Metodologia Scrum: o guia para iniciantes

Você já ouviu falar em metodologia Scrum? O modelo de gestão de projetos é muito utilizado no mundo todo e serve especialmente para desenvolvimento de software. Se você trabalha com tecnologia, pode se beneficiar desse conceito.
Se você sempre quis aprender o que é Scrum e se pode utilizá-lo, continue lendo este artigo!
metodologia scrum

O que é metodologia Scrum

A principal característica da metodologia Scrum é a forma como o projeto é apresentado para o time. Ao invés de uma reunião com todos os detalhes do que precisa ser feito, temos um método baseado em sprints.
Começamos com uma reunião de planejamento que define metas e resultados esperados que deverão ser alcançados até o final do sprint. Ou seja, podemos definir que de hoje até o mês que vem a funcionalidade “x” deve estar implementada (os sprints na metodologia têm duração de duas semanas a um mês).
O Scrum é baseado em times multidisciplinares com alto poder de gerenciamento pessoal. Não existe um líder específico e todos os membros têm grande capacidade de auto organização. Os problemas são enfrentados por todos na equipe. Além disso, é comum que uma funcionalidade precise do trabalho de todas as pessoas para ser implementada.
Há, entretanto, alguma hierarquia definida a partir de experiência com o método Scrum. Equipes podem ter, por exemplo, um ScrumMaster, que faz papel de coach, garantindo que todos utilizem o processo para alcançar máxima performance. Não é um papel de gestor de projetos, ou seja, não designa tarefas ou cobra entregas.
Outro papel importante na metodologia é o do PO, ou product owner (dono do produto). Esse elemento pode ser representado pelo negócio ou pelos consumidores/usuários e ajuda a guiar o produto com os objetivos certos em mente. Esse produto pode ser, por exemplo, um MVP.
Por fim, temos o time. Apesar de ser composto por pessoas com títulos e habilidades diferentes, isso não importa para a metodologia Scrum. As pessoas estão lá para contribuírem da forma como puderem para o sucesso do projeto e têm esse objetivo em comum.
Veja, a seguir, de forma mais detalhada, como pode funcionar uma reunião de sprint.
metodologia scrum

Como funciona um sprint

Todo sprint começa em uma reunião, que serve para ouvir de cada um dos membros do time quais itens do projeto eles podem abraçar. O resultado é um backlog, onde devem ficar explicitadas todas as tarefas que serão feitas até o fim do sprint (abaixo veremos mais sobre esse backlog).
No começo do sprint, portanto, temos a lista de funcionalidades. No final dele, elas devem estar codificadas, testadas e implementadas.
Todos os dias, é ideal que haja uma reunião de sprint rápida, de 15 minutos, com a participação do Scrum Master e dono do produto. Os membros compartilham o que fizeram no dia anterior e o que farão no dia em questão e identificam quaisquer impedimentos ao processo. Assim, o trabalho de todos fica sincronizado.
Quando o sprint acaba, o time conduz uma apresentação sobre as implementações e recebe feedback do PO, o que pode influenciar o próximo sprint.
Outra atividade comum da metodologia Scrum é a retrospectiva de sprints. Todo o time participa e é uma oportunidade para refletir sobre o que foi feito e identificar oportunidades de melhoria.
Viu só como as coisas podem ser simplificadas em busca de melhor performance? Agora que você entendeu o principal protagonista do Scrum, veja quais outros itens devem estar no seu vocabulário.

Principais elementos da metodologia Scrum

Elementos que você precisa conhecer ao trabalhar com Scrum:

  • Produto: este é o principal elemento da metodologia. Ao final do processo de Scrum, o produto ou sistema deve ser algo potencialmente utilizável.
  • Backlog: este é outro elemento importante de um processo de Scrum. Trata-se da lista completa de funcionalidades que serão adicionadas ao produto, preferencialmente com descrições simples sob a visão do usuário. É trabalho do dono do produto organizar as prioridades da lista.
  • Gráfico de burndown: mostra o quanto de trabalho está faltando realizar para que o desenvolvimento possa ser entregue na data desejada.

metodologia scrum

Exemplo de gráfico de burndown.


Muito bem. Até aqui vimos os princípios básicos da metodologia Scrum. Mas se você está pesquisando sobre isso, provavelmente já viu o termo “metodologia ágil”. As duas são frequentemente confundidas, mas se tratam de coisas diferentes – que, em determinadas situações, são complementares.
Veremos as diferenças.

Scrum e metodologia ágil (agile)

Para comparar as duas metodologias, vamos ver o que é metodologia ágil:
Trata-se de uma metodologia que suporta a iteração contínua do desenvolvimento e teste de funcionalidades de um software. Também chamada pelo nome em inglês “agile”, essa metodologia quebra o processo em pequenas partes.
Atividades de desenvolvimento e teste são simultâneas e há grande valor na comunicação entre os membros e no trabalho em equipe. Todos trabalham juntos para desenvolver o produto: stakeholders, desenvolvedores, clientes.
Apesar de podermos considerar o Scrum como um processo ágil, vimos acima que o foco é em entregar o produto e não testá-lo e melhorá-lo continuamente, entregando algo totalmente elaborado. A intenção é implementar funcionalidades no menor tempo possível com a maior qualidade possível.
Na metodologia agile, a liderança tem um papel fundamental. É ela quem dita quem vai fazer o que e quais são as melhorias a serem feitas. No agile, há mais flexibilidade e o foco pode mudar a qualquer momento. No Scrum, as coisas são mais engessadas enquanto acontece cada sprint. Afinal, como vimos, o backlog é definido logo no início.
Isso acontece muito porque as entregas no agile acontecem frequentemente. No Scrum, apenas quando o sprint acaba o time fica apto a receber feedbacks e então começar tudo novamente.
Pode ser que o Scrum faça parte de um projeto na metodologia agile. Se o time decide que é preciso implementar uma funcionalidade em tempo recorde, por exemplo, é possível utilizar os sprints para aumentar o foco naquilo.
metodologia scrum

Saiba mais sobre Scrum e sprints

Vimos neste artigo os princípios básicos da metodologia Scrum e dos sprints. Mas, se você quiser aprofundar seus conhecimentos na área, sugerimos duas leituras:

  • Scrum, Jeff Sutherland: o livro mais interessante para quem quer aprofundar noções de Scrum Master e dono do produto, além de descobrir como o Scrum pode ser utilizado para várias situações.
  • Sprint, Jake Knapp & John Zeratsky & Braden Kowitz: se o que mais te intrigou nessa metodologia foram os sprints e você quer entender melhor essa parte, não deixe de ler.

Essas duas obras estão disponíveis na plataforma do 12Min. Temos centenas de microbooks, que são resenhas críticas dos maiores livros de não ficção do mundo. Você consegue pegar os principais ensinamentos em poucos minutos. Confira!

Webinar Webinsider + 12min convida Vitor Peçanha

Tem vontade de empreender, mas não sabe por onde começar? Com a parceria Webinsider + 12min, toda semana lançaremos uma webinar com a participação de um empreendedor ou algum nome forte em sua área de atuação.
Para começar com o pé direito, o nosso 1º Webinar Webinsider + 12min foi com Vitor Peçanha, co fundador e head de customer success na Rock Content. Para quem não conhece, a Rock Content é a empresa que é uma das maiores referências em marketing de conteúdo do Brasil.
Durante o papo, Vitor Peçanha falou um pouco sobre sentir o momento certo para a decisão de empreender, contou como foi o nascimento de sua empresa e citou os principais aprendizados adquiridos nesse processo.
Além disso, a conversa foi para o campo da cultura corporativa, algo que é muito forte na Rock Content e deve ser um dos pilares de qualquer negócio que visa se perpetuar no mercado. Afinal, já parou para pensar em como é difícil cultivar essa cultura em todos os funcionários e fazer com que os novos já entrem com a mesma mentalidade?
Para finalizar, Peçanha deu diversas dicas de produtividade e contou um pouquinho sobre seus livros favoritos, como “A Arte de Fazer Acontecer” e o de sua própria autoria, “Obrigado Pelo Marketing”.
Confira o webinar na íntegra:

 
Gostou? Então, deixe seu comentário aqui embaixo e inscreva-se no canal do 12min no YouTube para conferir todos os próximos webinars e até outros vídeos com dicas de leitura 🙂

Conheça os benefícios da melatonina para a sua saúde

Você conhece os benefícios da melatonina? Ela é um hormônio que nosso corpo produz naturalmente, mas algumas pessoas têm dificuldade em fazê-lo. Isso causa insônia e pode prejudicar a vida pessoal e a profissional.
Saiba neste artigo quais são as consequências da falta de sono, para que serve a melatonina e como conquistar uma vida mais equilibrada para ter noites melhores. Boa leitura e bons sonhos!
benefícios da melatonina

O que acontece no corpo quando não dormimos o suficiente

Nossos órgãos vitais precisam de tempo para “descansar” e se livrar de toxinas e radicais livres. Dormir bem diminui significativamente as chances de desenvolvermos hipertensão, doenças do coração, diabetes e câncer.
Veja 10 efeitos da falta de sono no seu corpo:

  • Mais propensão a ficar doente: quando não há descanso suficiente, seu corpo perde a capacidade de lutar contra microorganismos invasores, ampliando a propensão a doenças.
  • Coração sofre: tanto noites curtas demais (menos de 5 horas) quanto longas (mais do que 9 horas) têm impacto negativo no coração.
  • Risco de câncer: a falta de sono é associada à incidência de câncer de mama, colo do útero e próstata.
  • Raciocínio lento: perder apenas uma noite de sono já impacta significativamente sua capacidade cognitiva.
  • Memória curta: não é só a capacidade de raciocinar que sofre quando não dormimos. Nossa memória também sofre perda e vemos a dificuldade em consolidar informações.
  • Libido baixa: a falta de sono reduz também a libido, pois afeta a produção de hormônios.
  • Ganho de peso: estudos concluíram que quem dorme noites de sono mais regulares tem menos tendência a ganhar peso.
  • Risco de diabetes: quem não costuma dormir bem tem ainda mais propensão a ter diabetes.
  • Mais acidentes: com a capacidade cognitiva afetada, há mais chance de se envolver em acidentes, como em casa ou no trânsito.
  • Aparência maltratada: além de todos os riscos para a saúde, a falta de sono afeta a saúde de nossa pele e cabelos.

Viu só como dormir bem é importante? O grande problema é que muita gente tem problemas com insônia, o que pode ser originado do estresse e das pressões do dia a dia. Então como melhorar esse hábito? Aqui entram os benefícios da melatonina, que tem ajudado várias pessoas a terem boas noites de sono.

