a próxima! 🙂

Equipe BeerOrCoffee

Como produzir bons conteúdos para blog e tornar-se uma autoridade?

Se você já trabalha na internet ou se está começando agora no mercado digital, saiba que é de extrema importância ter um blog e produzir conteúdo de qualidade para sua audiência e possíveis clientes. Isso porque um blog é o que te ajudará a ser visto como uma autoridade em sua área de atuação, o que possibilita que seus resultados sejam ainda melhores.

Mas o que significa ser visto como autoridade em uma área?

A autoridade é aquela pessoa que é referência em um determinado assunto. Ou seja, é quem outras pessoas procuram sempre que tiverem dúvidas naquele tema. Assim como alunos procuram o professor de matemática, empresas e clientes podem procurar seu blog para se informar.

E por que ter um blog te ajudará a ser uma autoridade em seu mercado?

Porque, com um blog, você consegue se posicionar a respeito de vários assuntos de sua área de atuação.

Por isso, se seu conteúdo tiver qualidade, cada vez mais pessoas encontrarão seus textos e seu negócio através de seu blog e irão recorrer aos seus conteúdos sempre que tiverem dúvidas sobre algo relacionado a seu nicho.

Quer produzir bons conteúdos para blog?

Continue lendo este post e confira 5 dicas fundamentais para que seus textos fiquem cada vez melhores.

1. Escolha um nicho

A primeira e uma das principais escolhas para quem quer ter um blog é escolher um nicho para criar conteúdo.

Isso significa que o melhor a se fazer para ter sucesso na internet é escolher um tema específico para abordar em seu blog. Afinal, se você escreve sobre vários assuntos diferentes, provavelmente não é excelente em todos eles. Por isso, defina bem sobre o que você falará.

Por exemplo:

Se você trabalha com finanças ou entende muito sobre esse assunto e quer criar um blog para compartilhar suas dicas, fale apenas sobre esse tema e outros assuntos relacionados a ele.

De nada adianta produzir conteúdo de qualidade se o leitor chega até seu blog através de um artigo sobre o tema X e, quando ele pesquisar mais textos, encontrar apenas conteúdos sobre Y e Z. Isso confunde e espanta sua audiência.

Você pode gostar de música e finanças ao mesmo tempo, mas isso não significa que você será uma autoridade nos dois. Por isso, saiba separar e definir aquilo que você faz de melhor.

Lembre-se que você está criando conteúdos para blog para sua audiência, e eles querem entrar em suas páginas e encontrar informações sobre o tema que os atraiu até ali.

Além disso, é importante que você escolha um nicho mais específico dentro de sua área de atuação.

Pensando ainda no exemplo sobre o blog de finanças, você poderia produzir bons conteúdos para blog que ensinassem como investir na bolsa de valores. Isso faz com que sua audiência perceba que seu site é ainda mais focado em um determinado assunto de seu nicho.

Principalmente para quem está começando agora, o melhor é encontrar um micro nicho ou um segmento pouco explorado para se destacar naquele assunto.

Se você tentar entrar em um mercado muito amplo, com certeza baterá de frente com concorrentes que já estão estabelecidos nessa área há muito tempo.

Por isso, escolha um nicho mais específico que seja relacionado com suas habilidades e, ao mesmo tempo, seja lucrativo. Ao fazer isso, você enfrentará uma concorrência menor e alcançará um público mais qualificado para sua oferta.

2. Entenda sua persona

A persona é, em resumo, a representação de seu cliente ideal e de seus comportamentos. São personagens semi fictícios criados a partir de pesquisa para auxiliar nas tomadas de decisão de seu negócio.

O perfil de sua persona abrange informações demográficas como idade, localização, renda e também informações psicográficas como interesses, razões para a compra, preocupações e medos.

Saber como criar uma persona e entendê-la é um dos principais requisitos para produzir bons conteúdos para blog. Dessa forma, você sempre escreverá seus textos para pessoas semelhantes à sua persona e criará conteúdos que são capazes de resolver o problema de seu público.

É preciso entender que quando sua persona acessar seu blog, ela poderá estar em qualquer uma das 3 fases da jornada de compra, que são topo, meio e fundo de funil.

Para o topo, você precisa criar conteúdo para atrair pessoas que não sabem nada, mas têm interesse nos assuntos que você aborda.

Para o meio, você criará conteúdo para as pessoas que já sabem um pouco sobre o tema de seu blog para educar esses leads.

Para o fundo é o momento de converter a audiência de seu blog em clientes. Nessa fase, as pessoas já estão preparadas para a compra, ou seja, é o momento certo para fazer uma oferta de produto.

Se você compreender sua persona, será capaz de produzir conteúdos para blog assertivos para qualquer etapa da jornada de compra.

Principalmente no começo do blog, é importante focar no topo do funil, que é o tipo de conteúdo com maior capacidade de atrair pessoas.

Ao ter a persona definida, você não gasta tempo com um público que não está interessado em seu produto. Dessa forma, é possível criar conteúdos para um público específico.

É importante lembrar que você pode criar uma persona mesmo que ainda não tenha clientes. Fazer pesquisas de mercado, analisar a concorrência e criar formulários de pesquisa para sua audiência são algumas das maneiras que tornam isso possível.

3. Crie um calendário editorial

O calendário editorial é um cronograma de todas as estratégias de marketing de conteúdo de seu negócio.

Nesse calendário, você pode incluir publicações que serão feitas nas redes sociais, os posts para seu blog, disparo de newsletter e todo tipo de conteúdo que seja necessário para divulgar seu produto ou serviço.

Com um cronograma bem planejado, você:

  • Terá controle de todas as ações necessárias para alcançar seus objetivos;
  • Terá uma visão ampla das estratégias já utilizadas para definir novas ações a partir do que já fez;
  • Poderá organizar melhor seus horários para atender toda sua demanda;
  • Conseguirá mensurar os resultados de acordo com seu planejamento.

Com relação a seu blog, mesmo que você não consiga postar algum conteúdo todos os dias, é importante ter um calendário editorial para manter uma regularidade. O ideal é conseguir publicar, pelo menos, um post toda semana no início.

Conseguir produzir bons conteúdos para blog com regularidade faz com que sua audiência se acostume a acessar suas páginas sempre para procurar um material novo.

Não ter uma frequência ou dia certo para publicar conteúdo pode fazer com que as pessoas deixem de acessar seu site.