O que é e para que serve melatonina

Melatonina é um hormônio e seu trabalho é regular nosso sono entre o dia e a noite. Conforme anoitece e a luz diminui, a produção de melatonina aumenta, preparando o corpo para pegar no sono.
Quando há desregulação desse hormônio, aparece a dificuldade em dormir, mesmo depois de um dia cansativo. Muitas pessoas têm níveis baixos de melatonina ou produzem em horas erradas do dia. É aí que entra o suplemento desse componente.
Os benefícios da melatonina são muitos: você vai conseguir resgatar bons padrões de sono e se sentir mais revigorado a cada manhã. Para a saúde, é ótimo: seu corpo poderá se refazer durante a noite, livrando-se das toxinas e radicais livres que acumulamos normalmente. Assim, os órgãos vitais alcançam funcionamento pleno.
É importante lembrar que a melatonina não é um remédio para dormir. Funciona de uma forma totalmente diferente. Ela já é um hormônio que nosso corpo produz e, ao tomá-lo, você está apenas adquirindo-o de outra forma.
Entretanto, é preciso ter um pouco de cuidado. A dosagem correta fica entre 0,3 e 1 mg e, passando disso, pode surtir efeitos indesejados. Além disso, não se pode tomar durante o dia para que o corpo não fique confuso com a luz e o crescimento da taxa de hormônio.
Você vai saber se sua dose está alta quando sentir sonolência pela manhã, tiver pesadelos vívidos, acordar nervoso ou com palpitações e se sentir irritado e agitado.
No Brasil, não é possível comprar melatonina em qualquer farmácia, mas seu consumo é permitido. Essa proibição acontece porque não há regulamentação definida em território nacional. Mas nada impede que você peça em um site estrangeiro ou encontre lugares que forneçam melatonina manipulada.
Ficou animado com os benefícios da melatonina? Conheça outras formas de melhorar o seu sono.
benefícios da melatonina

Como ter uma boa noite de sono

Além da melatonina, alguns hábitos podem facilitar as boas noites de sono. Conheça e veja se você também pode incluí-los no seu dia a dia.

Luz azul

A luz artificial, ou luz azul, é parte da rotina de muita gente, mas prejudica nosso sono. Essa luz, que vem de celulares e computadores, manda sinais para o seu cérebro dizendo que ainda existe luz solar e que você deve ficar acordado. Isso atrapalha a produção dos hormônios do sono.

  • Para quem está acostumado a ficar grudado ao celular até tarde da noite, não é boa notícia. Entretanto, basta tomar alguns cuidados:
  • Evite qualquer tipo de luz artificial depois das 21 horas.
  • Procure aplicativos que filtram a luz azul, como o f.lux.
  • Se você quer ler antes de dormir, prefira o Kindle ou outros e-readers. Esses aparelhos não emitem luz, pois têm um sistema que a reflete.

Tome um banho antes de dormir

Tomar uma ducha antes de dormir ajuda a relaxar e reduz a nossa temperatura corporal, o que estimula a produção de hormônios do sono. Entretanto, evite que o chuveiro esteja muito frio (pode deixá-lo muito alerta, como ensinou Tony Robbins) ou muito quente (resseca a pele).

Evite ingerir álcool

A primeira impressão é a de que beber um drink ou uma cerveja vai facilitar o sono. Mas a verdade é bem o contrário: o álcool interfere na produção de hormônios do sono e altera os químicos do nosso corpo, fazendo com que acordemos no meio da noite.
Além disso, pode agravar problemas de respiração (por isso roncamos mais quando bebemos) e dá vontade de ir ao banheiro, também fazendo com que a noite seja atribulada. Por isso, ao invés de abrir aquela cervejinha, conte com os benefícios da melatonina.
Se você ainda não está convencido sobre os benefícios do sono e da melatonina para a sua saúde e produtividade, veja nossa dica de leitura abaixo.
benefícios da melatonina

Recomendação de leitura: A Revolução do Sono

Foi Arianna Huffington quem escreveu esta obra, que é uma homenagem ao sono. A jornalista, empresária e multimilionária acredita que estamos em uma crise mundial de privação do sono. Ela percebeu isso em 2007, quando teve um pico de cansaço e desmaiou.
A queda fez a ficha cair: não adianta nada “roubar” horas de sono do futuro e trabalhar durante noites sem fim. Uma hora, seu corpo cobra a conta. As consequências são profundas, na nossa vida pessoal e profissional.
Arianna acredita que para vencermos essa cultura da falta de sono, precisamos provocar uma revolução. Por isso, ela explora em sua obra o significado do sono e mostra como viver em uma cultura que prioriza tudo menos as boas noites de sono tem efeitos significativos para a nossa saúde e até para a forma como tomamos decisões.
Leia o microbook deste livro aqui. Microbooks são resenhas críticas que demonstram os ensinamentos principais de cada obra para que você leia em apenas alguns minutos. Quer encontrar outros títulos? Acesse o 12Min e faça um trial.
E você, tem tido boas noites de sono? Conte para nós nos comentários!

Teste A/B: dicas para usá-lo e aumentar sua conversão

Marketing não é uma ciência exata. Uma área do conhecimento que lida com pessoas não pode ser previsível. Você pode executar a mesma ação com o mesmo público em momentos diferentes e obter resultados totalmente díspares. É por isso que profissionais lançam mão do teste A/B.
Pense que tudo que você faz pode ser melhorado. Isso vale para sites, e-mails, redes sociais. Os efeitos nos resultados da sua estratégia podem ser incríveis. Quer descobrir qual é a melhor versão possível? Continue lendo este artigo e aprenda técnicas e dicas de teste A/B!
teste a/b

O que é teste A/B

Basicamente, um teste A/B divide uma audiência em grupos e testa variações de uma campanha entre eles. Assim, é possível observar como uma versão performa perto da outra. Você pode descobrir se um botão verde é melhor do que vermelho, por exemplo.
Desta forma, para rodar um teste A/B, você deve criar duas versões diferentes de uma peça ou conteúdo. É importante contar com apenas uma alteração. Então, você mostra essas versões para tamanhos de grupos parecidos e analisa a performance.
Vamos fizer, por exemplo, que você queira saber se alterar um CTA para o topo da página em vez de mantê-lo no rodapé vai aumentar a conversão. Para fazer o teste, você deve criar outra página com essa mudança. O design existente é a versão A e a alteração, B.

Como planejar um teste A/B

O primeiro passo para começar a planejar o seu teste A/B é escolher o que você quer testar. Você pretende fazer um teste dentro ou fora do seu site? Se for dentro, terá que saber quais elementos estão relacionados ao aumento das vendas e selecionar um deles para testar.
Quando o teste é fora do site, normalmente é relacionado a e-mails, ads ou redes sociais. Testar peças diferentes ou fazer mais de uma copy para um anúncio, por exemplo, ajuda a saber qual deve receber mais dinheiro ou como os próximos devem ser confeccionados.
Uma vez que você sabe o que vai testar, faça uma lista de todas as variáveis. Por exemplo, se for um CTA, deverá decidir:

  • A localização do CTA
  • O texto
  • A cor

É comum que você precise realizar vários testes A/B antes de fazer uma decisão final. A fim de facilitar, tenha em mente, antes de começar, uma ideia sobre os resultados que pretende alcançar. Os resultados-base são os que você já tem e o objetivo é melhorá-los.
Por isso, é interessante manter a versão atual e aplicar uma nova como a “B”. Assim, você não corre o risco de conseguir resultados piores do que os que já tem, implementando duas versões novas. Além disso, separe um período suficiente para garantir resultados fiéis estatisticamente. O tempo exato depende do seu objetivo e da quantidade de tráfego que você recebe.
Evite também testar variáveis em períodos diferentes. Você pode arriscar resultados pouco fiéis, já que pode haver diferenças de tráfego entre os dias testados. Outro ponto importante é não fazer mais de um teste ao mesmo tempo. Assim, você evita misturar os resultados e ficar sem saber o que foi melhor ou pior no final.
teste a/b

Dicas para um teste A/B de sucesso

Agora que você já sabe um pouco sobre como começar e pontos de atenção para implementar o teste A/B, veja essas dicas para garantir ainda mais sucesso.

Utilize ferramentas

Para fazer seus testes, pode ser que você precise de uma ferramenta. Redes sociais como o Facebook permitem a criação de anúncios parecidos e oferecer insights sobre eles. Em um site, entretanto, procure uma boa ferramenta para ajudá-lo.
Se for um site criado no WordPress, tente os plugins Visual Website Optimizer ou WP Content Experiments. Entretanto, existem vários para todos os tipos de teste, basta procurar.
Para e-mails, depende da sua ferramenta. O MailChimp possui essa funcionalidade, bem como RD Station e Hubspot. Para as duas últimas, isso também vale para landing pages e e-mails de automação.

Peça feedback de usuários reais

Testes A/B têm muito a ver com dados quantitativos, mas isso não significa que você não possa incluir entrevistas e grupos focais na estratégia, se houver orçamento. Isso vai ajudá-lo a entender o motivo das pessoas escolherem uma coisa e não outra.
Uma das melhores formas de fazer isso é por meio de formulários. Você pode adicionar um popup ou CTA ao seu site e oferecer prêmios e ofertas para quem responder. Pergunte aos visitantes por que não clicaram em um link ou não converteram em uma LP. Você pode fazer descobertas interessantes com essa ação.

Não deixe o conhecimento se perder

Se uma variação foi significantemente melhor do que a outra, você tem uma vencedora. Complete o teste desativando aquela que performou pior. Caso não haja tanta diferença, tente outra variável – pode ser que aquelas testadas não sejam tão interessantes.
Depois de finalizar, caso haja uma resposta válida, não deixe que esse conhecimento se perca. Se um anúncio com um estilo de fonte ficou melhor, aplique em outros futuros. Mas não se dê por convencido – o ideal é realizar testes sempre que possível, pois, como já falamos, há sempre uma versão melhor.

Teste A/B é a chave

Ao realizar testes A/B, você tem chance de crescer muito mais. Seu site pode ganhar mais tráfego, gerar mais conversão e vendas. Seus e-mails podem ganhar mais aberturas e cliques. É certo que você precisa se dedicar e separar um tempo para criar os testes, mas é bem provável que eles valerão a pena.
Se você gostaria de aprofundar seus conhecimentos sobre o mundo dos dados, sugerimos outro blog post: o que é growth hacking e por que é tão importante. Você vai saber como essas técnicas ajudam empresas pelo mundo todo e como a sua pode começar a utilizar para impulsionar resultados.
Nós também temos resenhas críticas de livros dessa área na plataforma. Acesse a categoria Marketing & Vendas e escolha um título para ler hoje mesmo!
Adoramos saber o que você acha dos nossos conteúdos. Quer falar o que achou ou contar a sua experiência realizando testes A/B? Deixe sua opinião nos comentários!