Além disso, ter um calendário te ajuda a não repetir temas já publicados e, consequentemente, não cansar sua audiência com o mesmo assunto.

4. Use ferramentas de palavra-chave

Palavras-chave são termos ou conjunto de palavras que simbolizam o tema que é abordado em uma página.

Um dos maiores desafios para produzir bons conteúdos para blog é encontrar palavras-chave compatíveis com seu negócio e que atraiam tráfego qualificado.

Quando uma pessoa pesquisa um determinado termo nos buscadores, eles entregam os resultados mais relevantes em que aquela palavra está inserida.

É por isso que é importante se atentar à qualidade da palavra-chave que você escolher, pois esse é um dos fatores que influencia na posição das páginas no ranking dos buscadores online.

Melhorar a posição das páginas nesses rankings utilizando palavras-chave de qualidade e produzindo bons conteúdos tem como consequência o aumento do tráfego de suas páginas com visitantes prontos para conhecer seu produto.

É preciso citar que o uso eficiente das palavras-chave depende, também, do tamanho delas. Elas podem ser dividida em dois tipos: head tail e long tail.

As head tails são termos de buscas mais amplos, compostos de uma única palavra, que pesquisamos quando estamos buscando a solução de um problema, como a palavra “emagrecer”, por exemplo.

Já as long tails são palavras-chave compostas por dois ou mais termos que, normalmente, formam uma frase que aponta para uma solução mais específica, como: “emagrecer com exercícios físicos”, por exemplo.

Naturalmente, as palavras head tail possuem um volume de buscas maior, mas as long tails convertem mais, pois atraem um público que já está em um estágio mais avançado na jornada de compra.

Como você pode perceber, utilizar as palavras-chave corretas é algo muito importante. Mas não se preocupe, você não precisa fazer isso sozinho!

Existem diversas ferramentas com várias funções para te ajudar nessa tarefa. Com o auxílio dessas ferramentas, você é capaz de mapear os termos mais importantes de seu nicho e executar todas as ações necessárias para identificar as melhores palavras-chave para seus conteúdos.

As principais ferramentas conhecidas são:

5. Escreva textos escaneáveis

Nas dicas acima, abordamos etapas anteriores à produção de conteúdo. Nossa última dica será a respeito da escrita em si.

Com relação aos textos de seu blog, é essencial que eles sejam escaneáveis para que tenham qualidade e consigam prender a atenção do leitor.

Um texto escaneável é aquele que o leitor consegue entender sobre o tema e sobre o que o conteúdo abordará apenas dando uma rápida olhada nele, sem necessariamente lê-lo.

Para produzir conteúdos para blog realmente efetivos, você precisa escrever de forma que o leitor consiga identificar sobre o que seu conteúdo retrata apenas batendo o olho nos títulos e lendo rapidamente os parágrafos (que devem ser curtos e objetivos). Esse é o conceito básico de um texto escaneável.

Crie conteúdos irresistíveis

Produzir conteúdos para blog deve ser considerada uma das etapas mais importantes na estratégia de seu negócio e, principalmente, para tornar-se uma autoridade no assunto que você aborda.

Por ser tão importante, você precisa pensar em temas que sejam realmente relevantes para sua persona, mas que não sejam repetitivos, e sobre os quais você saiba falar. Pensando nisso, você conseguirá produzir sempre um conteúdo completo e irresistível.

Mas, além disso, saiba que é preciso desenvolver bem suas habilidades para que sua escrita seja cada vez mais fluida e fácil de ser entendida. Quer escrever os melhores textos para seu blog? Confira nosso post com 20 dicas para te ajudar a escrever bem.

_____________________________________________________________________________________

Guest post produzido pela equipe da Hotmart.

Nervosismo na entrevista de emprego: como evitar?

Mãos suadas, tremedeira e falta de ar são alguns dos sintomas mais comuns de nervosismo na entrevista de emprego. Você já passou por isso? Em momentos decisivos e de grande expectativa, ele pode atrapalhar até mesmo os mais capacitados.

Quando acompanhado da ansiedade, o nervosismo compromete ainda mais a capacidade de concentração e comunicação do entrevistado, que se sente desorientado e confuso. Mas ele pode e deve ser controlado. Algumas dicas podem ajudá-lo a superar esses problemas e garantir um bom resultado. É simples, veja como a seguir!

Esteja preparado

As empresas estão cada vez mais exigentes em relação aos profissionais que buscam. Elas não querem perder tempo nem dinheiro com uma contratação errada. Por isso a preparação para a entrevista é decisiva.

Quando se está preparado, corre-se menos risco de ser surpreendido por uma situação inesperada. Defina o horário que vai acordar, se arrumar e sair de casa. Alguns dias antes, já separe a roupa e tudo o que precisará usar ou levar no dia.

Planeje a melhor forma de ir até o local da entrevista e saia com antecedência. Nunca considere apenas uma opção de transporte, pois pode haver um imprevisto e você deve estar preparado para isso. Ter que pensar no que fazer em cima da hora só vai deixá-lo ainda mais nervoso.

Prepare-se para a entrevista. Estude sobre a empresa na qual participará do processo seletivo. Acesse o site, leia as últimas notícias sobre ela, conheça seu ramo de atuação e suas principais ações. Isso pode fazer a diferença durante uma conversa. Além disso, relembre os requisitos da vaga e veja como pode adequar seu perfil a ele, se preciso. Anote suas principais habilidades, competências e experiências, para não esquecer.

Tudo isso também vai ajudá-lo a ser mais comunicativo, pois estará seguro em relação às informações que quer passar. Algumas outras dicas podem ajudá-lo a impressionar durante uma entrevista de emprego. Vale a pena conferir.

Chegue antes

Nada melhor do que a tranquilidade de estar no local certo antes do horário marcado. Não precisa exagerar! 20 minutos de antecedência são suficientes para garantir que você possa se recompor da viagem, beber uma água, respirar e, até mesmo, ir ao banheiro antes de começar.

Não se preocupe em chegar muito cedo, isso pode atrapalhá-lo. Você pode ficar ainda mais ansioso com o fato de ter que esperar, encontrar outros candidatos ou funcionários da empresa.

Se mesmo assim chegar muito cedo, pare para tomar um café em algum lugar próximo. Aproveite para respirar e retomar os pontos mais importantes que deve falar durante a entrevista.  