Como fazer um pitch matador: o guia para uma apresentação de sucesso

Você com certeza já precisou convencer alguém de alguma coisa. Seja um salário mais alto ou um desconto numa loja, todos nós almejamos algo. A fim de persuadir uma pessoa (ou várias) a melhor estratégia é explicar o seu ponto de vista e demonstrar os motivos para ceder.
Isso é um pitch! Uma apresentação rápida que foca em persuasão. Muitas startups precisam elaborar um que seja incrível, a fim de conquistar investidores. Vendedores fazem o tempo todo, buscando clientes.
E você? Está precisando aprender como fazer um pitch matador? Neste artigo, falamos sobre o que é um pitch, quais são as estratégias mais utilizadas, oferecemos um modelo de pitch e formas de aperfeiçoar o seu. Está pronto? Vamos lá!
como fazer um pitch

O que é pitch

Pitch é uma apresentação de um negócio ou projeto feita com o objetivo de conseguir alguma coisa: um investimento, um cliente, um parceiro. Pitches apresentam pontos importantes, muitas vezes em poucos minutos ou mesmo segundos (no caso de elevator pitch).
O discurso de um pitch deve conter as informações certas, capazes não só de fisgar a atenção da audiência, mas também convencê-la sobre algo. No caso de uma startup, por exemplo, um pitch para um investidor deve explicitar como o negócio pode ser rentável.
O pitch ainda pode ser apresentado durante eventos ou para o board da sua própria empresa. Os objetivos são variados, mas o conteúdo e as estratégias são parecidos. Para ajudar você a construir o seu, confira nossas dicas abaixo.

Como fazer um pitch

Cada pitch tem uma essência. Podemos explicar para você como fazer um pitch da melhor forma, mas dependendo do seu estilo e da pegada dos seus interlocutores, as estratégias variam. No fim das contas, o pitch perfeito vem com a experiência. Mas para ajudá-lo a começar, confira algumas estratégias que podem ser utilizadas.

Solte a criatividade

Um grande problema dos pitches que vemos por aí é a falta de características que os fazem memoráveis. Por isso, é importante ser criativo. Exalte as características do seu negócio que não vão sair da cabeça das pessoas, apresente as ideias por um ângulo diferente.
Você não precisa ser um humorista ou cantor, apenas apresentar uma visão sobre as coisas que geralmente não apareceria. Assim, fica difícil esquecer.

Passe segurança e certeza

Observe qualquer bom vendedor trabalhando e a característica mais observada com certeza será a segurança e a certeza sobre o que está vendendo. Para que seu pitch de vendas convença os outros sobre alguma coisa, você precisa ser convencido primeiro.
Aqui também é importante treinar para não deixar o nervosismo tomar conta. Saiba quais pontos abordar quase de cor para evitar gastar tempo com pausas, demonstrando pouco conhecimento do assunto.
como fazer um pitch

Apoie-se nos dados

Dados são ótimos para convencer as pessoas. Se houver números a seu favor, seja com relação ao mercado ou ao seus clientes, não deixe de mencioná-los. As pessoas gostam de ouvir fatos reais, especialmente quando há dinheiro envolvido e quando mexe com algum fator pessoal.
Se o que você está tentando vender aumenta a segurança, como um alarme residencial, fale sobre os assaltos a casas nos últimos tempos.

Seja o mais direto possível

Seu pitch precisa ser compreensível. Nem tudo nessa vida pode ser compreendido em poucos minutos, por isso, se esforce para organizar as informações de uma forma fácil de entender.
Além disso, não se preocupe em parecer “vendedor” demais. Utilize termos como “exclusivo”, “original” e “domínio de mercado”. Dentro do contexto certo e sendo verdade, essas palavras fortalecem a sua ideia.

Modelo de pitch

Agora você aprendeu estratégias que ajudam a compreender como fazer um pitch. Você pode utilizar todas ou apenas uma, depende do que quer demonstrar. Como falamos, nenhum pitch é igual ao outro. Ainda assim, se você está encarando a página em branco nesse momento, comece pelo modelo:
Olá! Meu nome é <<NOME>>, sou representante da <<EMPRESA>>. Nós fazemos um <<PRODUTO>> para <<PÚBLICO-ALVO>>. Ele permite que as pessoas <<PROPOSTA DE VALOR>>.
Diferentemente da <<COMPETIÇÃO>>, nós <<VANTAGENS COMPETITIVAS>>. <<CTA>>.
Nesse caso, o CTA é uma expressão com verbo no imperativo que indica um próximo passo. Ofereça um horário para se reunir, fale seu telefone, convide as pessoas a conhecerem a empresa. Lembre-se do seu objetivo e faça-o valer.
Você pode adicionar vários outros elementos ao discurso, como alternativas ao produto, enfatizando que o seu é melhor, informações sobre o mercado, custos, preços para o cliente, etc.

Livros sobre como fazer um pitch

Para você aperfeiçoar mais ainda seu conhecimento sobre como fazer um pitch, confira alguns livros que podem ajudar.
como fazer um pitch

Daniel Pink – Vender é Humano

Saber como fazer um pitch é saber vender. Mas a verdade é que a capacidade de convencer alguém a comprar alguma coisa é uma característica intrínseca do ser humano. Você só precisa saber como libertá-la.
Neste livro, Daniel ensina a fazer exatamente isso. Aprenda como realizar vendas baseando-se em elementos como a comunicação e o entendimento do processo de vendas. O autor também lista tipos de pitch interessantes que se aplicam a situações inusitadas para você conhecer bons exemplos.
como fazer um pitch

Oren Klaff – Pitch Anything

Oren traz uma perspectiva da Psicologia e da Ciência para ensinar o leitor a destacar suas características boas para vender. Saiba influenciar multidões sem precisar mudar sua própria voz, apenas aplicando-a da forma certa.
O autor ainda explica como você pode melhorar sua dinâmica com clientes – ao fazer um pitch, é importante criar sintonia com a audiência.
E aí, o que achou das nossas dicas? Você pode explorar a categoria Comunicação e Networking do 12Min para descobrir outras obras que vão ajudá-lo a potencializar seu pitch. Leia resenhas críticas dos livros e absorva os ensinamentos necessários.
Nós adoramos saber o que você pensa sobre os assuntos! Que tal deixar seu comentário abaixo? Divida experiências e dê novas ideias para outras pessoas que também estão buscando aprender como fazer um pitch.

Happy hour: porque ir e como voltar ileso

Consumir álcool e ser saudável são duas coisas nem sempre alinhadas. Mas a verdade é que participar de um happy hour com a sua equipe pode trazer muitos benefícios para a sua vida profissional. Sem contar que você pode acabar se divertindo, oras!
Assim, para te ajudar um pouco a participar de um happy hour saudável, trouxemos algumas dicas de como aproveitar melhor, quais bebidas não prejudicam tanto a saúde e como amenizar a muitas vezes inevitável ressaca no dia seguinte.
happy hour

Por que você deve comparecer ao happy hour

De segunda a sexta, depois das 18h, bares e restaurantes já começam a ficar cheios de pessoas que trabalharam durante todo o dia em um escritório. Com a desculpa de aproveitar as promoções de happy hour, toda a equipe marca uma saída a fim de tomar algumas bebidas e conversar coisas mais diversas, além de trabalho.
Por mais que seja um momento para relaxar, essa hora pode ser essencial para o seu sucesso em um emprego. Isso porque laços realmente fortes podem se formar durante o happy hour e a equipe só tem a ganhar com a integração reforçada.
Isso acontece porque, por mais que você estetivesse durante o dia todo dividindo o mesmo ar com as pessoas, isso não significa que vocês vão trocar confidências. É aí que entra o momento de descontração e a confiança é construída.
Com uma relação mais fortalecida, os projetos da empresa também têm muito a ganhar. Afinal, o fluxo de ideias é muito maior quando as pessoas se sentem confortáveis para conversarem entre si.
Mas esses momentos podem se tornar um pesadelo se você não tomar alguns cuidados. Evite beber demais. Começar com um drink sem ter comido antes, por exemplo, pode ser a ruína. Também nunca beba e dirija depois. Além de ser perigoso, pode demonstrar irresponsabilidade.
Além disso, outro problema dos happy hours é o consumo de álcool durante a semana. Além de ter o potencial de causar uma ressaca, não faz bem à saúde. Mas se você ainda assim prefere participar da festa, te damos algumas dicas de como escolher bebidas menos prejudiciais.
Quer outras dicas para transformar a cultura organizacional? Veja este artigo.

Bebidas para não prejudicar tanto a saúde

Uma coisa é certa: beber em excesso e com frequência faz muito mal à saúde. Isso inclui ganho de peso, aumento da pressão arterial, sobrecarga do fígado e por aí vai.
Entretanto, muitas pesquisas dizem comprovar que consumir álcool, especialmente vinho, em pouca quantidade e de vez em quando pode na verdade ajudar a melhorar sua saúde. Existem estudos que comprovam a diminuição do risco de doenças cardíacas, derrame e diabetes só por incluir esse hábito na rotina.
Mas não vamos nos ater aos estudos que tentam achar uma desculpa para você encher a cara. Que tal olharmos para as bebidas que vão fazer menos mal?
Procuramos nos concentrar mais em ajudar a definir melhor sua bebida de escolha no happy hour, levando em conta as calorias, carboidratos e quantidade de álcool.

Vinho e bebidas destiladas

A contagem de calorias de cada bebida pode variar bastante, dependendo do que você mistura. Tomar vinho e bebidas destiladas puras (ou apenas com gelo) é a melhor escolha para quem não quer sair muito da dieta no happy hour.
Mas vá com calma! Essas bebidas oferecem um teor alcoólico alto e por serem servidas em doses pequenas mas concentradas podem facilitar a ingestão em tempo recorde e te deixar inebriado mais rápido (ou seja, saia correndo dos shots de tequila). Boas opções:
Vinho tinto
Teor alcoólico: 11% a 14%
Calorias em 100 ml: 80 – 100
Vodka
Teor alcoólico: 13% a 40% (neste caso, certifique-se de escolher uma marca mais leve)
Calorias em 100 ml: 220 – 250
Saquê
Teor alcoólico: 13% a 16%
Calorias em 100 ml: 130 – 200

Drinks

Agora, se você não gosta de consumir essas bebidas puras, pode querer um drink ou apenas misturar com alguma outra não alcoólica.
Se esse for o seu gosto, procure substituir por refrigerante zero ou suco. Para os drinks, quanto menos ingredientes, melhor. Fuja dos xaropes, licores e receitas com muito açúcar.
Caipirinha com açúcar
Teor alcoólico: 38% a 48%
Calorias em 100 ml: 125
Batidas com frutas, vodka e leite condensado
Teor alcoólico: 13% a 40%
Calorias em 100 ml: 350
Cuba libre com Coca Zero
Teor alcoólico: 13% a 40% (depende da marca do rum)
Calorias em 100 ml: 80

Cerveja

A verdade é que a maioria dos happy hours no Brasil são acompanhados de cerveja. Afinal, estamos entre os 20 países que mais consomem a bebida no mundo.
Por isso, é bem provável que essa seja a sua escolha favorita, ainda mais agora que o mercado de cervejas artesanais só cresce.
Se você for olhar pela saúde, infelizmente a regra é: quanto menos calórica a cerveja, pior ela vai ser. Isso sem contar os carboidratos que estão muito presentes nela.
O ponto positivo aqui é que a cerveja tem teor alcoólico mais baixo, entre 5% e 9%. Por isso, são menores as chances de você ter que ir embora mais cedo.
Pilsen
Teor alcoólico: 4,5% a 5%
Ales
Teor alcoólico: 4% a 7% (algumas até mais)
Trigo
Teor alcoólico: 4,3% a 5,6%
A quantidade de calorias pode variar bastante de marca para marca.

Como driblar a ressaca para trabalhar no dia seguinte

Durante o happy hour, procure consumir água e outras bebidas não alcoólicas. Também não deixe de comer – estômago vazio potencializa o efeito do álcool.
Mesmo fazendo isso e bebendo moderadamente, às vezes é inevitável acordar no dia seguinte se sentindo… Menos do que 100%.
Se o happy hour aconteceu durante a semana, isso pode ser um problema para a sua produtividade. Por isso, algumas dicas:

  • Beba água sem parar durante o dia
  • Coma kiwi e banana – ótimas fontes de potássio, que seu organismo vai precisar
  • Coma uma torrada com algo doce – o combo de carboidratos e açúcar vai te acordar
  • No almoço, busque uma refeição balanceada – nada de cair nas frituras

E aí, pronto para o próximo happy hour? Conte para nós nos comentários a seguir a sua opinião sobre o assunto!

Técnicas e métodos para tomar decisões com mais habilidade

Você já tomou uma decisão equivocada? Por mais que seja difícil, tomar decisões é uma parte importante da vida, seja profissional ou pessoal. Sem perceber, nós tomamos entre 400 e 1000 decisões por dia.
Com esse montante, é preciso aceitar que vão existir perdas. Isso não depende de ser o caminho certo ou errado. Escolher uma opção implica em abrir mão da outra em qualquer situação.
Como empreendedor (ou em qualquer outra forma de trabalho), o instinto conta bastante nessa hora. Mas não dá para se apoiar só nele. A verdade é que algumas decisões requerem uma dose de estratégia. Isso mesmo quando há muita experiência envolvida.
Vamos explorar aqui um pouco mais sobre a estratégia para tomar decisões, como se preparar melhor, analisar cada opção e, dependendo do cenário, como enxergar as escolhas de uma forma diferente.
tomar decisões

Conheça o tamanho da decisão

Na rotina, devemos tomar decisões de vários tipos. Cada uma delas pode significar uma quantidade diferente de energia e tempo que precisam ser despendidos. É esse gasto que devemos procurar eliminar para encarar as coisas de forma mais coerente e clara.
Por exemplo, uma das decisões mais comuns na vida de muitas pessoas é sobre o que comer ou onde comer. Para resolver essa questão é até bem simples: utilize o método Mark Zuckerberg.
Escolha sempre o mesmo prato. Se possível, o mesmo restaurante. Não precisa ser restrito como o Mark: procure ter algumas variações para não cair na mesmice. Mas procure limpar essa parte do cotidiano eliminando a escolha principal e diminuindo a fadiga.
Para tomar decisões um pouco mais complexas, especialmente as que envolvem outras pessoas, mas são imediatas, existe outro método. Mais baseado no instinto, seu principal benefício é eliminar a ansiedade que envolve tomar decisões.
Trata-se do método se/então. Você define que se determinado evento acontecer, você vai escolher a opção x. Se não, opção y. Por exemplo: se eu finalizar mais essa tarefa, então vou ao happy hour hoje.
Mesmo assim, esses métodos não cobrem aspectos importantes da tomada de decisões, como a quantidade de fatores que podem interferir na escolha. Se você decide ter uma conversa difícil com alguém, precisa escolher o momento certo de fazer isso, além do lugar e do que exatamente vai falar.
Por isso, para tomar decisões estratégicas que podem significar mudanças grandes na sua vida ou na sua empresa, você pode querer um pouco mais de reflexão. Saiba como conseguir isso a seguir.

Como tomar decisões complexas com Benjamin Franklin

Existem algumas técnicas para tomar decisões diferentes. Aqui, vamos explicar como usar a técnica do Benjamin Franklin. Apesar de envolver alguns cálculos, a técnica é boa para quem precisa tomar decisões de forma ágil e o mais acertada possível.
A técnica se baseia em uma lista de prós e contras, baseada em ponderação para tomar decisões. O único problema é que pode demorar dias. É importante se lembrar que dentro das organizações, essa não pode ser a melhor estratégia. Por isso, determine um prazo para decidir.
Benjamin não se preocupava tanto assim com o prazo e adicionava itens à sua lista durante pelo menos quatro dias. Junto com cada item, ele determinava um peso numérico. Se esse peso fosse o mesmo nas duas colunas, cortava os itens dos dois lados.
Se ele achasse, por exemplo, que dois prós tinham o mesmo peso de três contras, cortava todos. Durante mais dois dias, ele observava sua lista equilibrada e aí considerava estar pronto para tomar a decisão.

Expansão do método Benjamin Franklin

Mas e quando a lista não é suficiente? Você já pesquisou todas as possibilidades, tem a opinião de amigos e familiares, mas ainda está preso entre duas escolhas que parecem equivalentes.
Para esse tipo de situação, foi criada uma expansão da técnica do Benjamin Franklin. Ela é baseada na ideia de que toda decisão tem vantagens e desvantagens. Você precisa tentar enxergar qual delas tem mais do que é melhor e menos do que é pior.
Como decidir entre duas opções atrativas utilizando a lista de multi atribuição:

  1. Faça duas colunas em uma folha de papel, nomeie uma de “Elemento” e a segunda de “Fator de Importância”. Ao lado delas, crie mais colunas com todas as escolhas disponíveis. Por exemplo, um novo trabalho em São Paulo e outro no Rio de Janeiro.
  2. Na coluna “Elemento”, liste todos os principais elementos que influenciam sua decisão. Por exemplo, se você está tentando decidir entre empregos, você listaria coisas como local, pagamento, benefícios, segurança do trabalho, horas de trabalho, prazer, etc.
  3. Na coluna “Fator de Importância”, atribua a cada elemento um número de 1 a 10 de acordo com a importância desse elemento para você. Por exemplo, se o tempo que seu trabalho permitir que você gaste com sua família seja muito importante para você, dê a esse elemento um 9. Se ficar perto de sua família não é tão importante para você, então dê algo como um 4. Evite pensar demais nessa hora.
  4. Agora, classifique as escolhas de acordo com os elementos listados. Você vai atribuir um número de 1 a 10 para cada escolha, como se fosse uma pontuação. Por exemplo, se o trabalho em São Paulo oferece um plano de seguro de saúde excelente, você daria um 9. Se o trabalho no Rio vai exigir que você trabalhe mais de 40 horas por semana dê 5 para “horas de trabalho”. Certifique-se de deixar espaço no lado direito da coluna para outro número.
  5. Multiplique o fator de importância pelas notas para cada escolha. Por exemplo, se você deu a importância do elemento de salário um 8, e você deu o trabalho em São Paulo um 7 para o quesito, você faria a conta 8×7 e sairia com 56. Este número fica ao lado direito da coluna de cada escolha.
  6. Depois de ter multiplicado todos os seus fatores de importância pela pontuação de cada elemento, some todos esses números até obter um total. Qual escolha tem o maior número de pontos? Este será o seu resultado.

Parece muito complicado mas fizemos aqui um exemplo de como fica a escolha entre dois empregos:

Claro, você pode colocar um número influenciado por um desejo que já existe. Isso acontece e é natural. Mas procure trabalhar a tabela até que tudo pareça satisfatório.
Olhando de forma prática, tomar decisões pode parecer até fácil. Mas nem sempre é possível observar as questões de forma prática. Ter um filho ou não, por exemplo, não é algo que se decide utilizando prós e contras. Veja uma dica para isso a seguir.

As grandes decisões da vida

A filósofa Ruth Chang, em sua palestra no TED, procura desmistificar um pouco a estratégia por trás da tomada de decisões quando se trata de assuntos mais complexos.
Grandes decisões da vida, como ter um filho, casar, escolher uma carreira ou doar para uma ONG podem ser entendidas quase sempre da mesma forma. São decisões complexas e inevitáveis no curso da vida.
Muitas vezes, acaba sendo uma escolha entre o risco e a segurança. Uma opção é segura, a outra não é. Mas nenhuma das duas é inteiramente boa para a sua vida. Não é possível resumi-las em números, que podem ser iguais, maiores ou menores. O amor por alguém, por exemplo, não pode ser medido dessa forma.
Em resumo, a dica é: esqueça a tentativa de escolher qual é a melhor opção pois ela não existe. Precisamos tomar decisões e não deixar que o mundo as tome por nós.

 
Conheça a seguir algumas dicas para tomar decisões de negócio.

Dicas bônus de um consultor

Mike Myatt é consultor de lideranças e autor dos livros “Hacking Leadership” e “Leadership Matters”. Ele dá 6 dicas para quem está debatendo uma decisão:

  • Analise os dados quando a sua decisão envolver uma organização.
  • Confie no seu conhecimento, mas também leia sobre a natureza da decisão que precisa tomar.
  • Não deixe de prestar atenção à sua tendência pessoal em escolher uma coisa ou outra. Ela pode te dizer muito ou trazer peso desnecessário a um dos lados.
  • Peça opiniões de quem é qualificado para ajudar, como mentores.
  • Pergunte a si mesmo se aquela é a coisa moralmente correta a ser feita.
  • E por fim: tenha um plano para os cenários em que a escolha deu certo ou errado. Nunca dê passos em falso!

Na plataforma do 12Min, temos alguns livros que podem te ajudar em todo o processo que envolve uma escolha difícil. Veja nossas sugestões:

Pense Como um Freak – Steven D. Levitt & Stephen J. Dubner

Algumas vezes é importante ter uma atitude mais espontânea sobre a vida. Não comece a fazer as coisas já acreditando que não vai dar certo. Essa é a sabedoria desse livro dos mesmos autores de Freakonomics.

Decisive – Dan Heath e Chip Heath

Estar na nossa zona de conforto é ótimo – até que você caia na real e perceba que pouca coisa mudou ou evoluiu. Que tal aprender a tomar decisões com mais habilidade e ampliando suas possibilidades? Leia essa obra definitiva dos irmãos Heath.
E aí, pronto para tomar aquela decisão que vem arrastando? Conte o que achou de nossas dicas nos comentários abaixo, adoraríamos saber o que você achou!