Fique tranquilo

Um dia antes da entrevista, faça o possível para estar relaxado: durma cedo, descanse o máximo e procure deixar a mente livre de preocupações.

Para controlar a ansiedade, no caminho para a entrevista, aproveite para respirar fundo e manter a calma. Exercícios de respiração ajudam! Inspire e expire profundamente e devagar. Isso vai deixá-lo com a sensação de prazer e alívio e ajudá-lo a evitar a respiração curta e rápida, que transmite insegurança. Durante a entrevista, evite balançar as pernas, bater as mãos na mesa ou ficar olhando para os lados. A linguagem corporal pode dizer muito sobre você nesse momento.  

Lembre-se: não há motivo para ter medo. A entrevista é um momento de troca de informações. Assim como o entrevistador quer conhecê-lo melhor, você também está conhecendo a empresa, as expectativas do entrevistador e os detalhes da vaga. É natural que qualquer profissional fique nervoso diante de uma situação nova. A entrevista é o momento em que é preciso mostrar segurança, conhecimento e equilíbrio.  

Seja sincero

Nada melhor do que ser você mesmo. Não conte mentiras e não invente situações ou fatos para tentar se destacar. Você pode ser surpreendido por uma pergunta que não sabe responder ou cuja resposta pode ser constrangedora.  

O bom profissional é reconhecido pela sua sinceridade. Olhe nos olhos do entrevistador, ouça com calma o que ele tem para falar e participe da conversa com segurança. Ele vai notar seu autocontrole e isso é muito positivo. Assim como a mentira, outras atitudes são inaceitáveis durante uma entrevista de emprego, como por exemplo: mostrar desinteresse pelos assuntos da empresa ou pelo cargo em questão, atender o celular, não ser claro e objetivo ao falar, utilizar gírias, falar mal de outros colegas, entre outras.  

Pense positivo

Estar otimista frente ao desafio é muito importante. Concentre-se nos seus pontos fortes, em tudo o que já realizou com sucesso e nas boas experiências vividas. Lembre-se de que ninguém é perfeito. E você é a melhor pessoa para falar sobre suas qualidades e experiências. Mentalize o sucesso, a tranquilidade e a segurança.

Assim como você, os outros candidatos também estarão ansiosos. Se em algum momento não se sentir seguro, respire, beba uma água e responda com sinceridade. Os recrutadores reconhecem a importância do autocontrole e do autoconhecimento.

Procure um profissional

Os recrutadores sabem que, quanto melhor e mais clara for a divulgação das atribuições da vaga e do perfil desejado, melhor preparados estarão os candidatos e maiores serão as chances de encontrar o profissional certo.

Se você não está seguro em relação à sua escolha profissional, não está satisfeito com as atividades que desempenhou até o momento ou está há muito tempo longe do mercado de trabalho e se sente desorientado, o nervosismo na entrevista de emprego pode ser o reflexo de tudo isso.

O adequado é que busque uma orientação profissional. Ela vai ajudá-lo a se preparar para esse momento, a trabalhar seu autoconhecimento, além de auxiliá-lo, se preciso, no restabelecimento dos seus contatos profissionais.  

Se, mesmo com todas as informações e tentativas de controle, o nervosismo continuar fazendo parte da sua vida, tanto profissional quanto pessoal, é fundamental que procure um psicólogo.  

Para ajudar a dar o primeiro passo temos uma dica! Hoje já é possível conversar com um psicólogo sem sair de casa, por meio de um espaço virtual. Seguro, sigiloso e discreto, ele pode ser acessado em qualquer lugar e a qualquer hora, utilizando um computador, tablet ou smartphone.  

No atendimento online, você compartilha sua necessidade, escolhe um psicólogo de sua preferência, agenda um horário para a consulta, realiza o pagamento e, no dia e hora marcados, acessa o seu perfil e inicia a consulta de onde estiver.

Saiba mais sobre como evitar o nervosismo na entrevista de emprego e outros assuntos. Entre em contato com a nossa empresa: Psicologia Viva.

Biblioteca corporativa: incentive a cultura do conhecimento na empresa

Biblioteca corporativa é um espaço destinado à formação cultural e educacional contínua dos colaboradores de uma empresa. Ela representa um estratégia organizacional que visa melhorar o ambiente de trabalho e fortalecer a cultura empresarial, disponibilizando informações relevantes para os negócios.
Sua importância cresce cada dia mais após a transformação digital, confira como ela pode ser um diferencial em sua empresa:

  • Favorece o desenvolvimento de habilidades profissionais de interesse da empresa;
  • Retém e atrai profissionais talentosos;
  • Estimula o compartilhamento e a gestão de conhecimento entre o público interno;
  • Aumenta a produtividade das equipes;
  • Melhora a vantagem competitiva da organização.

A tecnologia e os dispositivos móveis já se consolidaram na rotina corporativa, fazendo com que a maioria dos colaboradores se tornem dependentes deles para desenvolver suas tarefas diárias, se comunicar, realizar pesquisa, analisar métricas e outras informações, enfim, praticamente todas as ações dentro de uma empresa precisam de auxílio digital.
O grande fluxo de dados que envolve todos esses processos podem trazer insights poderosos para os negócios, tornando a necessidade de que todos os funcionários busquem mais por essas fontes de informações, capazes de aprimorar seus trabalhos. As inovações tecnológicas são, atualmente, verdadeiros suportes para as bibliotecas corporativas, facilitando o acesso dos usuários e permitindo que eles tenham à disposição fontes ricas de conteúdos com apenas alguns cliques.
Portanto, é necessário estimular essa cultura do conhecimento dentro de seus ambientes de trabalho, para que a empresa consiga transformá-los em espaços de aprendizado e aprimoramento.
A biblioteca corporativa é a resposta capaz de auxiliar a organização nessa missão. Ela irá ajudar sua empresa a alcançar suas metas e transformar todo o seu ambiente em verdadeiros espaços positivos de trabalho e aprendizado, onde os colaboradores se sintam bem e dispostos a aprender.
biblioteca corporativa

Por que minha empresa precisa de uma biblioteca corporativa?