Android: tudo o que você precisa saber sobre o sistema operacional

Seja para quem está adquirindo o primeiro smartphone ou resolveu largar o iPhone, utilizar o Android pela primeira vez pode ser um pouco estranho. Entretanto, o sistema do Google foi feito para diversos modelos de celular, mas se você se acostuma com um, provavelmente não terá problemas com nenhum outro.
Para ajudar você a começar, criamos este guia básico. Nele, você vai encontrar informações sobre as versões do Android, como começar a usar, quais são os aplicativos indispensáveis e muito mais.
Vamos lá!
android

O que é Android e como surgiu

O sistema operacional para dispositivos mobile da Google surgiu como uma versão aprimorada do Linux kernel, que, por sua vez, havia sido criado para entrar no mercado de aparelhos touchscreen. Antes, o sistema pertencia à Android Inc., que foi comprada pela Google.
Primeiramente, os criadores da companhia queriam um sistema para câmeras fotográficas digitais. Com o tempo, perceberam que esse mercado era pequeno demais para suas ambições. Por isso, desde então, foram colocadas no mercado versões do Android para TVs, carros, consoles e muito mais. Aqui, vamos focar nos celulares.
O Android tem alcançado mais dispositivos que o iOS desde 2011 e atualmente tem mais de 2 bilhões de usuários mensais ativos. Ele está presente em vários modelos de muitas marcas diferentes, como Samsung e Motorola.
Todos os anos, a Google anuncia uma nova versão do sistema operacional. Entretanto, as atualizações demoram a chegar a todos os aparelhos (exceto Pixel e Nexus que são os primeiros) por causa da diferença entre eles. Assim, mesmo que ainda não tenha chegado para o seu, veja um resumo de cada uma das três mais atuais.

android

Android rodando em um Samsung Galaxy Note 5

Marshmallow – 6.0

Essa é a sexta maior versão do Android e foi lançada em formato beta em maio de 2015. O foco foi melhorar a experiência do usuário de forma geral em comparação com a atualização antecessora, chamada de Android Lollipop.
Introduziu novas APIs para desenvolvedores, novo sistema de gerenciamento que reduz as atividades de background para economizar bateria, suporte para reconhecimento de digitais, dentre outras mudanças internas.
Para os usuários, além de mudanças básicas no design, o Android Marshmallow trouxe a função “Now on Tap”. Trata-se de uma funcionalidade que ativa buscas inteligentes que interagem com o que você faz em qualquer aplicativo, sem que seja necessário sair dele.
Funciona em qualquer aplicativo que aceita texto: digite que deseja ir ao cinema, por exemplo, e uma caixa vai se abrir para você pesquisar, traduzir ou falar o que quer saber.

android

Android Nougat rodando em um Honor 8.

Nougat – 7.0

Lançado em 2016, o Android Nougat sucedeu o Marshmallow e chegou primeiro em aparelhos Nexus. As mudanças são significativas: agora existe a possibilidade de utilizar dois apps ao mesmo tempo, suporte para responder notificações sem precisar entrar no aplicativo, dentre outras novidades.
Os aparelhos que utilizam o Nougat têm chance de ter melhor desempenho da bateria, já que a função apresentada no Marshmallow ganhou melhorias aqui. O formato das notificações também ganhou alterações: agora elas são expansíveis e você pode responder algumas direto da bandeja, sem ter que entrar no app.

android

Exemplo de utilização da tela com dois apps.

Oreo – 8.0

O Android Oreo é a mais recente versão do sistema operacional. Lançado em 2017, está ainda presente em pouca quantidade de dispositivos.
A atualização veio com várias mudanças e novas funcionalidades, dentre as principais:

  • Agrupamento de notificações
  • Melhorias de performance e uso de bateria
  • Picture-in-picture (permite que você veja vídeos em uma janela menor enquanto navega por outros apps)
  • Bluetooth 5
  • Wi-Fi Aware (permite a criação de micro pontos de WiFi utilizando dispositivos próximos sem precisar estar conectado a redes tradicionais)

O Oreo também apresentou uma versão mais simples do sistema operacional, chamada de Android Go. Focada em celulares de baixo custo, tem aplicativos mais leves, que evitam a sobrecarga de smartphones de menos de 1GB de RAM.
Agora que você está por dentro das versões do Android, vamos mostrar como você pode atualizar o seu – assim que o download estiver disponível.

Como atualizar o Android

Como falamos acima, alguns dispositivos demoram um pouco para receber as mais novas atualizações do Android. Agora, se você recebeu a sua, não deixe de atualizar. Assim, além de poder testar as funcionalidades novas, você mantém os apps rodando sem incompatibilidades.
Existem muitos modelos com o sistema operacional, mas os passos básicos para atualizar o Android são os seguintes:

  • Faça um backup de todos os seus dados. Assim, você evita que algo dê errado e você perca tudo quando o telefone atualizar. Para isso, você pode subir tudo para o Google Drive ou transferir para um computador, por exemplo.
  • Em seguida, vá até “Configurações” e procure a opção “Sobre o telefone”.
  • Toque em “Atualizações do sistema” e verifique se há atualização disponível para o seu aparelho. Entretanto, é bem provável que você receba notificações com aviso para atualizar e não precise fazer isso.
  • Caso haja, aceite o download e siga as orientações para instalar a atualização.

É importante que você esteja conectado a uma rede WiFi e que seu dispositivo esteja com a bateria carregada.
Muito bem. Agora que aprendemos sobre as versões do Android, vamos aos primeiros passos para utilizar o sistema operacional da Google.

Como começar a utilizar seu celular Android

Se você está utilizando um novo aparelho, ligue seguindo as instruções do fabricante. Você deverá selecionar uma língua, em seguida, aperte “start”. Conecte o smartphone a uma rede WiFi e pronto, estamos prontos para começar!
Para que seu celular Android esteja sempre configurado com as suas preferências, é interessante que você o conecte a uma conta do Google. Assim, você terá salvo a lista de aplicativos (que serão baixados automaticamente), além de senhas e outras configurações.
Se você ainda não tem uma conta do Google – o que é raro – crie uma. Faça login no seu celular: agora você está apto a baixar apps, fazer backups e utilizar outros serviços.
Para escolher o que sincronizar, vá até Configurações> Contas. Caso você não deseje que seus contatos migrem, por exemplo, basta desativar. Se você tiver o Google Photos (que vem já instalado na maioria dos dispositivos), suas fotos serão salvas na nuvem automaticamente.
Durante o processo de configuração de um novo celular Android, ele deve pedir para que você crie uma senha, padrão ou digital para bloquear a tela do telefone. Assim, você fica seguro caso seja roubado ou perca seu aparelho.
Na parte de baixo, você encontra os botões principais para navegação em qualquer aparelho Android:
android
Voltar: à esquerda, essa seta permite que você volte a qualquer tela anterior. Assim, você pode reverter dentro dos próprios aplicativos ou mudar de app, dependendo de qual foi a última ação feita.
android
Home: localizado no meio, o botão de home leva você de volta à tela principal de aplicativos. Nas versões mais recentes, apertar e segurar esse botão abre opções de pesquisa e fornece atalho para o Google Assistant.
android
Overview: mesmo quando um app sai da tela frontal, ele pode ainda estar rodando. Para fechar (ainda que restem funções de background), acione esse botão. Nas versões mais recentes, basta clicar em “limpar tudo” para fechar todos os aplicativos abertos no momento.
Uma funcionalidade de aparelhos com Marshmalow ou mais novo é o Google Assistant. Trata-se da tela que aparece quando você arrasta para a esquerda a partir da home. Dependendo das suas necessidades, pode ser uma boa opção utilizá-lo.
Então, entenda como acionar a seguir.

Como integrar o Google Assistant no Android

Uma funcionalidade legal do Google Assistant é que ele utiliza o seu histórico de buscas para escolher notícias, placares de jogos, previsão do tempo e outras informações sem que você tenha que pedir.
Ele ainda analisa sua agenda e seu e-mail para oferecer um resumo do eventos programados para cada dia. Se quiser experimentar, pressione o botão central por alguns segundos e siga as instruções.
Para acessar, clique no botão central por alguns segundos. Você ainda pode ativar arrastando para a esquerda a partir da home.
Muito bem! Você começou a utilizar o Android no seu aparelho. Agora aprenda a protegê-lo de ameaças, como vírus.

Anti vírus de Android

Proteger o seu smartphone ou tablet é muito importante. Afinal de contas, muitos dados e informações sobre você ficam armazenadas nesses dispositivos. Portanto, perdê-las ou vê-las caindo em mãos erradas pode ser um pesadelo.
O Android possui proteções inerentes ao sistema operacional, mas muitos usuários instalam também um antivírus, para reforçá-las. São aplicativos construídos especificamente para isso e protegem o aparelho de vários tipos de vírus (assim como acontece em computadores).
A maioria é gratuita e pode ser instalada facilmente pela Play Store. Conheça alguns antivírus para Android:
android

360 Security

O 360 Security é gratuito e traz, além de ferramentas de proteção, algumas de otimização do sistema. Ele ajuda a liberar espaço na memória RAM e faz limpezas no armazenamento para manter o dispositivo mais rápido. Protege contra vírus e malwares.
android

Avast Mobile Security & Antivirus

Este app também é gratuito e possui a função de escanear o aparelho atrás de vírus e malwares. Além disso, vem com outras funcionalidades, como escaner de roteadores (sim, é possível infectar roteadores com vírus!) e proteção dos apps por meio de senha. 

Bitdefender Mobile Security

Este aplicativo possui proteção contra vários tipos de sistemas que causam problemas nos smartphones e tablets: vírus, malwares, spywares, trojans e outras ameaças. Para utilizar com todas as funcionalidades, você deve pagar uma taxa. Confira no site o valor.
android

CM Security

O CM Security é gratuito e possui proteção contra vários tipos de ameaças, como adwares, spywares e outros. Como o app é conectado a um sistema de nuvem, tem capacidade de se atualizar sempre, adicionando proteções aos novos vírus que surgem.
Pronto, assim que você baixar um aplicativo de antivírus para Android, seu telefone estará protegido e pode começar a rodar sem o risco de perder a estabilidade. Então, vamos aos apps mais legais para o sistema operacional!

Apps para Android

Os aplicativos essenciais para você são muito pessoais. Alguns usuários não gostam de manter o Messenger do Facebook, por exemplo. Já outros não vivem sem. Nesta lista, vamos oferecer algumas dicas e você é quem define quais são indispensáveis. Vamos lá?

Comunicação

Hoje, celulares podem fazer muito mais do que apenas ligações e SMS. Nada comparado ao que víamos há dez anos. Ainda assim, utilizamos para o mesmo objetivo final: comunicação.
Aqui vão alguns dos aplicativos para Android que você pode querer adicionar ao seu telefone a fim de manter contato com a família e os amigos:

  • WhatsApp: apenas um dos aplicativos de mensagem mais famosos do mundo, o WhatsApp é quase uma obrigação. Com ele, você utiliza a rede de dados e se comunica por mensagem, fotos, áudios, vídeos e ligações.
  • Messenger: este é o app do Facebook para trocar mensagem com os amigos. Há quem diga que é um aplicativo lento, mas o fato é que passa por atualizações semanais e fica cada vez mais eficiente.
  • Hangouts: os celulares Android costumam já vir com o Hangouts instalado, já que é da Google. Mas se não houver, você pode querer utilizar e receber mensagens e fazer ligações com seus contatos de e-mail.
  • Skype: outro programa famoso mundialmente, o Skype também possui app para Android. Você pode utilizá-lo para fazer conferências, ligações e trocar mensagens.

Menções honrosas: Telegram e Viber.

Finanças

Smartphones e tablets são ótimos para manter o controle das suas finanças. Por isso, confira os que são interessantes ter no seu aparelho caso você se preocupe com isso:

  • Apps dos bancos: hoje, quase todos os bancos possuem aplicativos. Algumas vezes, é preciso se dirigir até a agência para conseguir permissões de segurança. Caso você já tenha, não deixe de baixar. Alguns que oferecem apps para Android são Bradesco, Itaú, Banco do Brasil e Santander.
  • GuiaBolso: é um dos apps de finanças mais famosos do país. Possui várias funcionalidades e se conecta com a sua conta para registrar movimentações instantaneamente.
  • Grana: aplicativo para Android que possui interface simples e as funcionalidades que você precisa a fim de controlar as suas finanças. Também se conecta com a sua conta do banco.