Grandes corporações já apostam nessa estratégia em suas instituições e tem recebido o retorno de grandes benefícios. Ao implementar uma biblioteca corporativa, é possível perceber uma grande transformação em toda a organização. A cultura organizacional se fortalece e funções básicas de organização, análise e aplicação de informações são otimizadas, o que trará melhores resultados para os negócios.
Uma das principais vantagens dela é referente às tomadas de decisões, que passam a ser mais precisas e assertivas, pois na biblioteca corporativa todas as informações e conhecimento da empresa são geridos.
Estimular a educação corporativa por meio da adoção dessa estratégia favorece a empresa, potencializando seus resultados e estimulando uma cultura de alta performance. Além disso, beneficia os colaboradores, que passam a ter uma melhor qualificação profissional por estarem sempre aprendendo e se atualizando, sem precisarem pagar por isso.
Para oferecer todas essas oportunidades, a empresa precisa de profissionais dedicados e que conheça tanto a missão, valores e visão, quanto os objetivos e metas da organização. Dessa forma, é possível determinar quais conteúdos são mais relevantes para a biblioteca e para os funcionários de cada setor.

biblioteca corporativa

Além disso, é necessário considerar todos os dados relevantes para a empresa, não apenas os que estão nos livros, mas que circulam o ambiente de trabalho. Isso sem contar todas as informações sobre serviços, métricas, desempenho e outros dados que envolvam os negócios. Por isso, a biblioteca corporativa deve também utilizar dados digitais e buscar nos bancos de dados, centro de documentação e portais especializados.
Junto às tecnologias disponíveis, a biblioteca pode ser totalmente dinâmica e personalizável. Assim, pode ser direcionada para os diferentes públicos internos da empresa. A linguagem, objetivos e ferramentas da educação corporativa devem ser individuais para cada caso e metas da empresa.
Mas, como motivar seus colaboradores a adotarem essa ideia? É possível atrair seu público interno por meio de ações de endomarketing. Elas são capazes de potencializar os resultados propostos por essa estratégia.
Busque estimular o interesse dos funcionários demonstrando a importância do conhecimento aprofundado dos negócios da empresa. Eles podem melhorar o desempenho em seu cargo, além dos diversos ganhos para sua carreira no geral.
Além disso, invista em ações internas, como a criação de rodas de leitura com livros relevantes para a empresa. Você também pode realizar a divulgação de livros em datas comemorativas, realização de encontros em que os funcionários possam se reunir para expandir suas ideias e liberar a criatividade, entre outras atividades.

Como construir uma biblioteca corporativa?

Essa estratégia não lida apenas com livros físicos, mas também com diferentes informações e dados úteis para os negócios. Assim, é necessário organizar e sistematizar todos os conteúdos em um acervo. Contar com softwares de gestão pode facilitar a tarefa. Assim, é mais fácil organizar os processos da biblioteca e ampliar o alcance dos colaboradores.
Portanto, criar bibliotecas digitais pode ser a melhor opção. Assim, os funcionários podem realizar consultas rápidas, reservar e renovar materiais de forma online, facilitando o acesso à biblioteca.
Ciberteca, ou biblioteca digital, esse novo conceito é uma alternativa moderna para ampliar as condições de busca, disponibilidade e recuperação de informações e conteúdos dentro das bibliotecas corporativas.
Ela é multiplataforma, ou seja, permite que os colaboradores acessem os conteúdos por meio de seus smartphones, tablets e computadores. O usuário pode realizar sua leitura de forma online, ou não, já que o sistema armazena automaticamente os últimos livros abertos por ele.
A biblioteca corporativa digital oferece uma plataforma interativa em que os usuários podem navegar e controlar sua leitura. Além disso, podem criar atividades relacionadas à leitura. A plataforma gera relatórios para que a empresa possa acompanhar quais os conteúdos mais lidos pelos colaboradores. Essa e outras informações úteis auxiliam no monitoramento do desempenho dos usuários.

Construa sua biblioteca corporativa com o 12Min

Nosso aplicativo 12 minutos pode auxiliar sua empresa nessa tarefa! Ele foi criado para dar acesso aos conteúdos mais relevantes do mundo dos negócios. Com isso, auxilia seus usuários a estarem por dentro de assuntos de carreira, desenvolvimento pessoal, entre outros. Podendo assim, incentivar a cultura de aprendizado nas organizações.
O 12Min condensa as principais ideias de milhares de livros voltados para os negócios. Criamos o que chamamos hoje de microbooks, que possibilitam acesso ao resumo pelos usuários, lendo ou ouvindo o conteúdo. A tarefa leva, em média, 12 minutos.
Por meio de uma assinatura, seus funcionários poderão acessar uma série de microbooks variados e consumir seus conteúdos da forma que achar melhor. O principal objetivo de se criar uma biblioteca corporativa é desenvolver as habilidades profissionais de toda a equipe. Por meio da educação corporativa, é possível alinhar competências individuais com os interesses da empresa. Isso faz com que o colaborador se torne mais disposto a aplicar seu conhecimento adquirido em seu trabalho. Consequentemente, irá gerar maiores resultados para a organização.
Muitas empresas ainda não enxergam a importância dessa prática. Entretanto, essa realidade já está se modificando e diversas empresas brasileiras estão passando a apostar no estímulo do conhecimento empresarial. E sua empresa? Já tem uma biblioteca corporativa? Não perca tempo e adote essa estratégia!

[Semana da Mulher] 5 TED Talks de mulheres que mudaram minha vida!

Este texto foi originalmente publicado em novasblogueiras.com.br.
Existe muita mulher foda no mundo mesmo, viu.
Se você parar para pensar, tenho certeza de que só no seu ciclo você consegue contar pelo menos uma mão cheia de mulheres que você admira de alguma forma.
Existem também aquelas que inspiram multidões através de suas carreiras, de uma história forte que têm para contar e através da visibilidade que possuem de forma geral.
Eu particularmente sempre gostei muito de assistir TED Talks e sempre que assisto algum talk de uma mulher foda, me inspiro e aprendo algo que talvez antes não tinha me dado conta.
Já que estamos na semana da mulher, separei 5 TED Talks que mudaram minha vida de alguma forma e que acho que podem causar um impacto positivo na sua também!
P.S: eu particularmente não gosto de listas extensas de vídeos porque sempre quero ver todos e acabo não vendo nenhum. Mas se você tem algum outro talk para recomendar, fique 100% à vontade para indicar para a gente nos comentários! ?

Lizzie Velasquez – Como você se define?


De todos os talks, esse da Lizzie foi sem dúvidas o que mais marcou minha vida.
Assisti pela primeira vez ainda muito novinha, aos 17 anos, praticamente no auge da minha crise de autoaceitação e até hoje pratico o que aprendi com ele!
A Lizzie tem uma síndrome rara (apenas 3 pessoas no mundo foram diagnosticadas com essa condição) que impede que seu corpo absorva gordura e isso fez com que por várias vezes ela fosse chamada de “a mulher mais feia do mundo” (????).
Em seu talk, a Lizzie fala sobre a importância de definirmos quem nós somos (ou queremos ser) e sobre a importância de ir atrás dessa versão.
Estamos constantemente nos comparando às outras pessoas e muitas vezes exigindo de nós mesmas características (físicas ou não) que não temos e pode ser que nunca tenhamos.
O talk da Lizzie me lembra sempre que preciso focar em quem eu sou, em vez de em quem eu não sou. Que meu corpo faz parte de mim e o fato de ele ser saudável já é motivo o suficiente para eu amá-lo, a minha aparência não me define!

Brené Brown – O poder da vulnerabilidade


Brené Brown é uma mulher sinistra que eu tive o prazer de assistir falar pessoalmente no ano passado (2017) e desde então virei fã base do trabalho dela.
Ela é professora na Universidade de Houston e passou os últimos 16 anos estudando  coragem, vulnerabilidade, empatia e vergonha e os dados e conclusões as quais ela chegou são incríveis e pegam bem no fundo de cada uma de nós!
O sentimento de vulnerabilidade esbarra com a gente em tantas situações da vida… quando somos novos em um grupo, quando mostramos estar apaixonados por uma pessoa, e por aí vai. Para mim e para as pessoas que a Brené estudou, estar vulnerável é sinônimo de fraqueza.
Mas é muito foda como ela trata e prova a vulnerabilidade como coragem e não como um ponto fraco (já parou para pensar sobre isso?). Olha o que ela diz: “Eu acredito que a vulnerabilidade  – estar disposto(a) a estar “inteiro” mesmo quando você sabe que isso pode significar falhar e se machucar  – é ser corajoso. ”
O talk da Brené Brown sobre vulnerabilidade está no top 5 dos TED Talks mais vistos do mundo. Se você ainda não assistiu, assista now!
BÔNUS: ontem assisti esse talk da Brené Brown chamado “Escutando a vergonha” que vale MUITO a pena também!

Shonda Rimes – Meu ano de dizer sim para tudo


RAINHA, essa é a palavra que define a Shonda Rimes!
A Shonda é roteirista, cineasta e produtora de televisão norte americana e você já deve ter assistido pelo menos uma de suas produções (Grey’s Anatomy, Scandal, How to Get Away With Murder…).
Assisti ao talk dela sobre “dizer sim para tudo” essa semana e chorei uma vida inteira!
Eu particularmente dou muito valor para minha carreira (acima de muita coisa) e nesse talk a Shonda fala sobre o que aconteceu quando o amor (ou obsessão?) pelo seu trabalho – o que ela chama de “hum” – foi embora.
O “hum” era o que definia a Shonda em sua visão de si mesma e não ter mais esse sentimento despertou uma série de sensações e mudanças que valem a pena serem ouvidas.

Sheryl Sandberg – Por que temos tão poucas líderes


É profissional foda que você quer, @?
Sheryl Sandberg  é atualmente a COO (chefe de operações) do Facebook e foi a primeira mulher a ocupar uma cadeira no conselho do Facebook.
Antes disso, Sheryl foi Vice-Presidente de Vendas Globais e Operações Online do Google e no ano passado (2017) ela foi eleita a 4ª mulher mais poderosa do mundo pela Forbes!
No talk dela, ela fala sobre liderança feminina e por que temos tão poucas líderes. Vale muito a pena assistir e aplicar os conselhos dela em nosso dia a dia!

Magna Gopal – Os benefícios da rejeição


Ninguém (ninguém, nem uma pessoinha nesse mundo inteiro) gosta de ser rejeitado.
O sentimento da rejeição é uma merd* porque ele é capaz de fazer com que a gente mude a percepção que temos de nós mesmos em uma fração de segundos.
Ouvir não para uma oportunidade de emprego, de uma pessoa que se gosta ou em qualquer outra situação em que se esperava por um sim é como levar uma rasteira e demorar para voltar a ficar em pé novamente.
Mas por mais que ninguém goste de ser rejeitado, é possível lidar com a rejeição de uma forma mais leve e menos prejudicial do que costumamos fazer.
Em um texto maravilhoso que a Rita escreveu aqui no blog, ela disse uma frase muito bacana: “lidar com tudo de ruim que acontece como coisas que acontecem e não como maldições feitas especificamente para a gente já é meio caminho andado na hora das frustrações e reveses naturais da vida.” 
Acho que o mesmo serve para a rejeição, e nesse talk a Magna, que é dançarina de Salsa, fala sobre redefinir seu conceito de rejeição e ao mesmo tempo a aprender quando e como dizer não!


Fora esses cinco, existem milhões de outros TED Talks e de palestras em geral de mulheres que nos inspiram e trazem aprendizados foda para nossa vida!
Se algum outro talk mudou muito a sua vida e você acha que pode inspirar mais gente também, fique à vontade para compartilhar o link nos comentários!!! ?

A história da Ambev: conheça mais da história da maior cervejaria do mundo

Você já imaginou ganhar quase R$4 milhões de reais por hora? Apesar de parecer um tanto quanto extravagante, trata-se da história de um dos maiores empreendedores do mundo, principal responsável pela fundação da Ambev.
A história da Ambev é mais recente do que você pode imaginar. Há exatos 19 anos, surgiria da fundição entre a Brahma e a Antarctica a gigante Ambev.
Para sermos mais precisos, a história da Ambev pode se iniciar, na verdade, em 1880, quando a Brahma e a Antarctica ainda eram duas cervejarias independentes.
Alguns anos mais tarde desde a fundição das duas cervejarias, mais precisamente em 2004, a empresa belga Interbew adquiriu os direitos da Ambev. Ambas se fundiram, dando surgimento então à InBev, que atualmente é considerada a maior e mais importante cervejaria do mundo.
Desde os primórdios da história da Ambev, já havia ficado claro que os planos da empresa não tinham limites. Atualmente, ela comanda a maior parte do fluxo de bebidas no Brasil e nas Américas. A quantidade de tipos de cerveja que a empresa produz é, sem sombra de dúvida, incomparável com qualquer outra cervejaria.
A história da Ambev tomou proporções gigantescas. Atualmente, ela está presente em 19 países, sendo que só no Brasil ela detém 32 cervejarias. Ao todo, são 30 marcas e mais de 35 mil colaboradores. Números que, com certeza, elevam a Ambev ao status de maior cervejaria do mundo desde sua fusão com a Interbew.