Você pode saber mais sobre aplicativos para controlar gastos e a importância disso neste post do nosso blog.

Transporte

Não importa como você gosta de se locomover pela cidade – a pé, de carro, ônibus, táxi ou bicicleta – sempre haverá um app para você. Confira alguns:

  • Waze: quase indispensável para quem vive em grandes cidades, o Waze é alimentado por meio de comentários de motoristas e evita que você caia em ciladas pelo caminho. Basta colocar o destino e seguir em frente.
  • Google Maps: este app vem já instalado em celulares Android e possui opções de navegação a pé, de carro e transportes públicos. Trace seu destino e veja imagens reais dos locais para ser ainda mais difícil se perder.
  • Motoristas particulares: o Uber foi o primeiro, mas hoje temos várias opções de aplicativos para solicitar corridas com motoristas particulares. Baixe: Cabify, 99 e Uber.

Delivery

Quer mais comodidade do que pedir uma pizza sem precisar levantar da cama? Os deliverys se tornaram cada vez mais populares e hoje ganham o mundo. Veja os melhores apps para Android:

  • iFood: um dos apps de comida mais famosos, o iFood tem vários restaurantes cadastrados e promoções frequentes.
  • PedidosJá: uma outra opção excelente de delivery  – se não deu em um, tente no outro!
  • Uber Eats: a Uber também se aventura no mundo da comida e entrega refeições por meio de motoristas pelas cidades.
  • Spoon Rocket: aplicativo para Android com a proposta de ter entregas gratuitas.

Música

Lembra-se de quando tínhamos aparelhos de mp3? Ou mesmo iPod, da Apple? Esse tempo acabou porque smartphones podem oferecer uma infinidade de sons em um mesmo aplicativo. Conheça alguns deles.

  • Spotify: uma das maiores bases de música streaming do planeta, o Spotify também oferece podcasts e até alguns vídeos. Utilize a versão free, com algumas propagandas, ou pague um valor mensal para se livrar delas e poder fazer download de músicas.
  • Pandora: também é uma base grande de artistas e canções e possui versão free com funcionalidades extras pagando um valor mensal.
  • Deezer: outro app de músicas para Android, o Deezer possui, além da opção de pagar um valor mensal para ter funcionalidades extras, a opção de visualizar as letras das músicas enquanto ouve.

Melhores jogos para Android

Nós poderíamos falar sobre os nossos jogos favoritos para Android, mas escolher o que jogar é uma opção bem pessoal. Por isso, para que você descubra alguns jogos para Android, escolhemos uma lista com os mais baixados da Play Store.

  1. Pou

Cuide do seu fofo bichinho de estimação virtual.

  1. Subway Surfers

Jogo de saltos e obstáculos para não ficar entediado.

  1. My Talking Tom

Adote seu filhote de gatinho e cuide até se tornar um adulto.

  1. Meu Malvado Favorito

Outro jogo de corrida e obstáculos que ganhou o mundo.

  1. Zombie Tsunami

Neste jogo, você é os zumbis e tem que atacar uma cidade.
android

Jogos famosos para Android

Em número de downloads os joguinhos acima com certeza ganham. Mas em popularidade estes aqui são imbatíveis:

  1. Angry Birds

Mate os porcos verdes nesse jogo de quebra-cabeça em que os pássaros são a munição.

  1. Clash of Clans

Construa sua vila e ataque outros jogadores em busca de prêmios.

  1. Candy Crush Saga

Suma com os doces neste jogo para Android viciante.

  1. Cut The Rope

Alimente o sapo neste jogo de quebra-cabeça e agilidade.
Agora que você aprendeu a começar a utilizar o seu Android, conhece as atualizações de sistema e instalou seus apps preferidos, não seria legal perder ou ser roubado, certo? Infelizmente, isso acontece e é preciso tomar cuidado. Portanto, saiba como rastrear!

Rastrear celular Android

O que acontece se você perder seu celular Android? A Google tem um serviço para quem precisa rastrear seu aparelho, tendo perdido ou sido roubado. Portanto, o sistema ainda pode ser utilizado para achar o aparelho dentro de casa para quem é um pouco desorganizado.
Basta logar com a sua conta Google (mais um motivo para fazer o login como falamos acima). Inclusive, não é preciso nem mesmo que o dispositivo esteja com o GPS ligado. Saiba como ativar o recurso:

  • Acesse as configurações do dispositivo.
  • Encontre a opção Localização e ative a chave que se encontra na parte superior. Assim, você pode encontrar, bloquear e até apagar todo o conteúdo do seu dispositivo remotamente.
  • Agora você deixou seu dispositivo rastreável. Se algo acontecer, acesse este link para rastrear o Android.
  • Faça login e você verá um mapa e poderá localizar o aparelho. A localização tem uma margem de erro de cerca de 21 metros.
  • Com o celular encontrado, você pode colocar para tocar, bloquear ou apagar todos os dados (esta opção não tem volta).

Como resetar Android

Agora, vamos dizer que você queira vender seu smartphone ou quer dar uma renovada e formatar, deixando-o mais rápido. A solução aqui é resetar o aparelho. Assim, seus dados serão apagados (assim que você fizer login na conta do Google, os apps serão automaticamente baixados).
O processo varia de acordo com o modelo, mas os passos são parecidos. No Motorola, você pode fazer o seguinte:

  1. Acesse as configurações.
  2. Clique em “Fazer backup e redefinir”.
  3. Selecione “Restaurar dados de fábrica”.
  4. No final, escolha “Restaurar telefone”.
  5. Pronto! Seus dados serão apagados e você deverá começar tudo de novo.

Mais leituras

Você está pronto para ter um Android já sabendo muito sobre ele! Em seguida, se quiser variar um pouco mais seus aplicativos, temos posts sobre gerenciadores de tarefas e gerenciadores de senhas. Para aprofundar ainda mais no mundo da tecnologia, que tal conhecer formas de aprender programação para iniciantes?
Gostamos muito de saber o que você acha dos nossos conteúdos! Deixe um comentário abaixo 😉

Você sabe quem é Augusto Cury? Descubra esse escritor fantástico

Sabe aquele tipo de pessoa que muda a vida dos outros? Esse é Augusto Cury. O médico psiquiatra, psicoterapeuta e pesquisador também é um escritor primoroso e seus livros trazem reflexões que alteram paradigmas.
Para você ter uma ideia, os livros de Augusto Cury estão entre os mais lidos da última década e já foram publicados em mais de 70 países. Ele já vendeu mais de 25 milhões de cópias e recebeu prêmio de melhor ficção do ano de 2009 da Academia Chinesa de Literatura.
No artigo de hoje, vamos explorar um pouco mais sobre quem é Augusto Cury, falar sobre seus livros e sua trajetória.

Quem é Augusto Cury – breve biografia

Augusto nasceu em Colina, cidade do interior de São Paulo. Ele é pesquisador da área de qualidade de vida e inteligência multifocal e além de ter escrito diversos livros também ministra palestras pelo Brasil.
Dentre seus trabalhos está o desenvolvimento da Teoria da Intenligência Multifocal, que explica o funcionamento da nossa mente e como podemos ter maior domínio sobre nossa inteligência e pensamento. Vamos falar mais sobre isso à frente.
Essa teoria é base para o Método Cury de ensino, aplicado em várias escolas no Brasil, como as pertencentes ao instituto Menthes. O método busca desenvolver emocionalmente crianças, adolescentes e adultos através de técnicas de ensino e tem como objetivo formar pensadores.
Continue lendo para saber mais sobre quem é Augusto Cury através de seus livros.

Livros de Augusto Cury (não-ficção)

A obra deste autor é bastante extensa. Selecionamos os principais livros, mas não deixe de buscar mais – com certeza você vai se identificar com algum dos títulos!
quem é augusto cury

Inteligência Multifocal

Este é o livro no qual Cury explica sua Teoria da Inteligência Multifocal. É uma obra de não-ficção e um dos mais famosos pelo mundo. O autor explica quais são os 30 elementos básicos que formam a nossa inteligência e traduz o processo de pensamento.
Não é preciso entender de Psicologia ou Neurologia antes de ler – e é isso que faz essa obra ser tão lida. Compreendendo a teoria, você pode se tornar mais capaz de gerir seu próprio “eu” e como você é visto pelo mundo. Vale a leitura.
Você também pode acessar o microbook aqui. Complemente a leitura com o livro “O Funcionamento da Mente”, também de Augusto Cury.
quem é augusto cury

Ansiedade

Este, sem dúvidas, é o mal do século. Cerca de 20% da população do planeta sofre de depressão. A síndrome do pensamento acelerado (SPA) chega a 80% das pessoas, em todos os tipos de pessoas, níveis sociais e formação acadêmica.
Se você sofre por antecipação, dorme pouco ou tem sono agitado, se irrita quando algo demora a acontecer e chega a ter dores físicas por causa da ansiedade, precisa encontrar um jeito de desacelerar seu pensamento. Um bom começo é lendo essa obra. Você vai saber como gerir melhor suas emoções e aumentar a qualidade de vida. Indispensável para o mundo moderno.
Veja ainda essa palestra do Dr. Augusto Cury em uma das escolas Menthes:
Leia o microbook aqui e leia nosso post de blog sobre ele aquiComplemente a leitura com “Ansiedade – Como enfrentar o mal do século para filhos e alunos” e “Ansiedade 2 – Autocontrole”, este último sendo um manual para gerenciar o estresse.

quem é augusto cury

Seja Líder de Si Mesmo

Este livro é de não-ficção, mas não deixa de ser uma obra lúdica. Augusto Cury compara nossa mente com uma peça teatral e convida o leitor a sair da plateia e tomar frente no palco.
Para você que deseja conhecer ferramentas práticas para deixar de se prender nos próprios pensamentos e sentimentos, é a leitura perfeita. Aprenda a administrar suas angústias, medos e ansiedades para conseguir sucesso na vida profissional e pessoal.
Leia o microbook aqui.

Livros de Augusto Cury (ficção)

Os livros de ficção também dizem muito sobre quem é Augusto Cury e nos ensinam muita coisa. Confira dois títulos imperdíveis:
quem é augusto cury

O Homem Mais Inteligente da História

Este é um dos livros de autores brasileiros mais vendidos por aqui. Conta a história do Dr. Marco Polo, responsável por desenvolver uma teoria sobre o funcionamento da mente e a gestão da emoção (soa familiar com a trajetória do próprio Augusto Cury?).
Ele fica intrigado com a seguinte pergunta: Jesus sabia gerenciar a própria mente? Ateu convicto, o doutor vai atrás de respostas investigando o assunto. Para quem tem interesse no tema “Ciência e Religião”, é a obra perfeita.
quem é augusto cury

O Vendedor de Sonhos: O Chamado

Este é outro livro famoso e diz muito sobre quem é Augusto Cury. Foi a obra que concedeu a ele o prêmio da Academia Chinesa de Literatura e é mundialmente conhecido. Conta a história de um homem conhecido por “vendedor de sonhos” e nos convida a refletir sobre a importância dos bens materiais.
É uma sabedoria indispensável para a vida e que nos lembra a importância de valores como a honestidade, o amor e a paz. Complemente a leitura com os outros livros da série: “O Vendedor de Sonhos e a Revolução dos Anônimos” e “O Semeador de Ideias”.
Esta obra ainda rendeu um filme dirigido por Jayme Monjardim. Confira o trailer.