Quem são os fundadores da Ambev?

história da ambev 12 minutos 02
A Ambev surgiu da junção de três sócios: Carlos Alberto Sicupira, Jorge Paulo Lemann e Marcel Herrmann Telles. O brasileiro Jorge Paulo Lemann foi o grande responsável pela junção, e é considerado hoje em dia, pela Forbes, o brasileiro mais rico. Sua fortuna é avaliada em aproximadamente R$81 bilhões de reais.
Jorge Paulo Lemann nasceu para ser empreendedor. Desde 1971 já fez grandes aquisições, como a compra da Garantia, uma corretora da bolsa de valores. Dez anos depois, adquiriu as Lojas Americanas, e alguns anos depois, juntamente aos seus sócios, adquiriu outras empresas.
Após alguns anos, já em 1999, foi o responsável pela junção das duas cervejarias que mais tarde dariam início à história da Ambev. Ao longo dos anos, os sócios passaram a construir e adquirir novos empreendimentos, como a fundação da 3G Capital, nos Estados Unidos, a compra do Burger King, da Heinz e Tim Hortons.
Lemann é, além de bilionário, filantropo. Em 2002, criou a Fundação Lemenn, que tem como objetivo financiar parte da rede de ensino público no Brasil, com a missão de melhorar a qualidade de ensino, oferecendo oportunidades melhores para futuros profissionais.
Carlos Sicupira e Marcel Herrmann também estão na lista dos homens mais ricos do mundo. Marcel conheceu Jorge Lemann ainda na corretora do Banco Garantia, onde mais tarde daria surgimento a um trio que revolucionaria a história da Ambev.

Quais são as marcas da Ambev?

Atualmente, a Ambev possui dezenas de marcas. Abaixo segue uma lista com as principais:

  • Antarctica
  • Brahma
  • Bohemia
  • Budweiser
  • Corona
  • Colorado
  • Kronenbier
  • Goose Island
  • Miller
  • Original
  • Patagonia
  • Patricia
  • Polar
  • Skol
  • Skol Beats
  • Skol Ultra
  • Skol 360
  • Pepsi
  • Guaraná Antarctica
  • Gatorade
  • Soda Limonada
  • Água Tônica Antarctica
  • Sukita
  • H2OH!
  • Citrus
  • Lipton Ice Tea
  • Teem
  • Norteña
  • President
  • Wals
  • Liber
  • Leffe
  • Hertog Jan
  • Puerto Del Mar
  • Adriática

Como você pode ver, cervejas artesanais também entram no hall das marcas da Ambev. Como exemplo, temos a Patagonia. A Ambev é responsável pela fabricação de grande parte das cervejas comercializadas no Brasil e no mundo.

Como a Ambev produz a cerveja?

história da ambev 12 minutos 03
Todo o processo funciona de forma simples, mas minuciosa. Tudo começa com a seleção de cereais como o malte, do lúpulo e cevada. Todos os ingredientes são criteriosamente escolhidos.
Após a separação dos ingredientes, todos eles são armazenados em condições ideais e então moídos para que se possa dar início ao processo de produção da cerveja.
Quando os cereais passam por esse processo, acabam liberando amido, uma forma de açúcar. Quando entra em contato com o fermento, passa por reações químicas que produzem água, gás carbônico e álcool.
Após esse processo, começa a nova etapa, a de maturação. É nessa hora que a cerveja fica armazenada em recipientes gigantes e adequados à maturação perfeita da cerveja. É nessa etapa, também, que a cerveja começa a tomar forma, como corpo, aroma, textura, etc.
Após o tempo necessário para maturação, a bebida passa por um processo de filtração. Durante esse processo, todos os resíduos são eliminados, fazendo com que ela fique com uma aparência perfeita para que o consumidor final possa degustá-la com todo o prazer.
Chega então a melhor parte, a hora de degustar a cerveja. Durante essa etapa, ela passa por diversos testes para que então, caso seja aprovada, vá direto para o envase, que pode ser feito em diversos recipientes, como latas de alumínio, garrafas de vidro, barris, etc.
A história da Ambev é surpreendente. Escrito por Cristiane Correa, a obra “Sonho Grande” retrata o momento do nascimento da Ambev, decorrente da fusão entre as duas cervejarias e do início de uma grande e duradoura parceria entre os três sócios.
Toda essa trajetória levou apenas 40 anos para se concretizar e se transformar no que é hoje: um verdadeiro império bilionário. Em menos de quatro décadas, um sonho que ainda estava na prancheta saiu do papel e deu vida a uma das maiores empresas do mundo, criando um legado gigante.
O livro destaca aspectos importantes que levaram os três ao sucesso, como a meritocracia, a seleção da equipe trabalhadora, os investimentos necessários, a mentalidade empreendedora e principalmente a redução de custos.
Os sócios ressaltam ainda que é importante tirar as ideias do papel, mesmo quando parecem malucas. No entanto, não é nenhum erro copiar modelos de sucesso que já se consolidaram no mercado.
Afinal, simplicidade é a palavra-chave para o sucesso!
_______________________________________________________________________________
história da ambev Logo-Homini-Lúpulo Esse artigo foi escrito pela equipe do blog Homini Lúpulo, o blog especialista em cervejas artesanais.

O jogo dos 7 erros que um empreendedor não pode cometer

Muitas pessoas acham que basta ter uma boa ideia, algum capital e muita vontade de trabalhar para abrir um negócio e ter sucesso.
A realidade é bem diferente. Para começar, o que é uma boa ideia para um novo negócio? O que parece ótimo para você pode não ter a menor importância para o mercado.
Nesta postagem, vamos apresentar 7 erros muito comuns que acabam levando diversos empreendedores a fechar seus negócios prematuramente.
Evite esses erros!

7 erros que um empreendedor deve evitar a qualquer custo

empreendedor 12 minutos 02

1- Não testar sua “ideia genial”

Um produto ou serviço deve suprir a necessidade ou desejo de alguém. Na verdade, ele precisa resolver os problemas de um número considerável de pessoas. Caso contrário, não haverá demanda suficiente para o que você deseja vender.
Como descobrir isso? Fazer uma boa pesquisa de mercado é a solução ideal. E se você acha que isso pode sair muito caro, lembre-se que existem plataformas na internet que podem ajudar você a saber a opinião do público sobre seu serviço ou produto antes de lançá-lo no mercado, como o SurveyMonkey, o Typeform e a MindMIners.

2- Não ter um plano de negócios

Um plano de negócios, de preferência com um bom planejamento estratégico, é fundamental para que sua empresa prospere.
Conhecer suas forças e fraquezas, descobrir oportunidades de mercado e as ameaças das quais precisa se defender, assim como quem são seus concorrentes, fornecedores, parceiros de negócios e canais de distribuição são alguns pontos que precisam ficar bem claros.
Uma dica é usar o modelo de negócios canvas para isso, utilizado com sucesso por divers startups.

3- Falta de capital de giro

Alguns empresários esquecem que seu negócio só vai começar a gerar caixa suficiente para pagar as despesas do dia a dia, como energia, salários, aluguel e impostos, depois de um bom tempo.
Em geral, recomenda-se ter dinheiro suficiente para se manter por um ano e meio, pelo menos, sem fazer retiradas da empresa.

4- Não definir um posicionamento claro

Uma lanchonete, por exemplo: ela será acessível e com pratos rápidos, ou refinada e com preço premium? Que lugar nos corações e mentes de seus clientes você quer que sua marca ocupe?
Defina claramente para qual público se destina seu produto ou serviço e qual é a promessa que faz a ele: qualidade? Preço? Rapidez? Status? Comodidade? Escolha o que faz de melhor e mostre para seu público. É isso que vai atraí-lo e fazer de sua marca a preferida deles.

5- Identidade visual amadora

Este é outro grande erro muito comum. É fundamental criar um logo com profissionais que entendam do assunto, assim como os demais elementos de sua identidade visual, como a escolha das cores, dos tipos de letras e outros fatores de identificação de sua marca.

6- Falta de controle financeiro

Ninguém é obrigado a ser um gênio das finanças e é exatamente por isso que existem diversos softwares disponíveis no mercado que ajudam você a fazer o controle do dinheiro no seu negócio e a automatizar alguns processos financeiros.

7- Achar que pode fazer tudo sozinho

Ninguém é capaz de empreender fazendo tudo. Ter sócios capacitados é tão importante que é uma exigência para que investidores levem em consideração qualquer apresentação de negócios ou de captação de recursos para uma start-up.
Além de sócios, saber delegar é fundamental, contando com uma equipe treinada que vai ajudar sua empresa dar certo, sem que o empreendedor carregue tudo nas costas.
Estes foram nossos 7 conselhos para que você não entre nas estatísticas de fechamento prematuro das empresas de pessoas que queriam montar seu próprio negócio. Planeje, se organize, teste sua ideia e, principalmente, conte com a ajuda de pessoas capacitadas e de confiança ao seu lado.
_______________________________________________________________________________
empreendedor wedologos 12 minutos Este artigo foi escrito pela equipe da We Do Logos, a maior plataforma criativa da América Latina e uma das primeiras do Brasil.

Profissões do futuro: 10 novas carreiras para os millennials

A tecnologia mudou a realidade e uma de suas consequências foi o surgimento de novas carreiras que estão agora mais modernizadas, diferenciadas e que podem ser associadas a novas áreas que têm se destacado no mercado.
A internet, por exemplo, foi um dos principais agentes de mudança nesse contexto. Isso porque ela trouxe consigo praticidades que antes não poderiam se quer ser imaginadas. Por exemplo, o serviço à distância, hoje chamado de home office.
A modernização tecnológica abriu novas portas!
Perfeitas para as novas gerações que estão surgindo, essas novas carreiras prezam, sobretudo, pela agilidade, pois esta é a década da informação, que é rápida e bastante precisa.
Para os mais antigos, ou seja, aqueles com mais tempo de mercado, tais profissões podem ser completamente incompreensíveis. Isso porque elas estão pautadas em tecnologias que surgiram mais recentemente. Portanto, são mais bem compreendidas pela geração Y, que são os chamados millennials.
É claro que qualquer pessoa que queira aprender mais e que esteja disposta a mudar de carreira pode e deve investir tempo para aprender e realizar essas novas atividades. Mas principalmente agora, o grupo mais atingido pelas novas carreiras tem sido o dos millennials.
Aliás, você sabe quem são os millennials? Faz ideia se você realmente faz parte da geração que está pronta para receber essas novas carreiras como oportunidades de mercado para se profissionalizar e crescer?
Quer entender mais sobre tudo isso?
Neste post, vamos te mostrar algumas informações importantes sobre esse assunto e você conhecerá as principais tendências em novas profissões para os próximos anos.

Millennials: novas carreiras feitas sob medida para esta geração

novas carreiras 12 minutos 2
Chamados de millennials, geração Y ou ainda a geração da internet, esse grupo é formado pelos nascidos a partir dos anos 80 e que hoje possuem menos que 40 anos.
Tendo visto o surgimento e a expansão da tecnologia, sobretudo virtual, os millennials estão mais preparados para assumir cargos em que o uso da internet é um fator importante, ou até mesmo decisivo, para a execução das atividades.
Eles estão mais dispostos também a abraçar oportunidades que vão completamente contra o estabelecido pelo mercado tradicional de trabalho. Por exemplo, ter o registro na CLT, tempo de casa e horários fixados.
No geral, entre as novas carreiras que os millennials procuram para si, se destacam aquelas com características de maior flexibilidade e liberdade. Isso contribui com a qualidade de vida e acaba por exigir mais investimento intelectual para que o crescimento na área continue.
Aliás, por falar em desafio, a geração Y gosta de ser desafiada e geralmente aceita as novas oportunidades do mercado, encarando cada uma delas de frente.
Ser dona de seu próprio negócio, ter estabilidade e liberdade financeira também são outras das características dessa geração que está a pleno vapor, no auge de seu trabalho hoje em dia.
Você faz parte da geração dos millennials? Nasceu depois de 1980 e possui algumas das características que foram anteriormente mencionadas aqui?
Se suas respostas foram sim, com certeza você se interessará pelas novas carreiras feitas sob medida para esse público.