Frases do Augusto Cury

Algumas frases para você compreender ainda melhor quem é Augusto Cury.

  • Os problemas nunca vão desaparecer, mesmo na mais bela existência. Problemas existem para serem resolvidos, e não para perturbar-nos.
  • Construí amigos, enfrentei derrotas, venci obstáculos, bati na porta da vida e disse-lhe: Não tenho medo de vivê-la.
  • Ser um empreendedor é executar os sonhos, mesmo que haja riscos. É enfrentar os problemas, mesmo não tendo forças. É caminhar por lugares desconhecidos, mesmo sem bússola. É tomar atitudes que ninguém tomou. É ter consciência de que quem vence sem obstáculos triunfa sem glória. É não esperar uma herança, mas construir uma história…
  • Quantos projetos você deixou para trás? Quantas vezes seus temores bloquearam seus sonhos? Ser um empreendedor não é esperar a felicidade acontecer, mas conquistá-la.
  • Não duvide do valor da vida, da paz, do amor, do prazer de viver, em fim, de tudo que faz a vida florescer. Mas duvide de tudo que a compromete. Duvide do controle que a miséria, ansiedade, egoísmo, intolerância e irritabilidade exercem sobre você. Use a dúvida como ferramenta para fazer uma higiene no delicado palco da sua mente com o mesmo empenho com que você faz higiene bucal.
  • O passado é uma cortina de vidro. Felizes os que observam o passado para poder caminhar no futuro.
  • Quando somos abandonados pelo mundo, a solidão é superável; quando somos abandonados por nós mesmos, a solidão é quase incurável.
  • O maior líder é aquele que reconhece sua pequenez, extrai força de sua humildade e experiência da sua fragilidade.
  • Uma pessoa inteligente aprende com os seus erros, uma pessoa sábia aprende com os erros dos outros.
  • Apesar dos nossos defeitos, precisamos enxergar que somos pérolas únicas no teatro da vida e entender que não existem pessoas de sucesso ou pessoas fracassadas. O que existe são pessoas que lutam pelos seus sonhos ou desistem deles.

Leia mais Augusto Cury

Se você quer construir mais sabedoria e saber melhor como gerir suas emoções, não deixe de ler Augusto Cury. Os livros do autor podem realmente mudar vidas e ajudar você a ter mais sucesso.
Encontre outros títulos, além dos mencionados, na plataforma do 12Min. Você pode fazer um trial e ler alguns microbooks gratuitamente. Em questão de minutos, você absorve os principais ensinamentos do Dr. Augusto e transforma alguma coisa em você. Acesse hoje mesmo!
Nós gostamos muito de ouvir a sua opinião. Não deixe de comentar o que você achou deste artigo! E happy reading 😉

Iphone: tudo o que você precisa saber antes de comprar um

“Qual é o melhor smartphone do momento?” Se você ouve essa pergunta, a primeira resposta óbvia é: iPhone. Seja por causa da qualidade do produto ou puro marketing – as pessoas colocam o celular da Apple como o melhor.
Apesar do preço mais alto que outros produtos e algumas polêmicas ao longo do tempo, quem é fã não larga o iPhone por nada. Para você que ainda não entrou na onda ou já tem um mas quer saber mais, destrinchamos tudo que precisa saber.
Navegue por aqui mais rapidamente:
Como surgiu o iPhone
Por que escolher o iPhone
Resumo dos modelos de iPhone
iPhone 6 e 6 Plus
iPhone 6S e 6S Plus
iPhone 7 e 7 Plus
iPhone 8 e 8 Plus
iPhone X
Obsolência programada da bateria: você deve se preocupar?
O que fazer quando perder ou for roubado?
Como começar a usar meu iPhone novo?
Como resetar iPhone?

Como surgiu o iPhone

Você se lembra do primeiro iPhone? O aparelho nasceu de um pedido de Steve Jobs aos engenheiros da Apple: criar algo que fosse um tablet (que já existia na época em formatos diferentes do que vemos hoje) com touchscreen.
Steve acreditava que os produtos disponíveis na época não eram boas opções e não atendiam às necessidades dos consumidores. Algo mais precisava ser inventado e ele já sabia que o futuro estava nos celulares pessoais.
Ele passou a focar primeiro no iPod e lançou em 2001 o iTunes, que foi utilizado pela primeira vez no ROKR E1, smartphone que a Apple criou junto com a Motorola. Só em 2006 essa parceria acabou e os primeiros sinais do iPhone começaram a aparecer na mídia.
Eis que em janeiro de 2007 Steve Jobs realiza uma de suas icônicas apresentações e anuncia que o iPhone, um conceito totalmente novo de smartphone, seria lançado mais tarde naquele ano.
Foi daí que surgiu este vídeo histórico de uma entrevista com o então CEO da Microsoft, Steve Ballmer.
A questão nunca foi o preço do produto. O que trouxe o iPhone para a posição dele hoje foi uma construção de marca, fidelidade do consumidor e um entendimento profundo das necessidades das pessoas.
Acompanhe abaixo motivos para ter um iPhone.

Por que escolher o iPhone

Se você ainda não comprou o seu, alguns motivos para investir nesse smartphone.

Rapidez

Esse é um dos principais pontos fortes do iPhone. Os processadores são lançados sempre à frente do concorrente, com uma potência jamais vista. Isso faz com que utilizar o smartphone se torne uma experiência sempre agradável – uma necessidade que temos, com a exigência por produtos eficientes cada vez maior.

Câmera

O iPhone também inovou na qualidade da câmera desde o primeiro modelo. A qualidade das imagens é excepcional, especialmente nos últimos modelos (iPhone X e iPhone 8 e 8 Plus). Além da definição das imagens, as cores também são diferenciadas, seja na luz do sol ou à noite.

Integração hardware e software

O Android é feito para operar em vários smartphones diferentes. Já o iOS, sistema oficial e exclusivo da Apple, é confeccionado especialmente para os dispositivos da companhia. Isso faz com que a integração seja melhor, possibilitando funcionalidades bacanas como o Touch 3D, lançado junto com o iPhone 6s (que explicaremos mais à frente).

Os melhores aplicativos primeiro

Já não é segredo para ninguém que desenvolvedores preferem lançar seus apps para dispositivos iOS antes. Isso acontece por dois motivos principais:

  • Custo e complexidade: desenvolver para, vamos dizer, 6 smartphones diferentes (mas não TÃO diferentes assim) é mais fácil do que criar um aplicativo para centenas de opções. Assim, o tempo de lançamento para produtos Apple é menor se comparado ao do Android.
  • Lucro e pirataria: há a percepção no mercado de que usuários de Android tendem a gastar menos com aplicativos, com a preferência pelos gratuitos. Quando o app é pago, a chance de ser pirateado cresce.

O iPhone é o único smartphone que vale a pena?

Claro que não! Conforme a tecnologia avança, outras companhias também crescem e lançam bons produtos no mercado. Se você não quiser comprar um iPhone, existem centenas (para não dizer milhares) de opções disponíveis e que atendem a necessidades diferentes.
Smartphones que utilizam o Android têm mais opções de customização, por exemplo. Você pode escolher um com bateria super durável ou câmeras que não vão deixar a desejar. Além disso, outros celulares têm memória expansível e carregadores universais.
E um último motivo: preço. A variedade é muito maior e é difícil um smartphone Android chegar a custar tanto quando o iPhone. Mas, viemos aqui para focar no produto da Apple, portanto, acompanhe abaixo um resumo dos lançamentos mais recentes.

Resumo dos modelos de iPhone

A Apple tem lançado um ou mais iPhones por ano consistentemente desde o primeiro em 2007. Cada um vem com boas surpresas e melhorias significativas em relação aos modelos anteriores – o que faz tudo ficar difícil de acompanhar.
A seguir, vamos resumir as novidades de cada modelo desde o iPhone 6, acompanhado de uma ficha técnica de cada um para você ficar por dentro do histórico. Vamos lá!

iPhone 6 e 6 Plus

Este iPhone representou uma mudança significativa de design. O smartphone ficou bem maior, passando de 4 polegadas (iPhone 5S) para 4,7. O modelo também trouxe de volta as bordas mais arredondadas, marcas que sumiram no iPhone 4, primeiro modelo mais rígido nas arestas.
Essas mudanças vieram de pesquisas com consumidores e identificação de tendências. Mas com isso surgiram duas preocupações. A primeira foi que se tornou difícil digitar apenas com uma mão. A segunda foi o “bendgate”, polêmica sobre o iPhone 6 que apareceu porque consumidores reportaram que o aparelho “entortou” depois de algum tempo.
Isso aconteceu porque existe alumínio na composição do aparelho, metal que é flexível e por estar em uma superfície maior, pode ceder. O bendgate fez os consumidores duvidarem um pouco da qualidade dos aparelhos, especialmente por ter sido lançado depois da morte de Steve Jobs. O problema foi controlado com a garantia Apple e ficou no passado.
Ainda assim, o processador do iPhone 6 representou um avanço tecnológico. O chamado A8 aumentou ainda mais a eficiência do smartphone e combinado com a bateria mais poderosa não deixou as críticas chegarem muito longe.
A versão iPhone 6 Plus foi lançada no mesmo ano e possui algumas características técnicas melhores. Confira a comparação a seguir.

Design

6: alumínio curvo, dourado ou prateado claro/escuro, espessura de 6,8 mm e pesa 129 g.
6 Plus: alumínio curvo, dourado ou prateado claro/escuro, espessura de 7,1 mm e pesa 172 g.

Tela

6: 4,7 polegadas, resolução de 1334 x 750 e 326 ppi (pixel por polegada), LCD de retina.
6 Plus: 5,5 polegadas, resolução de 1920 x 1080 e 401 ppi, LCD de retina.

Performance

6: processador Apple A8 64-bit e coprocessador M8.
6 Plus: processador Apple A8 64-bit e coprocessador M8.

Bateria

6: suporta 11 horas de vídeo e 11 horas utilizando a internet.
6 Plus: suporta 14 horas de vídeo e 12 horas utilizando a internet.

Preço

Hoje só é vendido de segunda mão, em lojas como o Mercado Livre e Trocafone.

iPhone 6S e 6S Plus

Muito bem, agora que passamos pela fase do iPhone 6 e seus problemas/soluções, vamos à melhoria dessa versão: o iPhone 6S. Ele é bem parecido com seu antecessor, mas ainda com alguns avanços significativos.
Um deles é na resolução, que agora é de 326 ppi e no peso (11% mais pesado). Ah, e a eficiência também ganhou um avanço: o processador agora é o A9, com performance dos gráficos 90% melhor. Ganhamos ainda um pouco mais de cor: esse iPhone foi lançado em 4 tonalidades, incluindo o ouro rosa.
E a melhoria mais significativa: o corpo do aparelho é reforçado com alumínio utilizado em espaçonaves – o fim do bendgate!
A versão plus vem com as configurações melhores, como é de costume, especialmente na bateria. Confira os detalhes abaixo.