10 novas carreiras para o futuro

Agora que você conferiu em que contexto estão surgindo essas novas carreiras no mercado de trabalho, vale a pena destacar quais são as principais e que devem estar em alta ao longo dos próximos anos.
Aproveite para conferir em quais dessas áreas você poderia ser alocado e comece a estudar e investir agora mesmo nessas profissões. Assim, você conseguirá conquistar as melhores vagas de trabalho segundo as tendências aqui apresentadas.
É como diz aquele ditado: “escolha uma carreira da qual você goste e não terá que trabalhar nenhum dia sequer de sua vida.”

1. Arquiteto de realidade aumentada

Realidade aumentada é uma tecnologia de ponta que surgiu recentemente e que ainda tem muito que crescer.
Trazendo objetos virtuais para o mundo real, essa matéria une o físico ao digital de modo que um contribua com o outro.
Uma nova carreira que surge nesse contexto é de arquitetos que atuam em RA (realidade aumentada). Mais do que fazer projetos completos de construções, dentro em breve, tais profissionais terão que proporcionar essa realidade para o cliente antes de dar início às fases de construção.

2. Coaching e consultoria em várias áreas

Uma profissão que já está em alta e que é em muito facilitada pelos mecanismos virtuais é o coach.
Ser coaching ou consultor em áreas como administração, gestão de recursos humanos, contabilidade, economia, estética, moda e muito mais também continuará sendo destaque.
Orientar pessoas e, principalmente, ajudá-las a organizar seu tempo é uma profissão que tem atraído muitos interessados e que vale a pena investir.

3. Consultor de vida fitness

Entre as novas carreiras, não poderiam ficar de fora aquelas que prezam e estimulam uma vida mais saudável, o estilo fitness.
Seja orientando treinos na academia ou dando dicas de cardápios e dietas, a tendência é que surjam mais profissionais nessa área.
Para tirar de letra e ser expert no assunto, a dica é se preparar investindo em cursos que complementam a área profissional, como estudando educação física ou nutrição.

4. Desenvolvedor de aplicativos e softwares

Hoje, essa profissão já está super em alta. Porém, a tendência é que simplesmente expanda ainda mais, ganhe mais mercado. Por isso, precisará de um maior número de especialistas atuando na área.
Dos mais simples aos mais complexos aplicativos e softwares, qualquer um que queira atuar por aqui deve saber que, apostar nos diferenciais e deficiências, ou seja, naquilo que ainda não existe, é um ótimo caminho.

5. Especialista em experiência do usuário

O termo experiência do usuário também é relativamente novo, o que reafirma a importância de uma nova carreira na área. Ele diz respeito à forma como o cliente percebe um determinado produto ou marca.
Ser especialista aqui significa garantir, a partir das melhores estratégias, que o cliente sempre sinta-se encantado e completamente satisfeito em cada contato que é feito com o negócio.
É indispensável, ainda, que esse profissional saiba mensurar essa experiência a fim de melhorá-la continuamente.

6. Especialista em marketing digital

Essa é uma carreira que já está em evidência e que tem feito muitas pessoas mudarem de vida. Afinal, todos os negócios precisam estar no ambiente virtual.
São justamente esses especialistas que ditam como e quando cada campanha deve ser lançada a fim de que melhores resultados sejam conquistados.
O marketing digital é relativamente novo, porém, já possui muito estudo e indicações que garantem o sucesso.
Cabe àqueles que querem se especializar nessa área partir para seu estudo agora mesmo.

7. Freelancer

Profissional freelancer é aquele autônomo que faz seus dias e horários e trabalha de forma terceirizada para outras empresas, sem vínculo empregatício e recebendo por sua produção.
São muitas as áreas que aceitam esse tipo de profissional hoje em dia, como criação de conteúdos, criação de projetos de publicidade e propaganda, digitação, projetos gráficos, edição de vídeos, entre muitos outros.
No geral, o freelancer utiliza-se de seus próprios recursos para organizar sua rotina de trabalho, entregando apenas o produto final ao contratante, que pode ser um intermediário ou o cliente final.

8. Gestor de mídias e redes sociais

Outra nova carreira que já está ganhando visibilidade no mercado atual refere-se à gestão de mídias e de redes sociais, importantes meios de comunicação entre empresas e clientes hoje em dia.
Para ter sucesso como profissional dessa área, é indispensável saber utilizar mecanismos e recursos que emitam dados e relatórios.
Além disso, é necessário ainda conhecer tudo sobre marketing digital para usar suas estratégias na hora de administrar e lançar campanhas em canais como Facebook, Instagram e LinkedIn.

9. Influenciador digital

Uma das novas carreiras que mais tem pessoas interessadas, mas em que é preciso investir realmente pesado para ter retorno, é a de influenciador digital.
Ser influenciador digital significa, resumidamente, ter muitos seguidores nas redes sociais e ganhar para indicar a este público produtos, serviços e marcas.
Blogueiros e socialites têm sido destaque como influenciadores digitais. Mas outras pessoas também podem assumir esse papel, desde que se dediquem um pouco para atrair olhares interessados.
Se você influencia as pessoas, ou se tem bastante seguidores, a hora de investir nesse tipo de carreira pode ser justamente agora.

10. Home office em diferentes segmentos

Não sendo especificamente uma profissão, mas valendo citar, o home office, serviço de casa, é outra das grandes tendências para os próximos anos.
Procurando livrar-se do trânsito e de passar o dia todo longe de casa, muitos profissionais passaram a ter seus escritórios dentro de seus lares. Isso os ajuda a unir o útil ao agradável, e é claro que essa é uma tendência bem vista.

Conclusão

Ao longo de todo este post, você pode conferir quais são as novas carreiras e as novas tendências profissionais que mais têm sido procuradas e que estão repletas de oportunidades neste milênio.
Como deve ter reparado, grande parte está associada à internet, que é justamente o agente de mudança da modernidade que possibilitou essa abertura que hoje é entendida como uma oportunidade para novas profissões.
Gostou dessas dicas e quer começar uma nova carreira, mas ainda não sabe como? Aprenda, neste post, como ganhar dinheiro com a internet, sem precisar sair de casa.
________________________________________________________________________________
novas carreiras hotmart-logohotmart-logo 12 minutos Guest post produzido pela equipe da Hotmart.