Design

6s: prateado, dourado, cinza espacial ou ouro rosa, espessura de 7,1 mm e pesa 142 g.
6s Plus: prateado, dourado, cinza espacial ou ouro rosa, espessura de 7,3 mm e pesa 192 g.

Tela

6s: 4,7 polegadas, resolução de 1334 x 750 pixels a 326 ppp, retina HD.
6s Plus: 5,5 polegadas, resolução de 1920 x 1080 pixels a 401 ppp, retina HD.

Performance

6s: processador Apple A9 64-bit e coprocessador M9.
6s Plus: processador Apple A9 64-bit e coprocessador M9.

Bateria

6s: suporta 11 horas de vídeo e 10 horas utilizando a internet.
6s Plus: suporta 14 horas de vídeo e 12 horas utilizando a internet.

Preço

6s: a partir de R$ 2.499.
6s Plus: a partir de R$ 2.999.

iPhone 7 e 7 Plus

A primeira grande mudança dos modelos 6S para os 7 é a retirada da entrada de fone de ouvido. A partir dessas versões, os aparelhos móveis da Apple vêm da loja apenas com os fones EarPods, que são conectados na entrada do carregador. Se quiser ouvir música enquanto carrega ou colocar um fone normal, adquira os acessórios.
Além disso, o botão da home deixa de ser físico, o que pode ser estranho para o usuário mais acostumado com os aparelhos anteriores, mas nada que não seja adaptável.
Temos ainda câmeras melhoradas e performance maior, sendo possível tirar fotos incríveis mesmo com a luz reduzida. Ah, e agora os iPhones são mais resistentes à água e têm alto falantes mais potentes – pronto para uma festa na piscina?

Design

7: preto brilhante, preto matte, prateado, dourado, ou ouro rosa, espessura de 7,1 mm e pesa 138 g.
7 Plus: preto brilhante, preto matte, prateado, dourado, ou ouro rosa, espessura de 7,3 mm e pesa 188 g.

Tela

7: 4,7 polegadas, Resolução de 1334 x 750 pixels a 326 ppp, retina HD.
7 Plus: 5,5 polegadas, resolução de Resolução de 1920 x 1080 pixels a 401 ppp, retina HD.

Câmera

7: 12MP
7 Plus: 12 MP com lentes grande-angular e teleobjetiva.

Performance

7: processador A10 Fusion 64-bit e coprocessador M10.
7 Plus: processador A10 Fusion 64-bit e coprocessador M10.

Bateria

7: suporta 13 horas de vídeo e 12 horas utilizando a internet.
7 Plus: suporta 14 horas de vídeo e 13 horas utilizando a internet.

Preço

7: a partir de R$ 3.199.
7 Plus: a partir de R$ R$ 3.799.

iPhone 8 e 8 Plus

Ufa! Chegamos aos modelos de iPhone 8 e 8 Plus. Lançados em 2017, apresentam um novo design de vidro e alumínio, processador mais rápido (como já vimos nas versões anteriores) e um carregador sem fio – a base carrega o celular exatamente por ser feito de vidro.
A tela de retina e o tamanho são velhos conhecidos, o que não faz com que o avanço seja menor. A resistência à água, por exemplo, aumentou – suporta 30 minutos de submersão em no máximo 1 metro de profundidade).
A câmera tira fotos mais rapidamente e com cores ainda mais vibrantes. E por falar em fotos, aqui vemos um novo recurso incrível: modo retrato. As fotos neste modo ficam com cara de profissionais, pois o fundo sai de foco. Demais, não? Vamos às características técnicas.

Design

8: prateado, cinza-espacial ou dourado, espessura de 7,3 mm e pesa 148 g.
8 Plus: prateado, cinza-espacial ou dourado, espessura de 7,5 mm e pesa 202 g.

Tela

8: 4,7 polegadas, resolução de 1334 x 750 pixels a 326 ppp, retina HD.
8 Plus: 5,5 polegadas, resolução de 1920 x 1080 pixels a 401 ppp, retina HD.

Câmera

8: 12MP.
8 Plus: 12 MP com lentes grande-angular e teleobjetiva.

Performance

8: processador A11 Bionic 64-bit e coprocessador M11.
8 Plus: processador A11 Bionic 64-bit e coprocessador M11.

Bateria

8: suporta 13 horas de vídeo e 12 horas utilizando a internet.
8 Plus: suporta 14 horas de vídeo e 13 horas utilizando a internet.

Preço

8: a partir de R$ 3.999.
8 Plus: a partir de R$ 4.599.

iPhone X

Muito bem, chegamos ao último modelo até o lançamento deste texto. Também anunciado em 2017, só que algumas semanas depois do iPhone 8 e 8 Plus, este aparelho apresentou uma mudança radical de design.
O display OLED (visto pela primeira vez em iPhones) nunca foi tão próximo da borda, a câmera é equipada com o sistema TrueDepth (alta qualidade de detalhes nas imagens), há agora a identificação de rosto (Face ID), além do sistema “dual camera” ainda melhor que o 8.
Claro, o preço pode assustar um pouco, mas este é o smartphone do futuro. Veja as especificações abaixo.

Design

Prateado e cinza-espacial, 2436 x 1125 pixels a 458 ppp.

Tela

5,8 polegadas, resolução de 1334 x 750 pixels a 326 ppp, super retina HD.

Câmera

12MP com grande angular e teleobjetiva.

Performance

Processador A11 Bionic 64-bit e coprocessador M11.

Bateria

Suporta 13 horas de vídeo e 12 horas utilizando a internet.

Preço

A partir de R$ 6.999.

Você pode comparar todos os modelos depois do 6S no site da Apple. A seguir, vamos analisar algumas polêmicas da Apple ao longo dos anos e algumas dicas para quem vai comprar um.

Obsolência programada da bateria: você deve se preocupar?

Em 2017, a Apple foi acusada de programar a obsolescência de iPhones e enganar os usuários quanto à durabilidade real da bateria. Conforme usuários iam atualizando o sistema, menor era a performance dos aparelhos.
Isso serviria para esconder um problema da bateria – a performance reduzida pouparia a bateria para que ela não viciasse rapidamente. No fim, as pessoas trocavam o celular, sem saber que uma troca de bateria seria o suficiente. Como isso não estava claro para o usuário, a mídia tomou a questão como má fé da empresa.
Para não piorar as coisas, a Apple resolveu admitir que isso realmente estava acontecendo e liberou uma mensagem oficial para seus consumidores, onde explicou tudo e mostrou formas de evitar o problema.
As soluções são as seguintes:

  • Comprar outra bateria: depois da polêmica, a empresa reduziu o preço das baterias extra para R$ 149,00, pelo menos até o final de 2018. Acompanhe os critérios aqui.
  • A atualização do sistema em 2018 mostra mais detalhes da bateria, para que o usuário tenha acesso claro a informações sobre a saúde do componente. Fique de olho para saber quando trocar a sua.

O que fazer quando perder ou for roubado?

Muitos consumidores ficam na dúvida sobre comprar o iPhone por causa do preço. O investimento é alto, apesar de valer tanto a pena pela qualidade do produto. Então, o que fazer para se proteger dessas eventualidades? A resposta é o seguro.
Mesmo tendo que desembolsar um pouco mais de dinheiro, fazer o seguro pode ser uma boa ideia para se proteger tanto de roubos quanto de quedas ou outros acidentes que não são cobertos pela garantia.
Existem várias seguradoras que oferecem o serviço e muitas lojas permitem que você saia de lá já com o aparelho segurado, como a iPlace. O valor gira em torno de 15% a 25% do custo do celular. Caso ocorra uma eventualidade, o mesmo valor é cobrado na franquia.
Agora, caso você tenha perdido seu iPhone e queira checar a localização antes de acionar o seguro, tenha o aplicativo Find My iPhone instalado. Ele localiza o aparelho em um mapa. Ainda é possível fazer isso pelo iCloud, aprenda como aqui.

Como começar a usar meu iPhone novo?

Se você decidiu comprar o seu iPhone, deve estar se perguntando por onde começar. Vamos a alguns passos para quem está com um brinquedo novo (para iPhone 8 ou anterior):

  1. Toque no slide para configurar e, como fala no dispositivo, deslize o dedo pela tela para começar.
  2. Escolha o seu idioma. A configuração prévia será do país onde você comprou.
  3. Escolha o seu país ou a sua região. Da mesma forma, a configuração será do lugar de origem do aparelho.
  4. Escolha uma rede Wi-Fi e insira sua senha, se necessário. Se você não tiver acesso ao Wi-Fi ou nenhuma rede for encontrada, você pode escolher utilizar os dados – apesar de não ser recomendado.
  5. Aguarde seu iPhone ativar, o que pode levar alguns instantes.
  6. Escolha se deseja ou não habilitar os Serviços de Localização. Você sempre pode mudar de ideia mais tarde, mas tenha em mente que você precisará habilitar pelo menos alguns serviços de localização para usar aplicativos como o Google Maps e buscar iPhone no Find My iPhone.
  7. Configure sua senha e toque em ID. Você pode ignorar este passo e fazer o login mais tarde, se preferir.

Esses passos valem para celulares novos, restaurando o backup ou transferindo dados de um smartphone anterior.

Como resetar iPhone?

E se você comprar um iPhone usado? Ou quiser vender o seu para trocar por um modelo mais recente? O ideal é ir para o próximo dono já resetado. Confira os passos para fazer isso:

  1. Desemparelhe o Apple Watch caso haja um sendo utilizado com o iPhone.
  2. Faça backup do dispositivo (pelo iCloud ou iTunes).
  3. Feito o backup, finalize a sessão do iCloud e da iTunes e App Store (se você apagar dados enquanto a sessão estiver ligada, pode acabar excluindo informações para sempre da nuvem.
  4. Vá para Ajustes e toque em Geral > Redefinir > Apagar Conteúdo e Ajustes.
  5. Se você for trocar para um smartphone que não é Apple, cancele o registro do iMessage (sem isso, ficará impossibilitado de receber SMS). Basta tocar em Ajustes > Mensagens e desative o iMessage.
  6. Se solicitado, insira o código de acesso do dispositivo ou o código de acesso de Restrições. Depois, toque em Apagar [dispositivo].

Pronto, você está pronto para inserir novas informações no iPhone!

Acessórios legais para iPhone

Uma das coisas mais legais de ter um iPhone é a imensidão de escolhas de capas. Como são poucos modelos, os fabricantes investem mais nas opções e é possível encontrar capinhas para todos os gostos e utilidades. Veja algumas:





Você ainda pode adquirir outros acessórios que adicionam funcionalidades ao aparelho:

Lâmpada individual Philips Hue Ambiance.


Caixa de som Beats Pill+ – Neighbourhood Collection.


iphone

Pau de selfie e suporte iKlip Grip da IK Multimedia.


iphone

Conjunto de lentes Active da olloclip.


Para você que é fã de Apple, não deixe de conferir também nosso guia para Apple Watch!